Abrir menu principal

Desciclopédia β

Ácido-Base de Lewis

Cometinha.jpg Este é mais um artigo com pretensão pseudo-científica, portanto, seu autor é um desocupado mentiroso que não diz coisa com coisa.
Algumas das anotações que levaram à formulação da teoria de Lewis.

Cquote1.png Que papo é esse, Lewis? Cquote2.png
Arnold sobre a teoria de Lewis Hamilton.
Cquote1.png Nos venceu! Cquote2.png
Arrhenius, Rubinho Barrichello Brønsted e Lowry sobre a teoria de Lewis.
Cquote1.png Até que enfim! Cquote2.png
IUPAC sobre a teoria de Lewis
Cquote1.png Esta é uma importante teoria... Cquote2.png
Professor de química sobre a teoria de Lewis.

A Teoria Ácido-Base de Lewis é considerada, atualmente, a teoria capaz de explicar, de forma mais abrangente e generalizada, a acidez ou alcalinidade de qualquer substância, seja ela iônica ou molecular. Foi estruturada por Lewis Hamilton, enquanto o mesmo fazia testes no combustível de sua Mc’Laren, já que o tanque da máquina estava enferrujado. Análises mais apuradas mostraram que o responsável pelos danos no tanque era o chumbo presente na gasolina, fornecida na época pela Petrobrás.

A teoriaEditar

 
Lewis Hamilton recebendo um prêmio da Academia Francesa de Ciências por desvendar o comportamento dado das Bases de Lewis.

Segundo os estudos de Hamilton, as diversas substâncias podem ser classificadas como ácidos ou bases, de acordo com a disponibilidade de dar (Ui!!!) ou receber elétrons.

Segundo Hamilton, um ácido de Lewis (imagina se ele não ia colocar o próprio nome) tem carência de afeto elétrons, e gostaria de receber dois deles (quimicamente, chama-se ligação dativa), sendo, então, um íon ou radical negativo, ou seja, o que recebe. Portanto, é o praticante ativo da ligação química. Uma base de Lewis', por sua vez, tem elétrons para dar (Ui!!!) e vender, logo, não se importará de emprestar dois para o outro íon ou radical. Por ser o íon ou radical positivo, é o que dá (ou cede). Portanto, é o praticante passivo da ligação.

Resumindo a teoria, um ácido de Lewis é aquele que recebe (os elétrons) e uma base de Lewis é aquela que dá (ou cede) os elétrons. Várias espécies químicas podem participar, o que se resume numa suruba interatômica.

AplicaçãoEditar

A teoria de Lewis tem grande importância na química orgânica, já que é difícil saber se tal substância é um ácido ou base quando a substância não se ioniza ou dissocia na água e não libera um íon H+, embora a definição de Lewis possa ser aplicada a qualquer composto químico (ou não).

Ver tambémEditar