Abrir menu principal

Desciclopédia β

Índio (elemento químico)

Índio é o 49º elemento químico da tabela periódica, considerado um metal que-ninguém-sabe-dizer-o-que-é, porque não é nem halogênio mas também é feio e inútil demais para ser considerado um metal completo. É bem similar ao gálio e ao zinco, exceto que é índio, um elemento que ninguém se lembra.

HistóriaEditar

 
Uma jazida cheia de índio.

Devido ao fato de que foi um suaíli que descobriu o índio, você pode agora ter uma ideia do quão não desesperados os químicos estavam em descobrir esse novo elemento. Foi o suazilandês Ferdinand Reich que, em 1863, enquanto desejava produzir tálio através da fusão de zinco numa caldeira de vibranium derretida, nas redondezas de Wakanda, ele acidentalmente deixou cair seus pedaços de zinco num caldeirão com esterco fermentado e piche, que dissolveu o zinco, sendo que foi dos restos do zinco dissolvido que Reich percebeu a descoberta de um elemento novo.

A origem desse nome tão singular se deve ao fato de que Ferdinand decidiu homenagear seus escravos, botando esse nome idiota de "índio" no elemento. Assim ele poderia falar abertamente "vamos queimar esse índio", "vamos derreter esse índio", "vamos entortar esse índio", "vamos atirar no índio", "vamos enterrar o índio", tudo sem que ele pudesse ser acusado de racismo.

CaracterísticasEditar

A primeira vista o índio parece ser um metal comum como todos os outros metais, exibindo sua coloração prateada (mas sem ser prata), uma dureza aceitável, solidez e toda sua toxicidade que o impede ser ingerido. Mas ao ser manuseado, o índio se demonstra ser o elemento mais bixa-loka-fresca dentre todos os elementos da tabela periódica, porque basta ser dobrado de leve que já solta gritinhos estridentes de desespero.

AplicaçõesEditar

Em termos gerais, não possui propriedades ou aplicações úteis ou especiais aos seres humanos. Isso faz dele um dos metais mais inúteis de toda tabela periódica, tanto que foi expulso do grupo dos metais pelo cádmio. Não bastasse o elemento não ter muito uso, ele é obtido em quantidades mínimas em forma de desperdício na produção de vários outros metais mais úteis, o que enfatiza ainda mais quão terrivelmente sem importância o índio é. Alguns governos, como o Brasil, até criam algumas fundações científicas, como a FUNAI, para tentativas de valorizar mais o índio e demarcar as terrar onde eles vivem, mas os fazendeiros ignoram completamente a importância do índio e sempre que possível o tentará exterminar para criar pastos, pois proteína de boi é mais útil que índio para a biologia humana, embora veganos neguem isso, defendendo o índio.

Além disso, o índio, como muitos outros metais, é usado como um aditivo para a fabricação de ligas de aço para torná-los mais aço. No entanto, isso não faz dele um elemento de destaque já que muitos outros metais podem substituí-lo. Seria útil talvez para fazer termômetros, se já não tivesse descoberto o mercúrio.