Abrir menu principal

Desciclopédia β

A Dona do Pedaço

Este artigo aparece na TELEVISÃO!

Provavelmente ele vai lhe chatear, mas a HIPNOSE permite que você assista a ele INTEIRINHO!

ReversalTV.jpg
Rossi.jpg Este artigo trata de coisas muito bregas, bicho!

Se você acha que a moda é coisa só pra gente chique, esqueça isso aqui e tome seu rumo, mas se você é um mal-amado fã de Alípio Martins, pegue a cadeira porque o bingo já começou.

Falcao.jpg


Datena imagens.png ME DÁ AS IBAGENS! Eu quero ibagens!!!
Este artigo possui poucas ou nenhuma ibagem o ilustrando. Por favor considere adicionar novas ibagens para impedir que o Datena tente te processar!

Cquote1.png Você quis dizer: A Dona do Fiasco? Cquote2.png
Google sobre A Dona do Pedaço
Cquote1.png Você quis dizer: A Dona do Barraco? Cquote2.png
Google sobre A Dona do Pedaço
Cquote1.png Você quis dizer: A Dona do Peidaço? Cquote2.png
Google sobre A Dona do Pedaço
Cquote1.png Cheia de manias/Toda dengosa... Cquote2.png
Hino de Maria da Paes.
Cquote1.png Olha os Bolos da Paz, os Bolos da Paz... Cquote2.png
Maria da Paes sendo ela mesma
Cquote1.png Ainda bem que você não é gay, papai, senão eu ia ficar preocupada. Cquote2.png
Filhinha homofóbica de Agno para o pai.
Cquote1.png E nessa loucura/de dizer que não te quero... Cquote2.png
Tema de Maria da Paes.
Cquote1.png Texto raso, atuações equivocadas e um grande desserviço ao telespectador. Cquote2.png
Nilson Xavier, crítico de novelas e pesquisador, sobre A Dona do Pedaço
Cquote1.png Ao menos dá mais IBOPE que O Sétimo Lixão. Cquote2.png
EU sobre A Dona do Pedaço.

A Dona do Pedaço foi uma novela das 7 que por engano passou às 21 horas e que começava às 21:35. Escrita por Walcyra Carrasca com a colaboração de Nelson Nadotti, Márcio Haiduck e Vinicius Vianna e direção hidráulica de Amora Mautner. Veio com a missão de levantar a audiência do horário, derrubada por O Sétimo Fiascão. E olha que eles têm conseguido, hein? (ainda que às custas de muito barraco e incoerência). Foi substituída por amor de mãe, de uma tal de Manuela Dias.

NewBouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: A Dona do Pedaço.

Índice

SinopseEditar

Sei lá, não assisto a essa bosta...

Maria da Paes vem de uma família de justiceiros profissionais, os Ranhirez, da cidade de Rio Vermelho, Espírito Santo. Desde pirralha, ela mantém o hábito de ficar na cozinha esquentando o umbigo no fogão, ao lado de sua avó (a dela, toupeira; não a tua!), Dulce Maria, com quem aprendeu a fazer bolos (por isso que a novela se chama A Dona do Pedaço; ba-dum-tsss!). Essa rotina a seduz mais do que as atividades impostas pelo pai, Ademir, que quer transformá-la em uma justiceira.

Na década de 1990, Maria da Paes conheceu e deu para se apaixonou por Amadeu, advogado formado em Derrota Vitória, porém membro do clã rival nos negócios dos Ranhirez, os Metheus. Quando descobre que vem de famílias rivais, o casal, para viver o romance, sugere um pacto de paz e consegue marcar o casamento. Porém, no altar, Amadeu leva um tiro e, após a tragédia, os Metheus prometem vingança contra os Ranhirez.

As primeiras vítimas são Fabiana e Virgínia, sobrinhas de Maria da Paes, filhas de sua irmã Zenaide. Vicente Pinto, irmão de Amadeu, fica encarregado de dar fim nas meninas, mas só consegue capturar Fabiana e, sem coragem, a deixa em um convento. Ao saber do sumiço de Fabiana, Zenaide e Vagínia fogem para Vitória e uma nova tragédia acontece: a menina se separa da mãe e se perde.

Jurada de morte, Maria foge para Sampa e é acolhida na casa de Marlene Dietrich (não é a cantora alemã), começando uma nova vida com a promessa de reencontrar as sobrinhas. Com o passar do tempo, recebe a notícia da morte de Amadeu, sem saber que a mentira é um acordo entre sua mãe Vaselina e a mãe dele, Nilda Furacão, que decidem dizer para ambos que os dois estão morridos.

Se não bastasse o sofrimento pela “morte” do amado, Maria da Paes se vê embuchada e sem emprego. Como forma de sustento, começa a vender bolos que ela mesma faz. O negócio dá tão certo que, 20 anos depois, Maria da Paes tornou-se uma bem-sucedida dona de uma cadeia de confeitarias. Vive ao lado da filha, Jô-siane, que cultiva desprezo pela mãe, critica seu comportamento e aparência e odeia o próprio nome, ou seja, uma mimadinha do caralho mesmo.

"Jô" – como Jô-siane prefere ser chamada – precisa da mãe para realizar o sonho de se tornar uma digital influencer e, para conquistar a projeção social que deseja, articula um plano com Régis Bittencourt, um playsson de família tradicional. A jovem o apresenta para a mãe e arma o casamento entre eles para tomar o dinheiro dela. Maria sequer imagina que a união pode colocar em risco seu patrimônio conquistado com tanta luta (isso, trouxa!).

Jô-siane ainda faz de tudo para se aproximar da famosa Vivi Fernandes, filha adotiva do casal Otário e Beatriz, que se tornou uma conhecida digital influencer. Jô-siane não imagina que ela é sua prima desaparecida Vagínia. Já Fabiana descobre o paradeiro da irmã ao vê-la na televisão com um amuleto dado de presente pela avó. Ela muda-se então para São Paulo, a fim de recuperar a vida que não teve.

A princípio, Fabiana não revela o parentesco com Vagínia, afinal, tem inveja da irmã bem-sucedida. Quem também se muda para São Paulo é Amadeu, que, após se recuperar do tiro que levou com a ajuda da fisioterapeuta Gilda, casou-se com ela certo de que sua Maria da Paes morreu. Na metrópole, ele pretende exercer seu ofício de advogado. E é lá que o casal protagonista se reencontra e reacende o amor do passado.

E mais um monte de encheção de linguiça que toda novela tem que ter, né?

Elenco principalEditar

  • Bibi Perigosa como Maria da Paes (criativo o autor, não?), ex-bandida do morro que paga de boleira retardada;
  • Marcos Palmeiras como Amadeu Metheus;
  • Agatha Moreira como Jô-siane, a filhinha mimada de Maria da Paes, que no final é revelada ser o TINHOSO;
  • Reynaldo Jaqueline como Régis Bittencourt (quem come Maria da Paes e seus bolos);
  • Pau Lá Oliveira como Vivi Guedes (Vagínia para os mais íntimos...), vlogger, youtuber, digital influencer; resumindo, um Felipe Neto mulher;
  • Carnavália Dill como Fabiana, aquela freira vagabunda que vivia dizendo que foi criada de quatro no convento
  • Sergio Guizé masco como Chiclete (Guelé), assassino de todos, menos de sua amada;
  • Lineu como Eu-sei-bio;
  • Rosi Campos, a Morgana como Dou-dou (Doroteia);
  • Betty Faria, há anos não faz mais como Cornélia (humm...);
  • Tonico Pereira como Chico Bento;
  • Cai o Castro ouço como Rock'n'Roll;
  • Suely Franca ouço também como Marlene Dietrich versão BR;
  • Biotônico Fontoura como Antera, que primeiramente seria um homem que descobre ser mulher quando idoso, mas Walcyra decidiu poupar mais isso na novela;
  • Monica & Ozzy como Cleonice da Silva Kim Basinger BR;
  • Raio do Cacete como Téo/Teófilo/Teobaldo/Teotônio/Teodoro ou simplesmente Teocorno, namorado de mentirinha da NOJOsiane que, mesmo depois de esfaqueado por ela, ainda acha que vai ter seu amor;
  • Nathália Avicii como Gladys Knight BR;
  • Malvino Salvador não é sua mãe como Agno Deu o cu, o viadão bonito;
  • Evorah Debelyn como Lyris (lyrio + íris, acho que é isso);
  • Nilo como Otário;
  • Natália Del Valle como Beatriz (olha/será que é de louça...);
  • Rosamaria Mortinha como Linda, a Feia;
  • Rita/Nina como Cássia, a menina homofóbica que devia ter ficado no lixão;
  • Guilherme Leitão como Leandro, peguete do Agno, mais conhecido como Mão Santa, irmão adotado de Chiclete;
  • Genézio de Barros como Ademir Ranhirez;
  • Nívea Maria passo como Vaselina;

e o resto que se foda, pois são terciários ou figurantes de luxo.

Trilha SonoraEditar

  • O primeiro volume da trilha sonora de A Dona do Pedaço traz na capa Juliana Paes como Maria da Paes, e 13 faixas. Lançado em 27 de julho de 2019.

Volume 1Editar

  1. Tá Escrito – Xande de Pilares (nossa abertura)
  2. Cheia de Manias – Raça Negra aka Grupo Raça, bka Grupo Raça Negra (também conhecida como didididididiê)
  3. lixo
  4. Evidências – Chitãozinho & Xororó (tema de Maria da Paes dando para Régis Bittencourt)
  5. Zirigidum Yiri Yiri Boum – Dois Africanos
  6. Lullaby Love – Roo Panes
  7. Daydream in Blue (acoustic) – IMonster
  8. Écoute-Moi Camarade – Rachid Taha
  9. Learn to Live – Alice Merton
  10. Nobody Makes Money – Fantastic Negrito
  11. Jolene – Dolly Parton
  12. Loyal to Me – Nina Nesbitt
  13. Taki Taki – DJ Snake, Ozuna, Selena Gomez e Cardi B

Volume 2Editar

  • lançado em setembro, 2 meses depois, com tiragem inicial de 1000 cópias, depois mais uma de 300.

Capa: Vivi Guedes

  1. lixo
  2. 7 Rings – Ariana Grande (tema de Jô-siane)
  3. Beijo Geladinho – Netinho de Paula
  4. Contramão – Belo
  5. Só o Amor – Preta Gil e Gloria Groove (tema de Britney Spears)
  6. Snake Charmer – Gustavo Bertoni (tema de Agno Deu)
  7. outro lixo
  8. Só Você e Eu – Vanessa da Mata
  9. The Look – Metronomy
  10. My Only One (No Hay Nadie Más) – Sebastián Yatra e Isabella Moner
  11. Eu Sei – Cai Sahra
  12. My Silver Lining – First Aid Kit
  13. Evidências – Yasmin Santos (tema da boleira)
  14. outro lixo, de novo!
  15. Nothing Breaks Like a Heart – Mark Ronson feat. Miley Cyrus

InstrumentalEditar

  • Músicas de Eduardo Queiroz, Felipe Alexandre e mais uma penca de gente que ninguém conhece.
  1. Amadeu
  2. Maria Da Paes
  3. Family Business
  4. La Fonte
  5. Esperanza
  6. Os Metheus
  7. Ambush
  8. Ricordi
  9. Tree Of Life
  10. A Comédia De Dulce
  11. Two Guns
  12. Matriarch
  13. Low Tricks
  14. Wise Guys
  15. Until The End
  16. Nessun Dorma
  17. Crossing
  18. Influências
  19. Retro Door
  20. Três Bichas
  21. Síncope Quátrope Collapse
  22. Come Ti Odio
  23. Addio
  24. Immenso
  25. O Pacto
  26. Bandits
  27. Il Colpo
  28. Pace Del Cuore
  29. Come Dimenticare
  30. Os Ranhirez
  31. Death At Sunset
  32. Deep Web
  33. Sun Goes Down
  34. Losses
  35. Menssageiro
  36. Ragazzi Habanera
  37. Sorriso Maroto
  38. Piccolo Fiore
  39. Ritornerà
  40. All My Love
  41. Ordine Sinistro
  42. Extinction
  43. Gara
  44. Vendetta
  45. Nômade
  46. Sospetto
  47. Forever Alone
  48. Simple Love
  49. For The Gay
  50. Encontro Mortal
  51. Sfoda
  52. Non Chiaro
  53. Profondo Della Anima
  54. Heart And Hope
  55. Conectada
  56. Summit
  57. Fireflies Love
  58. Runners
  59. Still Got It

O que mais tocou na tramaEditar

  • Bad Guy - Billie Eilish (tema de Fabiana)
  • California Dreamin' - Bobby Womack
  • Reunion - Bobbie Gentry

Letra de aberturaEditar

Quem cultiva a semente do amor
Segue em frente e não se apavora
Se na vida encontrar dissabor
Vai saber esperar a sua hora (como diria André Saporetti, do Shoptime:   (a vida) será boa ou não de acordo com as escolhas que você fizer.  )

Às vezes a felicidade demora a chegar
Aí é que a gente não pode deixar de sonhar
Guerreiro não foge da luta, não pode correr
Ninguém vai poder atrasar quem nasceu pra vencer

É dia de sol, mas o tempo pode fechar
A chuva só vem quando tem que molhar
Na vida é preciso aprender
Se colhe o bem que plantar
É Deus quem aponta a estrela que tem que brilhar

Erga essa cabeça, mete o pé e vai na fé
Manda essa tristeza embora
Basta acreditar que um novo dia vai raiar
Sua hora vai chegar!

CU-riosidadesEditar

 
Tua mãe desencoraja seções de curiosidades, mas nós não ligamos a mínima! Sob as políticas da Desciclopédia
Mas bem que esta seção pode ser aproveitada integrando-se piadas decentes às seções mais adequadas.
Cada curiosidade pode render uns bons parágrafos, então faça direito!


  • A Dona do Pedaço é uma novela das 21h com nome de novela das 19h (Dias Felizes foi o título provisório - e também mais coeso. Pena que mudaram de ideia);
  • A novela tem esse nome porque Juliana Paes é uma confeiteira dona de uma cadeia de confeitarias (O RLY?), por isso que decidiram batizar a novela de A Dona do Pedaço!
  • Marca também o glorioso retorno de Reynaldo Jaqueline Gianecchini à TV. Seu último trabalho nas telinhas foi em Verdades Secretas, de 2015;
  • Essa novela terá ou não mais audiência que O Sétimo Guardião;
  • Este artigo está bem melhor do que este outro, a não ser pela ausência temporária de imagens.

Ver tambémEditar