Abrir menu principal

Desciclopédia β

A Força do Querer

Cquote1.png Só assisto pq fiquei sabendo que a protagonista mostra o rabo Cquote2.png
tarado sobre Ritinha
Cquote1.png Sereia não tem rabo, tem cauda! Cquote2.png
Ritinha respondendo o punheteiro de plantão
Cquote1.png Nossa, todo mundo acaba indo morar no mesmo bairro Cquote2.png
pessoa sarcástica sobre uma das inúmeras coincidências da novela
Cquote1.png Daijoubu mãe, daijoubu! Cquote2.png
Yuri falando japonês pra sua mãe

A Força do Querer é uma novela da Globo sobre os efeitos alucinógenos causados pelo consumo excessivo de Tucupi, e outras iguarias estranhas do Pará. Por causa disso, todos os personagens desta milésima novela global parecem viver chapados. Além de retratar problemas sociais importantes como o atual crescimento de otakus pelo Brasil.

Ritinha e seu pai

Índice

SinopseEditar

Tudo começa em uma cidadezinha que tem apenas 4 ou 5 casas, no interior do Pará, ou seja lá só tem matagal e rio. Ritinha é uma doida que acha que é sereia, mas na verdade ela apenas tem delírios constantes devido aos banhos de erva (você sabe bem que tipo de erva...) exagerados.

Ela é noiva de Zeca, mas depois que Ruy, um playboyzinho que vive as custas do pai, aparece lá e fica interessado em come-la tudo isso muda. Ela acaba dando para ele, assim como fez com todos da cidade minúscula em que mora.

Apesar da fama de puta da noiva, Zeca ignora os avisos contantes de que é corno, mas depois de pegar Ritinha roçando o bacalhau com Fiuk..ops Ruy fica puto e leva um pé na bunda de Ritinha, que prefere ficar com o playboy rico.

Com fama de corno, e com medo de zoações por parte dos 9 ou 10 habitantes da cidade, Zeca acaba se mudando para o Rio de Janeiro, onde encontra uma policial gostosa para satisfazer seu fetiche por cacetetes.

Ritinha acaba engravidando pois não sabe da existência da tão famosa camisinha, ela cogita que o filho é de Zeca, mas como da pra todo mundo, não tem certeza. Então ela tem a genial ideia de dizer que o filho é de Ruy, apenas pra dar o velho golpe da barriga no otário ricaço. Ele acaba tendo que assumir a criança, e se casa com Ritinha, que consegue executar seu plano com sucesso.

Já no outro núcleo, Bibi, uma aluna de direito que tem os olhos maiores que sua bunda, acaba descobrindo que seu marido é traficante e consequentemente acaba entrando no mundo do crime pra tentar manter seus consumos exagerados e sua vidinha de classe média alta.

No núcleo dos ricos, Eugênio e Joyce são dois coroas ricos e sexualmente frustrados. Joyce não tá nem ai pro marido, apenas pro dinheiro que ele proporciona. Já Eugênio achou uma puta mulher chamada Irene (Débora Falabella) para comer e mesmo assim o banana tem dúvidas se trai ou não sua esposa interesseira.

A filha deles, irmã de Ruy, Ivana (Carol Duarte) é outra doida, que tem uma rejeição por seu corpo feminino, querendo assim virar uma Thammy Gretchen da vida.

Ainda no núcleo dos ricos, Silvana (Lília Cabral), esposa de um advogado rico, pão duro e superestressado Eurico (Humberto Martins), é viciada em jogo e gasta dinheiro apostando até mesmo em jogo de bulita. Ela tenta incessantemente esconder o problema de rico vicio em jogo do marido, que é o típico mão-de-vaca.

 
Cosplay padrão Globo de qualidade

Coincidentemente a mãe de Ritinha se muda para o Rio e vai morar num barraco no mesmo bairro de Zeca, o corno. Não tendo onde cair morta, Ednalva vai morar com Cândida (Gisele Fróes), mãe de Jeiza, que esta noiva de Zeca. Sim, é tudo uma graaaande coincidência.

Esse, na verdade, era pra ser o núcleo engraçado da novela, pois conseguiram meter um velho chato, pai de Zeca, Abel (Tonico Pereira). Além da cara de cachaceiro profissional, barrigudo e um porre, esse velho não serve pra nada na novela, apenas tenta fazer graça. Só tenta, pois não consegue.

A novela conta com um personagem fracassado, que com certeza foi colocado para atrair o público jovem, nerd e otaku. Yuri (Adriano Alves) nada mais é do que um pirralho viciado em Dragon Ball e que nas horas vagas passa vergonha faz cosplay de Goku.

PersonagensEditar

Ritinha (Ísis Valverde) é uma maluca garota que morava em um pequeno vilarejo do quinto dos inferno Pará. Ela acredita ser uma sereia (sim, é isso mesmo que você leu) e que é filha de um boto (sim, o animal mesmo). Bom, obviamente ela é uma doida de pedra, porém é bem gostosinha e por isso todo mundo do vilarejo já experimentou o seu pirarucu.

Zeca (Marco Pigossi) é o típico bonzinho, ajuda todo mundo e é muito honesto com seu caminhão caindo aos pedaços. Por causa disso, é corneado sempre, e também adora encher o saco de sua atual noiva Jeiza, é mais corno que o Tufão de Avenida Brasil.

Ruy (Fiuk) é um playboy com cara de mendigo. Ele era noivo de uma patricinha, filha dos amigos de seu pai, mas quando ele vai pro cafundó do Judas acaba conhecendo Ritinha. Depois acaba se fudendo tendo que assumir uma criança que nem é dele.

Jeiza (Paolla Oliveira) é uma policial que gosta de pagar de mazona e que luta MMA. Ela gosta de ser independente, mas depois acaba cedendo a sua xota mão para Zeca, o caminhoneiro corno. Mas o que ela não sabe é que Zeca tá mais interessado em seus colegas de MMA...

Cibele (Bruna Linzmeyer) é uma patricinha mimada que era noiva de Ruy, mas acaba sendo trocada por uma esquizofrênica que usa um rabo de sereia nas horas vagas. Ela simplesmente não aceita o fim de seu noivado, e por isso vira uma espécie de vilãzinha da novela, planejando uma vingança contra seu ex-noivo. Durante a novela ela aparenta ter uma leve propensão a psicopatia, o que revela que Ruy tem um gosto muito duvidoso para mulheres.

 
Cibele depois de ter um de seus ataques e comer giz de cera azul

Bibi (Juliana Paes) é uma retardada que simplesmente achou normal seu marido garçom ter dinheiro suficiente pra poder comprar um carro, um celular moderno e uma casa com salário de garçom.

Rubinho (Emilio Dantas) é um traficante, marido de Bibi e que é tão burro que conseguiu ser preso. Fez tudo isso pra conseguir manter os luxos da sua esposa, que preferia ignorar todos os sinais de má índole de seu marido.

Ednalva (Zezé Polessa) é a mãe igualmente maluca de Ritinha. Ela acredita ter sido seduzida por um boto (sim, já disse que é o animal mesmo) e que por isso engravidou, ou seja, ela tava regada na cachaça no dia e algum malandrão comeu e rapou fora, dando origem a Ritinha.

Eugênio (Dan Stulbach) é um advogado rico, pai de Ruy e casado com uma dondoca fresca. Sexualmente frustrado e o típico otário, ele é o esteriótipo perfeito do famoso Banana.

Joyce (Maria Fernanda Cândido) é uma perua que praticamente mora dentro de shoppings e lojas luxuosas. Ela não sabe fazer mais nada além de falar sobre roupas, jóias e outras baboseiras de gente rica. Passa o tempo todo infernizando a vida de sua filha, que se veste como uma sapatona. Depois que Ritinha vai morar em sua casa, acaba achando outra pessoa pra infernizar.

FinalEditar

 
Possível final do Yuri.

E como nada de ruim dura pra sempre, a novelinha terminou graças a Deus com um desfecho de gosto duvidoso, desagradando alguns de seus 2 ou 3 telespectadores assíduos.

Como de praxe em todas as novelas globais, seu final teve o bom e velho clichê "felizes para sempre" onde todos os problemas dos personagens se resolvem nos primeiros 15 minutos do capítulo final.

Entre eles, a dupla de cornos Ruy e Zeca, que acabaram a novela de uma forma bem clichê, típica de filme pastelão dos anos 80. Os dois trouxas acabam assumindo a criança, e levam um pé na bunda de Ritinha, que acaba virando uma prostituta de luxo em Las Vegas, e se vestindo de sereia nas horas vagas como sempre.

Jeiza, a policial cabra macho e lutadora de MMA, termina com Caio (Rodrigo Lombardi), o secretário de segurança com cara de ator porno. O desfecho dela foi o típico final pra agradar as velhas gordas e sexualmente frustradas que assistem a novela, ou seja, Jeiza acaba voltando pra Zeca, o corno. E claro, Caio acaba voltando pra Bibi. Casais esses que estavam juntos no início da novela e a autora por falta de criatividade e preguiça de escrever algo melhor, resolveu juntar novamente só pra agradar meia dúzia de bêbados pançudos e velhas aposentadas que são 99% da audiência da novelinha.

Rubinho, o traficante tão mau quanto os ursinhos carinhosos, acaba assassinado por um traficante rival com nome de passarinho em uma cena deprimente digna de vergonha alheia, com direito a slow motion e closes sofríveis nos rostos inexpressivos dos ditos cujos.

Cibele, a patricinha rejeitada por Fiuk, acaba protagonizando uma das cenas mais vergonhosas de toda a novela. Ela acaba casando...COM ELA MESMA. Sim, é isso mesmo que você acabou de ler. Ela produz uma festa de casamento inteira para casar-se consigo mesma. Demonstrando assim que ainda continua a mesma esquizofrênica de sempre.

Ivana, a Tammy Gretchen, consegue finalmente retirar seus seios, mas o resultado é imperceptível, já que a mesma sempre foi uma tábua de passar roupa mesmo.

O resto do elenco não faz diferença alguma, já que são todos inúteis e sem graça, sem nenhum apelo popular e com finais óbvios como em qualquer outra novela.

Mas como morreu à Irene, a vilãzona da vez?, você deve estar se perguntando. Bem, ela teve um final bem idiota, mas não custa comentar. Bem quando todo mundo estava correndo atrás dela, ela cai no fosso de um elevador de estacionamento, depois de... tomar um susto com o Yuri e sua turma do cosplay. Isso mesmo. No final das contas, quem acaba ajudando a salvar o dia é o rapaz que se diz ser Goku. Precisamos dizer mais alguma coisa?

Trilha sonoraEditar

Vol. 1Editar

Traz Marco Pigossi como Ritinha e Ísis Valverde como Zeca. O repertório musical de 18 músicas musicais foi lançado em maio de 2017 e vendeu 3990 de suas 4000 cópias. Conta com grandes nomes da MPB e da música internacional de outros países. Marcam presença Caetano Veloso, Marisa Monte, Michael Bublé, entre outros.

  1. O Quereres - Caetano Veloso (com novo arranjo para a abertura)
  2. Sereia - Roberto Carlos (dizem as más línguas que Roberto não estava muito inspirado quando compôs esta canção)
  3. Te Faço um Cafuné - Mariana Aydar (do grande Dominguinhos)
  4. Coração Baleado - Wesley Veadão
  5. Eu Sei Comer Cocô - Marília Merdonça
  6. Boto Namorador - Dona Onete
  7. Pra Você - Roberta Sá
  8. Flor do Ipê - Marisa Monte
  9. City - Kristen Marie
  10. True Colors - Cyndi Lauper (famoso tema para a Ivana)
  11. Nobody But Me - Michael Bublé
  12. Sua Metida - Fafá de Belém
  13. Deixa eu te Amar - Agepê (da trilha da novela Vereda Tropical)
  14. Para Uso Exclusivo da Casa - Dhi Ribeiro (da trilha da novela Lado a Lado)
  15. Tem que Chupar que é Gostoso - Xande de Colunas
  16. Tintintim por Tintintim - Diogo Nojeira
  17. I Hate You, I Love You - Gnash feat. Olivia O'Brien
  18. Darkness and Light - John Legend e Brittany Howard do Alabama Shakes

Vol. 2Editar

Lançada em agosto de 2017 após o volume 1 (Não me diga...), traz na parte da frente Paolla Oliveira como Jeiza e traz na parte de trás (muito boa essa!) a Bibi Perigosa. Com 17 faixas, 14 são boa música e 3 são lixo, portanto, podemos concluir que o CD tem na verdade 14 faixas, e que esse número vem depois do 13 e antes do 15. Também tem músicas brasileiras do Brasil e canções internacionais de outros países, assim como o 1o. CD.

  1. Despacito - Luis Fonsi (mas não naquela versão reggaeton)
  2. Caçadora - Lucy Alves
  3. UP&UP - Coldplay
  4. Fading Away - Adam Naas
  5. Sign of the Times - Harry Styles (ex-vocal do One Direction. A mais foda do disco!)
  6. Não Quero te ver Despida - Mumuzinha
  7. Bibi Perigosa - Anitta
  8. Cheguei na Pemba - Ludmilla
  9. Rei Solano - Mestre Solano part. Sebastião Tapajós
  10. Simples Assim - Lenine
  11. Eu te Amo - Chico Buarque & Telma Costa (declaração de amor?)
  12. Dom de Iludir - Nana Caymmi
  13. Mande um Sinal - Djavan
  14. Olha - Alcione (a Marrom!)
  15. De Toda Cor - Renato Luciano com as participações afetivas de (PREPARE-SE!) Ney Matogrosso, Oswaldo Montenegro, Laila Garin, Elisa Lucinda, Paulinho Moska, Pedro Luís (sem a Parede), Emílio Dantas e Léo Pinheiro (ufa!)
  16. Waves - Dean Lewis
  17. Blame - Calvin Harris feat. John Newman (do maravilhoso álbum Summer Eletrohits 2016)

Vol. 3Editar

Não foi lançado pela Som Livre, mas foda-se.

  1. Altos e Baixos - Elis Regina
  2. Carimbó/Sinhá Pureza/Carimbó do Macaco - Liah Soares
  3. Curió do Bico Doce - Gonzaga Blantez
  4. Doce Pimenta - Maria Rita
  5. É o Amor - Maria Bethânia (da novela Suave Veneno)
  6. Eu Sempre te Traí (When I was Your Man) - Punheteiros do Arrocha
  7. I Kissed a Girl - Katy Perry William Fitzsimmons (no último capítulo final que encerrou a novela)
  8. Meu Coração é Brega - Fafá de Belém
  9. Rio 40 Graus - Fernanda Abreu
  10. Se você Pensa - Pitty (tema para Jeiza)
  11. Shape of You - Ed Sheeran (de seu mais novo CD, ÷)
  12. Singular - Anavitória
  13. Trilha sonora de Cemitério - MC Koringa
  14. Vem Morena - Dominguinhos