Abrir menu principal

Desciclopédia β

A Mulher Faz o Homem

A Mulher Faz o Homem ou O Homem faz a Mulher ou então chamado pelos gringos como "Mr.Smith Goes to Washington" é um filme antigaço, feito lá pela época do onça quando o guaraná ainda nem tinha sido destampado (e a tua avó também).

O filme foi um dos primeiros a ter o título alterado quando foi traduzido pelos estúdios Herbert Richers, que existe desde a época das cavernas. Dizem que, graças à alteração do nome, ele não fez sucesso aqui no Brasil, e apenas os mais aficionados em cinema Cult gostam dele.

Índice

SinopseEditar

 
Smith após ter se dado conta que a mulher dele havia aplicado o golpe do baú nele.

O filme conta a história do Mr.Smith (o babaca que seria o personagem-título do filme) que é um caipira burro de algum fim de mundo dos Estados Unidos. Mr.Smith era um modesto deputado que possuía humildes terras de 50km quadrados inutilizados, sendo que ele prezava principalmente pela inutilização das terras e também nos cadáveres de suas mulheres mortas, enterradas em seu quintal.

Após muito ter ficado sem fazer nada como deputado, alguns poderosos do governo querem que ele vire Senador dos Estados Unidos, pois acharam que ele era caipira e burro o suficiente para ser um bom fantoche e bode expiatório do governo.

Mr.Smith só se dá conta que caiu em uma cilada quando s políticos mandam toda a cocaína e prostitutas mortas para sua casa, fazendo ele cagar tijolos.

Mr.Smith deve então, começar a combater os políticos, pois eles estavam fazendo ele trair os princípios mais básicos que ele prezava: que eram o fato das pessoas não o fazerem de bobo e também pelo fato dele se chamar Mr.Smith, quando o filme sugere outra coisa.

CuriosidadesEditar

  • O filme faz parte da biblioteca do congresso americano (E daí?)
  • A ironia da citação acima está justamente na trama do filme, que envolvem caipiras burros que viram fantoches do governo, prática muito comum nos Estados Unidos e no congresso americano.
  • Embora o filme se chame "A Mulher faz o Homem", quase que nenhuma mulher aparece nessa porra de filme e na trama, se uma mulher aparece, certamente ela não terá muita relevância.
  • O filme foi banido pela Alemanha Nazista. O motivo? Talvez por causa do título, pois Adolfinho exigia que a mulher passasse rupa enquanto o homem ficava com seus amantes.
  • Por ter sido feito em uma época em que mimimis não eram permitidos, o filme foi chamado de antiamericano, devido ao fato de mostrar como o governo dos EUA era. De qualquer modo, filmes "antiamericanos" são elogiados atualmente.

PrêmiosEditar

Ganhou vários prêmios de consolação, mas foi um dos poucos filmes que não decepcionou o roteirista que foi despachado durante o processo de produção do filme. Sim, A Mulher Faz o Homem ganhou o oscar de "melhor roteiro original", finalmente valorizando roteiros fracassados que existem largados por aí.

Ver tambémEditar