Abrir menu principal

Desciclopédia β

A Noite Triste

Inquisicaoespanhola.jpg

¿¿¿Porque no te callas???
No robe los picassos de A Noite Triste o la Santissíma Inquisición lo mandará para el colo del capeta!!!

Speedy González.jpg ¡Canta y no llores!

Esta es más una de las porquerías que viénen del México, como la Televisa, El Chavo del Ocho, Thalía y Moderatto. Lo autor está en una cantina en Tuxtla comiendo tacos con jalapeño y guacamole.

Cortez chorando embaixo da árvore d'A Noite Triste

A Noite Triste foi um episódio histórico importante (muito chato por sinal) no qual Alberto Cortez, o conquistador da velha carcomida (que depois conquistou o México), chorou embaixo de uma árvore. Aos brasileiros burros, esse acontecimento só foi importante porque o Professor Girafales deu uma aula muito completa.

HistóriaEditar

A Noite Triste foi uma batalha entre um grupo formado pelas tribos do Vale do México - astecas, chichimecas, karatecas, discotecas, bibliotecas, hipotecas e os melecas - contra os espanhóis. Quando os astecas, principal grupo da batalha, viram uma águia comendo um cacto, tiveram que pegar-te bruto ao rei do local, porque estavam em seus demônios.

Como a principal atividade dos astecas eram as partidas de futebol (que eram praticadas no Estádio Azteca, até que houve um terremoto e colocou o templo abaixo), os espanhóis queriam subjugar os astecas pra poder dominar a área. O principal jogador do time, Cuauhtémoc "Malta Cevada" Blanco, não participou d'A Noite Triste porque estava fabricando cerveja.

Nesta batalha futebolística, os astecas e seus asseclas enfrentaram os espanhóis, liderados por Alberto Cortez, cantor de tango e futebolista que vive descendo a lenha, que chorou na árvore e por isso tal episódio foi chamado de A Noite Triste. Antes disso, Cristóvão Colombo havia estado na América, mas não chorou nem quando queimaram suas costas. Já Cuauhtémoc "Malta Cevada" Blanco teve os pés queimados, e por isso não pôde mais jogar futebol.

Depois que Cortez colocou o primeiro pé no México, colocou também o outro pé, afinal ele não estava brincando de Saci Pererê. Porém, levou um sacode dos astecas, ficou bem #chatiado e teve que chorar as mágoas embaixo de uma árvore, o que deu o nome à toda a batalha entre os indígenas mexicanos e os conquistadores. Depois que chorou na árvore n'A Noite Triste, Alberto Cortez compôs a música "Minha Árvore e Eu" (Meu pai e eu contemplamos a estrelinha do espaço iluminando as coisas!). E depois disso, dizimou os astecas e finalmente conquistou a velha carcomida, que era mulher do Cuauhtémoc, que no fim das contas ficou sem a sua velha carcomida e ainda teve os pés queimados. Cortez ainda levou de brinde o México.

Ver tambémEditar