Abrir menu principal

Desciclopédia β

A Polegarzinha

Viking dinamarca.jpg Denne artikel er dansk!!

Este artigo é relacionado ao primo menor da Escandinávia! Apesar de já ter dominado os dois no passado, quer muito ser como a Noruega quando crescer e odeia suecos.

Recomenda-se que você desligue o computador e vá brincar com Lego.

Polegarzinha em um threesome com uma abelha e uma borboleta.

A Polegarzinha é um conto de fadas criado pelo escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, o mesmo autor de outras viagens alucinógenas como A Pequena Sereia e O Patinho Feio. É uma das poucas histórias literárias em domínio público que não sofreream apropriação cultural em forma de filme da Disney.

ApariçãoEditar

 
Polegarzinha relaxando entre um sequestro e outro.

Era uma vez uma mulher velha, feia e mal comida que desejava muito ter filhos, mas como já estava na menopausa, não tinha mais como emprenhar. Ao invés de procurar uma criança órfã para adotar em algum orfanato, a imbecil preferiu fazer um pacto satânico com uma bruxa e deu a ela sua alma em troca de uma semente que, segundo a bruxa vigarista, se fosse plantada e regada todos os dias, faria germinar uma flor com uma guria retardada dentro. A idosa seguiu direitinho as instruções e realmente deu certo, nasceu uma tulipa que dentro tinha uma pirralha do tamanho de um dedão. Por este motivo, ela foi batizada por sua mãe de Polegarzinha.

Certa noite enquanto dormia, Polegarzinha foi sequestrada por uma sapa que desejava arrumar uma esposa para seu filho. Claro que a garota recusou o casamento, e com a ajuda de outros animais como peixes, aves e borboletas, consegue escapar do seu cárcere. No entanto, a liberdade dura pouco, e logo Polegarzinha é novamente sequestrada, desta vez por um besouro, que também deseja casar-se com ela. Como os outros insetos a consideram uma baranga por ela não ter antenas e apenas duas pernas, o besouro desiste e a manda para a casa do caralho.

Sem ter para onde ir, Polegarzinha vira mendiga e sai batendo de porta em porta em busca de esmola, até que conhece uma ratazana do banhado que a convida para morar com ela. Em princípio, a menina desconfia que a rata é mais uma candidata a sua pretendente, mas na verdade ela é uma cafetina que a vende para uma toupeira macho feiosa, esta sim querendo transformá-la em sua cônjuge.

No dia de seu casamento arranjado com a toupeira, Polegarzinha é salva por uma andorinha que já a havia ajudado anteriormente, e promete a ela que a levará de volta para casa. Porém, no meio do caminho, Polegarzinha encontra o Pequeno Polegar, e ambos se apaixonam à primeira vista.

Polegarzinha finalmente aceita se casar, já que desta vez seu noivo não é um bicho esquisito, e descobre que na verdade é a princesa das fadas, sequestrada pela bruxa má. E assim, todos viveram felizes para sempre.

Putarias indiretamente relacionadasEditar