Abrir menu principal

Desciclopédia β

A Rush of Blood to the Head

Charlemagne-4.jpg Este artigo se trata de um álbum

E provavelmente tem só duas músicas que prestam.

Conheça o resto da playlist clicando aqui.

Cquote1.png WTF? Cquote2.png
Qualquer um sobre capa do CD

Cquote1.png Capa CD inspirada em mim cabeça! Cquote2.png
Índio sobre capa do A Rush of Blood to the Head

Cquote1.png !mublá rohlem osson res iav essE Cquote2.png
Chris Martin sobre o CD durante as gravações de A Rush of Blood to the Head

A Rush of Blood to the Head é um álbum da banda Coldplay, conhecido por ser um sucesso comercial que fez com que as gurias retardadas da idade da sua mãe (eles eram os Jonas Brothers da década passada) e algumas mais novas virassem fãs da banda além de xingar loucamente toda e qualquer coisa que falasse mal da banda. Todos conhecem esse CD como aquele da música do piano irritante ou da que Chris Martin anda de marcha num clipe depois de um acidente de carro (quem mandou drilar a blitz da Lei Seca?). De resto, todos esqueceram desse CD já que os posers da banda preferem Viva la Vida ou Mylo Xyloto ou até algum álbum do Snow Patrol pensando que é do Coldplay. Bom, tudo música sonolenta mesmo...

Índice

O CDEditar

 
Eis a capa do álbum. Uma espécie de cocar, ou um pedaço de machado, mas, se for olhar bem, é só mais uma capa meia boca de CD

Depois de lançarem Parachutes, um CD que todas as músicas eram lentamente iguais com apenas palavras e nomes diferentes (você demora pra perceber pois dormiu na primeira música), o Coldplay tinha planos mais ambiciosos para o futuro. Numa época em que ainda não havia 4shared e que o Radiohead ainda era uma banda depressivamente famosa, o Coldplay decidiu tentar usar o máximo de sua criatividade nesse álbum, ou, pelo menos, mudar um pouco o ritmo das músicas cujas letras conduziriam qualquer pessoa normal ao sono ou a um sentimento de inveja por não conseguir andar de trás pra frente em slow motion.

Eles sabiam que se fizessem mais um CD em que só uma música fizesse sucesso, eles seriam pra sempre como a banda do amarelo (não vêem que Snow Patrol até hoje é a banda dos olhos abertos e que Blur é a banda da caixinha de leite?), portanto, tiveram que tentar de algum jeito fazer sucesso. Daí Chris virou uma versão 2.0 de Bono Vox fazendo doações milionárias para o Tele Ton e as guitarras de fundo tinham que ter um som ao menos enjoativo, tipo o de The Edge no U2. Nisso surgiram músicas menos lentas como Politik ou God Put A Smile Upon Your Face. Mesmo assim, parecia pouco.

A ideia era fazer desse CD uma obra de arte, algo super diferente. Por isso uma música que tem um nome que faz parecer que ela tem letra política, mas que não tem nada a ver com isso (Green Eyes parece ser mais política porque tem green em alguma parte da música, ao menos), uma cujo clipe é rebobinado, um piano irritante, um capa que lembra um cocar além de um sussuro. A capa foi inspirada em um cocar, além de parte da renda do CD (algo em torno de 0,03% das rendas) foram repassadas para índios produtores da mandioca do estado do Amapá.

A banda afirma que os ataques de 11 de Setembro foram fonte de inspiração para a produção do CD. Bom, primeiramente, se fosse inspirado nisso, o álbum seria explosivo, mortal e muito provavelmente, de puro heavy metal. Mas o mais próximo disso que conseguiu foi explodir nas paradas do mundo. Talvez os terroristas fizeram isso para tentar impedir de alguma maneira o segundo álbum do Coldplay, que sem dúvida os torra a paciência, já que um homem-bomba deprimido não vale tanto quanto um animado para morrer por Maomé.

MúsicasEditar

É, agora vamos à lista de músicas lentas e com letras quase iguais:

1. PolitikEditar

 
  GIMME LOVE OVER, LOVE OVER THIS!!  
Típica pessoa que se sente familiarizada com esses versos

Música que para muitos, tem uma função política e é uma das melhores músicas não-famosas da banda. A função política talvez seja para meninas que usam Tumblr e querem alguma música para jogar como indireta para os indies que insistem em usar aquilo para dizer que são como web designers, daí, talvez tenha recebido essa classificação. O open up your eyes repetido umas 309843875 vezes na música servem para apenas uma coisa, uma espécie de feitiço que entra no cérebro de quem ouve e fica abra bem seus olhos, diga que é nosso fã e nos ajude a ser a melhor banda de baby-rock do planeta.

But give me love over, love over, love over this é um lúcido momento de Chris Martin no final da música. É o que as gurias retardadas usam como indireta nos Tumblrs ou cantam se imaginando com o funkeiro babaca que elas tanto amam (seria o estilo playsson lele$k o que atrai indies?), além de ser aquela expressão blasé que indies gostam. Mas só porque é do Coldplay. Se fosse o Amado Batista cantando Não me dê mais amor, mais amor além disso certamente ninguém iria gostar - ou iriam fingir que não gostam.

2. In My PlaceEditar

In My Place, ou numa tradução livre, No Meu Cafofo, é uma música depressiva desse CD (qual não é? mesmo se uma tivesse o nome de I'm So Happy That I Can't Control My Big Smile And I Can't Stop Laughing seria triste se interpretada pelo ToqueFrio) que retrata o dia de Chris Martin jogando Gran Turismo no seu Playstation. Ele estava controlando seu carro mas cruzava todas as linhas que dividiam pistas, se perdeu dirigindo na contra mão cruzando linhas que não devia ter cruzado. Até que acabou quebrando o carro e tendo que ver os outros componentes da banda jogando de boa.

  Quanto tempo vou ter que esperar por isso? Quanto tempo vou ter que pagar por isso? Quanto tempo vou ter que esperar por isso?  
Chris Martin sobre fim da corrida para poder voltar a tentar jogar haha se fudeu noob!
Após mais algumas frescurinhas de Chris, ele fez todo mundo parar de jogar e fez todos ficarem putos com ele. Foi assim que ele foi rezar para que de alguma maneira Guy Berryman, Will Champion e Jonny Buckland voltassem a falar com ele como antes (o terceiro nem seria tão difícil... *caham*). E assim surgia...

3. God Put A Smile Upon Your FaceEditar

 
God put a smile upon your face!

God Put a Smile Upon Your Face. É uma das músicas favoritas de Chris, uma vez que depois de rezar e de comprar pequenos presentes como Lamborghinis e casas em Malibu, todos voltaram a falar com ele como antes. Chris acredita que foi mesmo obra da reza e que os presentinhos não tiverem nenhuma influência na decisão de seus amiguinhos. Daí, essa música foi escrita pelo mesmo, num momento mamãe to alegre porque voltei a ser paga-lanche dos meus amiguinhos.

4. The ScientistEditar

Um dos maiores paradoxos do Coldplay, uma vez que essa música não tem porra nenhuma a ver com ciência. Só se for ciência do amor, mas isso estaria mais pra Aviões do Forró, portanto, vamos seguir com a tese de que o nome foi escolhido aleatoriamente. Chris Martin anda pra trás no clipe dessa música, para muitos, porque ele queria voltar a estar dentro do carro com a mulher (há controvérsias) que havia morrido no video. Só para matar novamente, já que ela era uma vadia porque tinha falado mal da camisa branca que ele estava usando e havia comprado num feirão chique em Amsterdam.

Muitos afirmam que o acidente foi proposital, que Chris na verdade estava andando tranquilamente dando uma carona pra moça, mas que no instante em que ela falou que a roupa de Chris não fazia o estilo dele, ele deu ataqu de pelanca começou a acelerar. Maliciosamente, ele deu a entender pra garota que era brincadeira, e ambos aparecem rindo. Até o instante em que um outro carro surge e ele aproveita para capotar o carro e pular fora da janela antes que ele se ferisse também (o cara que fica lá dentro na verdade não existe, é montagem, ele já tinha saído de lá e deixou a moçoila lá dentro).

É possível ver a frieza de Chris vendo o vídeo de trás pra frente (ou de frente pra trás!?), no qual ele sai do carro tirando a jaqueta preta que usava por cima da camisa, e anda com ela pela cidade tentando fazer uma cara de serial killer que mais parecia de um bulldog raivoso. Tanto que ele passa no meio de um jogo de basquete quase que interrompendo o mesmo, num momento de coragem e que queria demonstrar superioridade. O momento em que os caras que jogavam o xingaram e correram atrás dele, e o mesmo corria igual uma gazela em vias de ser dilacerada por um leopardo, até que tropeçou e fez um ferimento na cabeça foi malandramente cortado do clipe. Por isso ele aparece mais tardiamente com cabelo grande.

5. ClocksEditar

 
Salvador Dali usou a música como inspiração para sua pintura. Os relógios estão derretidos porque segundo ele a pintura deveria ser idêntica ao estilo da música, daí, tão irritante quanto a música.

Música sem sentido, sem noção, com um ritmo irritante feita para te acordar de The Scientist e fazer você terminar de ouvir o CD. Na verdade foi uma daquelas expressões abstratas sem sentido que muitos dizem que é arte, só que nesse caso é em forma sonora. O you are devia ser completado com um xingamento de Chris à garota, mas como se rolasse um xingamento qualquer o CD não poderia ser vendido à menininhas de 11 anos (sim, elas seriam potenciais ~e únicas~ compradoras de Mylo Xyloto anos mais tarde), ficou no you are mesmo.

6. DaylightEditar

Chris Martin reflete sobre como a vida é bela, o dia é lindo, as coisas são lindas, o Jonny Buckland é lindo, tudo é lindo, está vindo a luz do dia! Bom, na verdade foi uma música puamente comercial, já que enquanto estavam em Londres, o dia era debaixo de chuva de neve, era frio pra dedéu, as coisas que estavam em volta nada mais eram que álbuns do U2 com aquelas capas estranhas e cabos de aço em volta do estúdio, o Jonny Buckland era horroroso (mas o amor é cego...) e a vida do Coldplay tava uma merda, socado nesse lugar tendo que escrever músicas que agradassem o povo.

7. Green EyesEditar

Na verdade foi uma tentativa de fazer uma música verde, algo como olho da Amazônia pra ganhar fãs no Brasil e/ou talvez emplacar essa música como tema de alguma campanha do Greenpeace, já que sabiam que naturalmente ninguém ia prestar atenção nessa música. Mas, decidiram cancelar isso, uma vez que os naturebad preferem mesmo músicas de bandas como Planet Hemp, MGMT e The Beatles, que apóiam com fervor a causa verde. Decidiram fazer dessa só outra música lenta igual às outras, só que não mudaram o nome porque toda a criatividade pra isso já havia acabado.

8. Warning SignEditar

O nome da música é sinal de alerta. Bom, originalmente era como uma sirene, pra avisar você, já sonolento depois de Green Eyes, que o CD ainda não acabou. Mas como isso não é um álbum do The Police pra ter uma sirene no meio do mesmo, desistiram da ideia e botaram uma música normal (ou não) no lugar. Bom, pelo menos no nome já deixa você alerta de que ainda faltam 3 longas músicas pra acabar o CD.

9. A WhisperEditar

 Traduzindo: Um Zumbido
Babel Fish sobre A Rush of Blood to the Head
Chris Martin queria na verdade mostrar sua popularidade com as gurias retardadas e na verdade cochichar algumas palavras carregadas de modéstia como eu sei que sou foda, podem continuar o CD, ou simplsmente um quase suspiro, pra fazer as gurias retardadas (e alguns guris também) suspirarem e assim mostrar sua força querendo entrar pro hall de homens mais sexys do mundo. Mas com aquela cara seria realmente difícil. Portanto colocaram os pés do senhor Martin no chão e fez ele cantar a música direito, uma vez que ele tentou continuar suspirando. Mal sabia ele que isso nem com Gwyneth Paltrow isso dá certo...

10. A Rush of Blood to the HeadEditar

 Traduzindo: O Sangue que Me Subiu à Cabeça
Babel Fish sobre A Rush of Blood to the Head
Simples. A mente dos integrantes da banda estava de saco tão cheio de escrever músicas iguais, que o sangue do corpo deles já estava subindo à cabeça dos mesmos, iniciando um pré-processo de explosão cerebral, o que demonstra que toda a resistência deles para fazer isso havia se esgotado. Por isso, Chris decide terminar o álbum de uma vez, talvez acrescentando só mais uma música no CD além dessa, que ele frisa que todos os movimentos que você (no caso, se referindo ao produtor da banda), acaba fazendo ele esfarelar e tudo cair na face dele (agora você entende que aquela semi-barba loira na verdade era cabelo que caiu da cabeça, parou ali e se recriou, num quase processo de re-reflorestamento), e que ele sabe os erros que cometeu, principalmente escrevendo músicas longas à ponto de ser cogitada como prova de resistência do Big Brother Brasil ouvir todo o CD sem dormir / ficar de saco cheio.

11. AmsterdamEditar

Homenagem de Chris ào único lugar em que ele pode usar a fonte de sua inspiração tranquilamente. Ou você acha que ele sempre quis cantar as músicas de modo devagar assim? Nada, é para disfarçar a lerdeza tradicional de falar de um cara cheio de maconha] na mente para criar músicas.