Abrir menu principal

Desciclopédia β

Lego-beatles-abbey-road.jpg Este artigo se trata de um álbum

E a Carla Perez já completou o dela com figurinhas da copa.

Conheça o resto da playlist clicando aqui.

Certificação Vendas
Diamond2.png
Este álbum/single recebeu disco de Diamante por
vender mais de um milhão de cópias pirateadas

Babel fish.gifTraduzindo: Avenida Paulista
Babel Fish sobre Abbey Road
Cquote1.png Eu lembro! Cquote2.png
Seu pai sobre Abbey Road
Cquote1.png Já passei por essa rua várias vezes! Cquote2.png
Ayrton Senna sobre a rua
Cquote1.png Se essa rua, se essa rua fosse minha... Cquote2.png
Pink Floyd, em sua música Another Brick in the Wall sobre Abbey Road

A capa do álbum.

Abbey Road (também conhecido pelos nomes Avenida Paulista, Rua da Amargura e Rua do Abel) foi o décimo primeiro álbum dos Bítous. Apesar de ter sido o penúltimo álbum lançado, foi o último a ser gravado. Provavelmente você não entendeu nada, não é? Eu também não.

Abbey Road foi um disco que fez o povo achar que estava tudo bem entre os integrantes da banda, que já queriam largar o John Lennon de mão por causa da energia negativa provocada por Darth Yoko, uma ameaça para as bad trips dos demais. Porém a coisa estava preta: Brian Epstein, o amante secreto de Lennon, havia morrido e os Beatles brigavam até para saber quem os iria empresariar. Não sabiam eles que era mais fácil resolver a questão jogando truco ou Jan-Ken-Po. John queria que a Yoko Ono empresariasse os Beatles, Paul queria que ele mesmo fosse, afinal ele (achava que) era O CARA, George sugeriu o Mahareshi Yogi e o Ringo... bem... o Ringo sugeriu que um porco seria o melhor empresário. Você pergunta "um porco?" Pois é, Ringo devia ser meio doido...

A intenção dos músicos era gravar um álbum como nos velhos tempos, onde eles tinham que se preocupar apenas com as dorgas que seriam usadas e não com as esposas dos integrantes, estes que já não aguentavam mais comer sushi, tofu e baiacu, comidas tipicamente de você sabe bem quem eu estou falando.

Foi neste disco que Jorginho Hare Krishna mostrou que sabia compor alguma coisa. Depois de anos debaixo da sombra de Lennon e Paul McCartney, criou coragem e meia-dúzia de músicas, jogou lá para ver o que dava e até hoje tem gente que lembra dessas canções e as canta como bêbados. O disco ficou conhecido também pela sua clássica capa. A cena ficou famosa mundialmente pela sincronia e o andar de robô dos músicos.

Como foi dito acima, Abbey Road foi o último disco gravado, pois imagine despedir-se com um disco bobo, chato, feio e cara-de-mamão como Let It Be? Pois então, assim surgiu o álbum, para que no ano seguinte o Let It Bee (Bzzz...) fosse lançado com a desculpa do fim da banda para justificar a sua má qualidade. Tsc tsc.

CapaEditar

 
Abbey Road na visão dos fãs de conspirações e também dos agentes do FBI.
 
Primeira tentativa de tirar a foto da capa da Rua Abreu. George, seu sacana! Quando é que você vai andar na linha?

  Deveríamos estar gravando o disco, e não posando pra fotos idiotas!  
John Lennon sobre a capa de Abbey Road

A capa de Abbey Road é uma das mais famosas e ilógicas de todos os tempos. Nela vemos os quatro Beatles atravessando a rua, onde Lennon está vestido de padre, Ringo de freira e George de mendigo, pois esta foi a única roupa que sobrou para ele. Já Paul... ei, este não é o Paul! Ele aparece vestido de anjo, só que um anjo que fuma é estranho... Bem, os caras do Black Sabbath conheceram 3 que fumavam, então tudo bem. O fato é que este fake do Paul é destro, fumando com a direita.

Muitos acreditam que a fotografia contenha também supostas mensagens ocultas que nos fazem parecer que alguém morreu... Claro que isso não é verdade, pois não se pode mais acreditar em marketing. Ainda mais um marketing tão sem noção... Ué, Paul está morto mesmo??? Procure cabelo em ovo comigo:

  • Ao fundo da imagem, existe um fusquinha em um nada bom estado de conservação, que carrega a placa LMW 28IF. LMW significa Lesbian Master World, que seria o mundo que João Lemos sempre imaginou. Já 28IF seria Informação Falsa Nº 28, informações que o FBI guardava a sete chaves sobre a vida de João. Mas Paulo descobriu essas informações, motivo por qual ele teria sido morto (ou não).
  • Paul está de pés descalços, o que prova que ele tinha uma baita frieira na época.
  • Os Furos na Parede - Na contracapa do álbum existem furos na parede que formam o número 3, o que poderia representar a frase "3 Beatles". Mas sabe-se apenas que esses furos foram tiros dados por 3 membros do Comando Vermelho que passaram pela Rua Abreu. Se ele não pagar, nem eu! O carro de polícia na beira da estrada, que parecia atender a uma ocorrência, estava atrás do CV.

Veja mais detalhes sobre isso aqui.

IntegrantesEditar

MúsicasEditar

 
Os personagens da Vila Sésamo também vieram juntos, agora mesmo, depois de mim.
 
Capa fodida essa.
  • Come Together

Você já começa o álbum dormindo. Com uma letra tão nonsense quanto tomar banho de roupa, diz que o povo deve se unir, coisa que não acontecia com os Beatles naquele momento. Entendeu? Com certeza você não entendeu Porra Nenhuma

  • Something

A obra-prima de George Harrison. Se você já estava com sono desde a primeira faixa do álbum, esta música apenas piora o seu estado. Uma das três faixas do álbum que não foi composta pelo vocalista de óculos ou pelo baixista emo.

  • Maxwell's Silver Hammer

Canção que mais parece marchinha de criança. Criada no tempo em que Lennon e McCartney ainda brincavam de pegar no martelo. Segundo o Wikipédia, Ringo Estrela tocou bigorna nessa música, acredite se quiser.

  • Oh! Darling

Música mais brega que qualquer outra, que critica a vida dos dalits da Índia. Aos 1:13 pode se notar a participação especial de Ray Charles, o velho cego mais versátil de todos os tempos. Foi feita para que Paul pudesse praticar seus gritos sem que sua voz caísse.

  • Octopus's Garden

Composição do nosso nobre baterista country. Fala sobre a vida do Lula Molusco, que gostava de roubar pedras para colocar no seu lindo jardim na Fenda do Biquíni. É tão animada quanto as canções anteriores, e um dos temas principais do National Geographic.

  • I Want You (She's So Heavy)

A música mais longa dos Beatles, com 7:45 de muitos gritos. Na verdade a maior música deles deveria ser Ovulação nº 9, porém essa não conta, por ser da Yoko. Mais uma composição do querido John, que estava voando em uma viagem quando a compôs. Fala sobre o desejo de John em comer uma mulher gorda.

  • Here Comes the Sun

Mais uma obra de Georginho. Ela diz que o sol está vindo e você que tá dormindo, acorda que vem mais!

  • Because

Essa música é extremamente tensa. John a compôs pensando no chifre que levou de sua mulher. Com ecos mais sinistros que o Ringo se olhando no espelho, esse hit teria tudo para se tornar o tema de abertura do Scooby-Doo.

  • You Never Give Me Your Money

Hit criado por Paul, que nunca havia recebido o dinheiro das dívidas de truco de seus amigos. A partir dessa música começa o que muitos chamam de "Abbey Road Medley". Muitos dizem que sua mensagem é cantada de Paul para John, ou de John para Paul, quem sabe?

  • Here Comes the Sun King

Uma música totalmente sem sentido e sem documento criado por John e Paul depois de usarem uns comprimidinhos, onde eles misturaram palavras em inglês, espanhol, italiano e dialetos do Reino do Cogumelo. Coisa de viciado!

  • Mean Mr. Mustard

Uma faixa que mais parece Elvis Presley do que rock progressivo. Homenagem ao Senhor Cabeça de Batata do Toy Story. Fala sobre um velho pau pão-duro que escondia notas de dinheiro no rabo nariz para não pagar seus impostos.

  • Polytheme Pam

Uma paulada de polietileno. Criada por John após visitar um casal de indianos que gostava de transar dentro de um saco plástico com um travesti. Novamente, coisa de viciado!

 
O atual banheiro de Paul McCartney.
  • She Came in Through the Bathroom Window

Tem uma mulher no banheiro, deixa ela lá! Vai saber o que ela está fazendo... Muito provavelmente essa mulher deve ser alguma japonesa qualquer, que invadiu a mansão de Paul à procura de sushi, mas nada foi confirmado.

  • Golden Slumbers

As canções alucinógenas já foram. Volte a dormir e tenha sonhos dourados.

  • Carry That Weight

Música sobre a vida dos coveiros, que devem carregar peso por toda a vida. A mensagem central é: "Carry that weight! Carry that weight! Use drugs, yeah!"

  • The End

Música que era para ser o fim. O fim do álbum. O fim dos Beatles. Mas não foi. Por que? Sei lá, pergunta pra Yoko Ono aquela puta desgraçada. A música apresenta um mol de gritos, um solo de bateria de 16 segundos de Rildo e uma frase miguxa que encerra o disco, mas essa canção representa o fim da banda, não acredita em mim? Você pode ver que o disco vai acabar agora e...

  • Her Majesty

A famosa música escondida de Abbey Road. Mais curta que canto de passarinho, ela trata dos fetiches de Paul McCartney em relação à inegável beleza da rainha da Inglaterra, coisa de adolescente mesmo. Muitos não sabem, mas essa música nem deveria estar no álbum: sua inclusão no disco foi uma traquinagem do assistente de gravação, que estava indignado com o salário que vinha ganhando.