Abrir menu principal

Desciclopédia β

Abdon Batista (Santa Catarina)

Luís Henrique da Silveira.jpg Se quésh quésh, se non quésh, dish!

Este artigo é catarinense! Já entrou em coma alcoólico na Oktoberfest, sabe o que é boi-de-mamão, tem um poster do Guga e pensa que é alemão!

Venha para o lado barriga-verde da força você também!

60px-Bouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Abdon Batista (Santa Catarina).

Cquote1.png Eu cobrei uma alto taxa para que o meu nome seja publicado nesta cidadezinha, he-he. Cquote2.png
Abdon Batista sobre Abdon Batista

Abdon Batista é um município brasileiro do estado de Santa Catarina, em homenagem a um grandioso ladrão corrupto político catarinense.

Sua história

 
Um dos índios coitados

A região onde hoje está o município de Abdon Batista foi povoada inicialmente por uns índios coitados que vieram dos campos próximos. As terras férteis à margem dos rios atraíram, em 1920, os alemães que habitavam a Grande Florianópolis e que expulsaram aqueles Cablocos na terra, só para se enriquecerem por lá (ou não). Na mesma época chegaram grupos de italianos oriundos do Rio Grande do Sul para ajudá-los na exploração até não restar mais nada de riquezas naturais, o que explica a grande pobreza existente naquela cidade. A cidade foi distrito de Campos Novos e teve sua primeira igreja dedicada a Nossa Senhora da Saúde, para ser a única forma em ter saúde, através na fé. O nome é uma homenagem ao governador Abdon Batista, que não gostou muito de principio que botassem o seu nome, até que o convenceram e ele aceitou de boa.

A sua localidade

Dizem que essa cidade é próximo ao bairro da Puta que Pariu. Mas na verdade, a principal via de ligação de Abdon Batista com o resto do estado é a BR-470, muito longe daquele bairro que vai pra puta que pariu, apesar de ficar um pouco distante da cidade como foi dito. Vindo por esta rodovia, seja do litoral ou do oeste, seguir pela BR-282 por 17 km (trecho não-pavimentado) e em seguida tomar a SC-456, cheios de buracos e crateras nessas estradas. Para quem vem do Rio Grande do Sul, entrar na SC-458 ou SC-455 (há um trecho sem pavimentação) e com alguns cadaveres expostos em relevos, por isto toma muito cuidado para quem for dirigir naquele local (ou não).