Acidente de moto


Cquote1.svg Você quis dizer: Jeito tosco de morrer? Cquote2.svg
Google sobre acidente de moto

Cquote1.svg Você quis dizer: Trollado pelas leis da Física? Cquote2.svg
Google sobre acidente de moto

Cquote1.svg Olha a batiiiiida!! Cquote2.svg
Milton Leite sobre acidente de moto

Cquote1.svg Sacaneei! Cquote2.svg
Deus sobre acidente de moto

Cquote1.svg A preferência é do motociclista. Cquote2.svg
Rota 666 (estrada para o inferno) sobre acidente de moto

Cquote1.svg Um corpo em movimento permanecerá em movimento até que outro corpo o detenha. Cquote2.svg
Isaac Newton sobre acidente de moto

Cquote1.svg Oh, my God! They killed Kenny! Cquote2.svg
Kyle sobre acidente de moto

Cquote1.svg You bastard! Cquote2.svg
Cartman sobre citação acima

Cquote1.svg Viu só. Mais vale seguir o código! Cquote2.svg
Portuga da campanha pelo uso do capacete sobre acidente de moto

Cquote1.svg Say a prayer for me... Cquote2.svg
Jack Black sobre acidente de moto

Cquote1.svg Você vai morreeeeeeer! Cquote2.svg
Tiririca sobre acidente de moto


Acidente de moto é um tipo especial de acidente em que a superexposição do piloto é explorada ao máximo pelas circunstâncias, proporcionando um nível de lesão e um risco de morte que não pode ser igualado por nenhum outro tipo de acidente envolvendo veículos, excetuando-se talvez acidentes envolvendo ônibus ilegais com motoristas sonolentos e aviões com pilotos despreparados (ou preparados demais).

Por que diabos isso acontece?Editar

Existem muitas teorias sobre a real causa dos acidentes de moto. Uma delas, a mais aceita, é a de que é por vontade de Deus. Segundo essa corrente teórica, é o desejo do Todo-poderoso que o motociclista se fodaseja testado ao limite para verificar se este é merecedor de entrar no Reino dos Céus. Quando o motociclista morre, certamente é porque ele merecia tanto ir para o céu que Deus resolveu mandá-lo pra lá mais cedo. E o fato é motociclista motoboy abusa muito,um motoqueiro burro desatento invade a contramão e bate de frente com a carreta...E depois que morre a mãe do desgraçado motoqueiro pergunta...Por que será que ele morreu? Ele era uma menino tão bom...


Outra teoria é a de que os acidentes de moto são causados por um infeliz conjunto de coincidências. A junção entre leis da Física, Leis de Murphy e leis de trânsito é um tanto quanto explosiva e pode causar ferimentos, contusões, fraturas, amputações, invalidez, coma e, em casos extremamente infelizes, morte.


Há ainda aqueles que acham que acidentes de moto são culpa dos pobres motociclistas, que geralmente são as maiores vítimas dessas fatalidades tão divertidas de assistir mas tão desagradáveis de vivenciar.


Para tentar sair desse impasse mexicano, um estudo profundo está atualmente sendo realizado por diversas universidades dos EUA, conjuntamente com a NASA e a equipe de P&D da Honda, para detectar as reais causas e possíveis soluções para o problema crescente destes nefandos acidentes de moto.

Tipos de acidente de moto:Editar

Existem categorias nas quais dividir e classificar os acidentes de moto, para facilitar sua compreensão e estudo. São eles:

1. ToupeiragemEditar

 
"Típico motociclista em acidente de moto

A toupeira é um bicho cego. E alguns motoqueiros agem como toupeiras no trânsito. Objetos pequenos e de difícil visualização, como ônibus, caminhões, muros de concreto, rios, lagos, penhascos e outros são causadores de inúmeros acidentes nas estradas do Brasil e também do resto do mundo. Não há solução para este tipo de acidente, apesar de alguns estudiosos apontarem que aumentar o rigor nos exames de vista poderia salvar muitas vidas nas estradas, algo que os fabricantes de óculos e lentes de contato apóiam irrestritamente.

2. BarbeiragemEditar

Se não bastassem as toupeiras que não enxergam onde está o problema que os levará à morte ou à cadeira de rodas, ainda há aqueles que vêem muito bem e acham que por isso estão seguros. Esses são um perigo: ultrapassam pela direita (às vezes ultrapassam por cima ou por baixo, caso a ultrapassagem pela direita falhe); cortam a frente de veículos maiores ou com maior velocidade, se espremem em espaços nos quais nem um fio de spaghetti poderia passar sem uma boa dose de manteiga para dar uma lubrificada; ignoram os limites de velocidade só porque as placas são placas e não policiais...


A barbeiragem é sem dúvida um problema. O sujeito sai da moto-escola (eso ecziste?) achando que se formou cabeleireiro e costureiro, cortando e costurando a torto e a direito, e ainda reclama quando seu crânio vira um pastel no guard-rail da BR-101...


3. Pressa de tirar o pai da forcaEditar

Tem motociclista que acha que é o coelho branco da Alice e está sempre atrasado. Destaque vai para os motoboys, que têm prazos tão apertados para cumprir suas viagens que, em alguns momentos, o prazo de entrega chega a expirar antes do horário do pedido. Isso força os condutores dessas máquinas da morte com duas rodas a empreenderem verdadeiras corridas contra a morte para chegar a seus destinos o mais breve possível.


Em alguns casos, tragicamente, eles conseguem chegar mais cedo ao seu destino: o túmulo.


Acidentes deste tipo geralmente são espetaculares, com motociclistas voando e dando piruetas desordenadas, com direito a capacete voando (com cabeça e tudo) para um lado e corpo (com ou sem membros) voando para outro. São acidentes que, quando filmados e upados no YouTube alcançam 1.000.000 de visualizações em duas horas.


4. AzarEditar

O clássico "na hora errada, no lugar errado". O motociclista está ali, 100% de atenção no trânsito quando de repente, é prensado contra um muro por uma carreta ou esmagado pelas rodas impedosas de um ônibus, sem sequer ter alguma culpa. É o cúmulo do azar.


Acidentes desse tipo geralmente resultam em morte. E geralmente só o motociclista que não tinha nada a ver com a história é que sai prejudicado, porque num acidente envolvendo uma moto e qualquer objeto maior e mais pesado que ela, a desvantagem é da moto.


5. Falha mecânicaEditar

Sabe aquela pecinha que tava meio solta, mas que você não dava a mínima? Aquele parafusinho que não tava enroscado até o final, mas que parecia estar preso o suficiente? Pois é, meu camarada... como diria alguém, merdas acontecem. Aquela coisinha insignificante para a qual você não ligava resolveu deixar de ser insignificante - e na pior hora possível!


Acontece quase sempre do mesmo jeito. A roda se solta numa curva fechada a 150km/h numa estrada molhada; o freio falha bem no momento crucial de evitar uma batida fatal contra alguma coisa contundente e perigosamente próxima; o espelho retrovisor cai na estrada segundos antes de poder permitir ao condutor enxergar o caminhão desgovernado vindo por detrás... em suma, falhas mecânicas são uma merda!


Para prevenir esses acidentes, basta levar a moto ao mecânico com uma frequência menor que cinco anos e ficar atento a qualquer coisa solta, mal-encaixada, enferrujada ou perigosamente fora do lugar. Isso pode salvar sua vida ou ao menos impedir que ela fique pior do que já é, em cima de uma cama comendo de canudinho ou numa cadeira de rodas cagando dentro de um saco.

6. Vão-se as motos, ficam-se os motoqueirosEditar

Esse tipo de acidente para quem é apaixonado por moto (como todo motoqueiro) é pior que qualquer outro. Imagine só: você acaba de perder o controle de sua moto, que acaba de ser esmigalhada por um Volvo V12 a 180km/h na pista adjacente, mas você está ileso e assiste a tudo sem conseguir reagir.

 
  Oh, Deus, por que ela e não eu?  
Motoqueiro sobre acidente de moto

Seu sonho de 200 cilindradas que ainda nem foi pago está agora reduzido a uma coisa retorcida e fumegante que nem de longe se assemelha a uma motocicleta e tudo que você pode fazer é chorar e desejar ter sido você e não ela a ter esse desfecho trágico, já que ainda faltam 30 prestações e você foi unha de fome e não fez seguro.

7. Motoqueiros e animaisEditar

Como se não bastassem os riscos de acidentes envolvendo o motoqueiro e carros, ônibus, caminhões, carretas, tanques de guerra:, muros de contenção, blocos de granito caídos na rodovia e coisas do tipo, ainda há o perigo iminente da colisão com animais.


Acontece sempre do mesmo jeito, o animal parece se materializar a partir do nada bem diante da motocicleta, numa situação tal que impeça qualquer reação para desviar ou ao menos minimizar os danos.


Há uma variedade incontável de animais que podem surgir na pista, e a ocorrência deles depende diretamente do local em que se está trafegando. Ruas e avenidas de grandes cidades trazem os cachorros, estes amáveis bichinhos que adoram se atirar na frente de veículos para causar acidentes e que vêem nos motociclistas as vítimas perfeitas. Em estradas interioranas ou na zona rural de qualquer cidade, a fauna varia em tamanho e grau de periculosidade, indo desde ratos do banhado (o clássico ratão, um rato do tamanho de um gato grande), capivaras, galinhas, patos e outros que não causam muito dano, mas também aparecem cavalos, ovelhas, bois, búfalos e afins. Nesse caso o motoqueiro está, definitivamente, escalado para o papel principal (e fatídico) num acidente de moto.


O resultado, quanto maior o animal e o azar do motoqueiro, é desastroso em níveis inimagináveis. Pode ir desde um tombo até morte instantânea do animal (qualquer um dos envolvidos).

8. Motos e vegetaisEditar

É, não é brincadeira. Não são apenas os animais que causam acidentes, mas também os vegetais contribuem para tornar a rotina de um motociclista em uma verdadeira aventura. Árvores tendem a se atirar na frente de motocicletas em alta velocidade com o intuito de causar a morte de seus condutores, numa demonstração de total desprezo pela vida humana. São tão perigosas que muitos motociclistas as temem mais do que aos azuizinhos da EPTC.


9. Atropelamento de pederastaspedestresEditar

Se não bastasse os animais já mencionados, o animal humano também é uma causa fatídica de acidente. Geralmente não são fatais, mas causam lesões, danos na motocicleta e, acima de tudo, deixam o motoqueiro puto da cara. Sempre é igual: o motoqueiro está prestes a cruzar um sinal fechado para economizar preciosos 2 minutos para ganhar um extra na entrega e BUM! Lá se vai um babaca (ou mais de um) todo arrebentado para o Pronto-Socorro. Normalmente a motocicleta sofre danos mínimos, mas em alguns casos, principalmente quando o pedestre atingido é gordo, há o risco de perda total, portanto recomenda-se fazer um seguro ou, ao menos, tentar ter o máximo de cuidado para não atropelar ninguém.


Esse tipo de acidente é muito incentivado por jogos de videogame como Grand Theft Auto, que motivam o atropelamento de idiotas no meio da rua como forma de obter bônus, mas, bem, na vida real o único bônus que se pode obter de um atropelamento é uma ida à delegacia para prestar esclarecimentos ao delegado.


10. Natureza, essa mãe desnaturadaEditar

  O que mata é a umidade.  
El Cuarteto de Nos sobre acidente de moto

Se não bastassem animais, vegetais e minerais, há uma última causa de acidentes de moto que deve ser levada em conta nas estatísticas dada a gravidade de seu impacto no tocante à redução populacional dos motociclistas: a ação impiedosa da Natureza e suas intempéries climáticas meteorológicas.


Chuva forte atrapalha a visibilidade e deixa a pista molhada e escorregadia, perfeita para transformar curvas em matadouros, pois um deslize pode ser o diferencial entre chegar em casa e não chegar a lugar nenhum.


Neblina é outro vilão. Transforma a paisagem num mar branco-acinzentado, no qual é indistinguível um caminhão de um carro, um penhasco de uma saída lateral para a cidade vizinha e um rio de uma plantação de milho. De repente, você acha que está indo no caminho certo, no outro, está rolando barranco abaixo, sem entender o motivo. Culpa da Natureza.


Ventos fortes também são causadores de acidentes de moto. Quanto mais rápido, mais o vento atrapalha, dada a infeliz relação entre as leis da física e o azar do motocilista. Um sopro de mau jeito de um vento mal-intencionado e lá se vai o pobre motociclista direto para a pista ao lado, exatamente no mesmo momento em que aquele exato local estava prestes a ser ocupado por uma carreta de 12 eixos transportando toras de madeira. O resultado, bem, é o de sempre. Chuva de meteoros mata também, mas só se pode dizer isso em teoria, já que em toda a história do motociclismo e dos acidentes de moto nunca houve um só caso registrado de acidente envolvendo meteoros. Raios, erupções vulcânicas, terremotos, tsunamis e outros desastres naturais também são um problema, mas não vamos ir tão longe, não é mesmo?

Consequências mais comuns de acidentes de motoEditar

Os acidentes de moto geralmente desencadeiam eventos muito semelhantes entre si, todos seguindo um padrão rigoroso que parece ser pré-estabelecido. O motoqueiro sempre se dá mal, mesmo quando sai ileso. É perseguição, diria alguém. É azar, diria outro alguém. É imprudência, diriam as campanhas da TV. O que importa é que acidentes motociclísticos causam estragos e eis aí a lista dos mais frequentes:

  • Fratura na perna (ou várias fraturas na perna ou nas duas pernas);
  • Fratura no braço (ou várias fraturas no braço ou nos dois braços);
  • Fratura na costela (ou em várias costelas ou em todas elas);
  • Traumatismo craniano (com ou sem miolos saindo);
  • Amputação do braço (ou dos braços);
  • Amputação da perna (ou das pernas);
  • Amputação da cabeça (essa é fatal);
  • Esmagamento do braço (ou dos dois braços);
  • Esmagamento da perna (ou das duas pernas);
  • Esmagamento do corpo;
  • Esmagamento da cabeça (com direito a miolos no asfalto);
  • Perfuração no abdômen (uma ou mais de uma com direito a tripas saindo ou ao menos esguichos abundantes de sangue);
  • Queimaduras (em caso de incêndio ou explosão);
  • Desintegração (em caso de explosão mais violenta como no caso da colisão com um caminhão-tanque lotado de gás propano;
  • Destruição da motocicleta (para o motoboy essa é a pior...);

Entre outras mais ou menos graves do que as supracitadas.


 
Prova de que um acidente de moto pode acontecer com qualquer um.

Como se proteger?Editar

Em 4 palavras: NÃO ANDE DE MOTO! Na motocicleta, o pára-choques é o condutor. Não tem escapatória, não tem reclamação. Ao montar numa moto, você automaticamente está assumindo o risco de morrer ou ficar inválido, porque a qualquer momento algo pode dar muito errado e você vai, sem sombra de dúvidas, se dar muito - muito mesmo - mal.

Estatísticas de acidentes de motoEditar

  • A cada vez que você respira, um motoqueiro morre em acidente de moto em algum lugar (pare de respirar, seu assassino de motoqueiros!);
  • Metade das mortes no trânsito são de motoqueiros; a outra metade é culpa deles;
  • Estatísticas provam que a partir dos 70 anos de idade, a chance de morrer em um acidente de moto caem vertiginosamente, atingindo valores próximos a 0 a partir dos 85 anos de idade (alguém aí já viu um velhinho de 90 anos motoqueiro?);
  • Acidentes de moto contribuem sólidamente para o controle do crescimento populacional, sendo provavelmente a única coisa que impeça, atualmente, a população mundial de dobrar a cada ano;