Abrir menu principal

Desciclopédia β

Adelaide é o nome da minha sogra é a capital da Austrália Meridional, para onde vão os australianos para morrer, o que justifica a grande quantidade de igrejas, cemitérios e idosos nessa cidade.

Índice

HistóriaEditar

 
Um Portal Inter-Dimensiaonal para o Dark World aberto em Adelaide. Neste caso, vemos um centauro do Dark World deixando o portal para espalhar herpes pela cidade. Embora seja mais provável que o pobre centauro pegue novas doenças...

Adelaide foi fundada em 1836 pelo Sir Williams Light que projetou a cidade para ser a capital da Austrália e pelo visto falhou miseravelmente, pois eu já vi errarem a capital da Austrália falando até Sydney ou Melbourne, mas Adelaide nunca.

A cidade teve então que se contentar com o título de "capital cultural da Austrália", é claro que os únicos que dizem isso são os próprios habitantes de Adelaide, os demais australianos estão nem aí para Adelaide.

EconomiaEditar

A economia dessa cidade é algo que não merece menção. Tem umas industrias, uns comércios, uns prédios bonitos. O dinheiro vem mesmo dos preços absurdos que estudantes advindos de países subdesenvolvidos como o Brasil se prestam a pagar.

EducaçãoEditar

Lá está a renomada Universidade de Adelaide que atrai gente de todo mundo para aprender métodos de ser eficiente em diversos tipos de serviços mesmo sob o efeito de substâncias alcoólicas ou psicotrópicas.

TurismoEditar

 
Típico monumento aleatório que pode ser encontrado em Adelaide.

O que mais chama atenção ao turista que chega em Adelaide é o incrível fato dessa ser a cidade com o maior número de semáforos do mundo, e todos quase sempre vermelhos, valendo mais a pena você se locomover sendo carregado por um velho manco com osteoporose do que de carro.

Depois que o turista descobre que deve andar a pé, ele pode visitar as inúmeras igrejas da cidade, são 25,7 catedrais por quilômetro quadrado, lugar para orar é o que não falta. Embora Jesus tenha ficado triste em saber que muitas das igrejas deram lugar a pubs, o caso mais repercutido foi a Catedral Anglicana de St. Peter the Catholic Penguin, que foi reformada em 1979 reaberta como Sexy Papers Night Club.

Outro ponto de interesse é o lisérgico Festival Theatre, um deslumbrante exemplo da arquitetura contemporânea embriagada de Adelaide.

Tem umas praias também, mas só vai para lá quem for careta e não estiver na Sexy Papers Night Club.