Abrir menu principal

Desciclopédia β

Adoniran Barbosa

Bandeira do Estado de São Paulo.svg.jpg Eaew, jhow! Este artigo é paulista: não gosta de gaúcho nem de carioca e se acha um puta trabalhador, né, meu! E não tá completo, pois o vacilão foi tomar um chôps e dois pastel, meu!
NewBouncywikilogo.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Adoniran Barbosa.
Adoniran tomando noku uma cerveja.

Cquote1.png Conheço! Cquote2.png
Berlusconi sobre Adoniran Barbosa

Adoniran Barbosa, muito comumente confundindo com Doutor Roberto, foi um humorista, ator, diretor, poeta, filosofo, pequeno príncipe e líder de operários de Santo André.

BiografiaEditar

João Rubinato Adoniran de Barbosa, nasceu no interior de São Paulo, filho de imigrantes Italianos de Veneza, teve uma educação de gentil-homem, aprendendo desde cedo os valores do trabalho. Seu pai Ferdinando, era um alcoólico anônimo assumido, sua mãe Emma teve que trabalhar em Cabaré como camareira pra poder ganhar o sustento da família. Aos dez anos, Jãozinho começou a trabalhar como engraxate na principal praça de Valinhos, mas devido a um acidente com um posto de "tiro ao árvaro", teve que se mudar indo pra outro fim de mundo, Jundiaí. Abandonou a escola muito cedo, pois preferia ficar com os seus sete irmãos, duas primas, quatro sobrinhas e duas irmãs postiças. Em Jundiaí, aos quatorze anos, Adoniran foi vender marmitas, e começou a usar de seu pensamento malandro roubando frações da comida, sempre achando que os clientes e/ou o dono do restaurante não desconfiariam de nada, estava meramente enganado e nessa época teve sua primeira coça policial.

Início da CarreiraEditar

Adoniran, agora mais velho, com seus 20 e poucos anos, decide tentar ser ator de teatro, o que foi um Epic Fail, já que ele era extremamente feio para o teatro. Depois de muito tentar, e ver-se-á portas fechadas, Adoniran desiste de vez do teatro e parte pras Rádios, usando de artifícios da década de 1930, começa a fazer o primeiro programa de rádio humorístico do Brasil. Sendo então Adoniran considerado um dos percussores da Desciclopédia o que o leva comumente a ser confundido com o patrono Dr. Roberto. Como ator de rádio, Adoniran faz sucesso imitando Sérgio Mallandro, Faustão e um político atrapalhado italiano, mas logo, veio a ideia genial de começar a ler poemas de Caio Fernando Abreu, subseguindo Adoniran resolveu testar seus talentos pra cantar, plagiando alguns sambas de sucesso da época, foi aprovado em um programa de calouros.

Sucesso e declínioEditar

Adoniran alcançando sucesso com o plágio, passou a compor sua própria música, e compôs a música que em qualquer roda de samba se faz presente: Trem das Onze. Adoniran ganha um copo d'água e um parabéns pela música e continuando pobre, o grupo Demônios da Garoa re-gravam a música e ela faz um sucesso tremendo no Rio de Janeiro, sendo o hit do verão de 1951. Virando hit de verão, meses depois, Adoniran cai no ostracismo, agora velho e com enfisema pulmonar (leia-se: Esperando pra peidar pro muzenga) começa a ficar semi-louco vendo bonecos de madeira. Em casa, trancando com sua mulher, Matilde, cansado de não poder beber, Adoniran começa a rever toda a sua obra e re-escrever várias músicas e poemas de Oswald de Andrade. Em 1982, Adoniran passa dessa pra melhor, e deixa saudades no peito de paulistas desavisados.