Abrir menu principal

Desciclopédia β

Alexandre Severo

Romanopre.jpg ROMANI ITE DOMVM!!!

HÆC ARTICVLVS ROMANVM EST. LATIM LOQVÆBITVR. NON INTERLEGIT? HVMORIS PRIVATVS NON EST. MVITISSIMVS ENGRAÇATVS! SED ROLA MEAM VADE MAMARE! VADE FŒDERE CVM PORRIBVS NOSTRVM.

Spqrpre.jpg


NewBouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Alexandre Severo.


Marco Aurélio Alexandre Severo, (em latim, Marcuzus Oréliuszus Alexandreuszus Severeuszus), ou para os mais íntimos Alexandre Severo (não O Grande) foi o último imperador romano dos Severos. Não que os outros após este tenham sido bonzinhos, mas ele foi o último Severo, de sobrenome apenas, pois este era mais mole que gelatina. Fez o que quis de 222 a 235, quando, por motivos de força maior, morreu.

BiografiaEditar

 
Isso foi tudo o que sobrou de Alexandre após a revolta militar.

Filho de Julia Mamaê e Gessé Marcianus e neto de Julia Mamãeeuquero. Na verdade, Alexandre nem deveria ser imperador, mas como seu avó era um velho pilantra, Alexandre foi adotado por seu primo Heliogabaluduszaum, o então imperador, tornando-se assim, o herdeiro do trono romano.

Quando criança, Alexandre era muito querido por todos os interesseiros seus amigos, pois era aquele que sempre tenta agradar à todos, pagando lanche, pagando mico e convidando para festinhas em sua casa. Enfim, se ele não era querido por todos, comprava a simpatia de muitos.

Tornou-se imperador aos 13 anos, após seu tio ser morto pelos soldados que descobriram as intenções do então imperador em desfazer o exército e montar uma companhia de balé artístico com os soldados. Mas apesar da pouca idade, Alexandre Severo foi condecorado com o Pater Patriae (traduzindo esses termos em au-au que você com certeza não entende: Pai da Pátria) pelo Senado, que o fez somente por medo. Claro que os senadores não são idiotas, e como Alexandre era querido pelo exército, eles ficaram do lado do mais forte para não correrem risco de serem assassinados.

Ao contrário do sobrenome, Alexandre era muito calmo, calmo até demais para ser um imperador. Alexandre Severo não era, nem de longe, mais severo que seu bisavô, o imperador Sétimo Severo, que era um monstro em severidade e malvadeza. Dizem as más línguas, que Alexandre só eras severo mesmo com seus filhos, tendo dado uma camada de pau em todos os filhos, e que uma vez, por terem desobedecido a uma ordem dada por ele, os castigou mandado todos pra palmatória, colocando chapéu de burro em todos eles e finalizou jogando álcool em gel na cabeça deles.

Como imperador, Alexandre deu uma forcinha para os cristãos, removendo algumas leis que os discrimava, mas as leis que obrigavam a morte dos sequidores de Cristo foi mantida, como prova de honra do seu sobrenome. Nomeu como Ministro da Justiça Optimus Prime, um famoso justiceiro alienígena.

Casou-se com Barbie Albina, uma das moças mais lindas e gostosas de Roma. Mas por ter se casado com ela, ele perdeu todo o apoio que tinha, tanto político quanto do exército, visto que todos os políticos e militares queriam casar com Barbie Albina, e somente Alexandre foi capaz copular com esta bela dama.

A MorteEditar

 
Alexandre Severo morto. Mas sempre bem vestido.

Por ter casado com Barbie Albina e por muitas, inúmeras, infinitas vezes preferir comprar ou pagar algo para seus adversários ao invés de lutar como homem, Alexandre desagradou ao seu exército e comprou briga com todos os seus até então aliados.

Por todas essas atitudes, Alexandre foi brutalmente assassinado pelos militares após ter afirmado que ele era quem mandava em todos os romanos, inclusive neles, e como prova disso, havia se casado com a mulher mais linda e cobiçada da época, afirmando sua superioridade e beleza e que era problema dele se ele dava presentes ao seus inimigos. Isto causou grande revolta em todos os presentes, que não pensaram duas vezes e partiram pra cima (ui!) de Alexandre, matando-o. E assim termina a história da dinastia Severiana, ou se preferir, dos Severos.

Ver tambémEditar

Precedido por
Heliogábalo
 
Imperador Romano

193211
Sucedido por
Maximino Trácio


Imperadores Romanos

Júlio-Claudianos
Otávio AugustoTibérioCalígulaCláudioNero

Guerra Civil e Flávios
GalbaÓtonVitélioVespasianoTitoDomiciano

Antoninos
NervaTrajanoAdrianoAntonino PioMarco AurélioCômodo

Severos
PertinaxDídio JulianoSétimo SeveroCaracalaMacrinoHeliogábaloAlexandre Severo

Zorra Total ou Quem der mais leva
Maximino TrácioGordianos (I, II e III)Filipe ÁrabeDécioTreboniano GaloValerianoGalienoCláudio II GóticoAurelianoProboCaroCarino

Tetrarquia e Constaninianos ou Agora somos cristãos, Amém!
DioclecianoConstantino MagnoConstantino IIConstanteMagnêncioConstâncio IIJuliano ApóstataJoviano

Valentinianos e Teodosianos ou Corra que os bárbaros vêm ai
Valentiniano IValenteValentiniano IITeodósio MagnoHonórioConstantino IIIValentiniano IIIPetrônio MáximoÁvitoMajorianoLíbio SeveroAntêmioOlíbrioGlicérioJúlio NeposRômulo Augustulo