Abrir menu principal

Desciclopédia β

Amazonês

Amazonês, como a maioria dos brasileiros, o amazonense também tem o seu código para falar mal dos outros, algo que os estudiosos chamam de regionalidades ou expressões regionais... Enfim, serve mesmo pra falar mal dos outros sem que esses outros saibam, especialmente se não forem do Amazonas.

Índice

AEditar

  • A COMO? loc. adv. – Quanto custa? “A como tá o tucunaré?” “R$ 10 a enfiada”.
  • À LA VONTÉ exp. id. – Como queira. “Se quiser ir embora, à la vonté! E já vai tarde!”
  • A PERIGO loc. adv. – 1 Sem dinheiro. “Paga o lanche pra mim, cara, que eu tô a perigo”. 2 Muito tempo sem manter relações sexuais. "O Amaro está a perigo. Está pegando até velha desdentada".
  • A PRÓPRIA loc. adj. – A tal, a boa, a melhor. “A Ana Paula comprou um perfume francês e chegou aqui se sentindo a própria”.
  • A PULSO loc. adv. – Forçado, obrigado, na marra. “Comendo sem gosto... Parece até que está comendo a pulso”.
  • A RETALHO loc. adv. – No varejo. “Compra um real de cigarro na venda do Zé. Ele vende a retalho, o que é bom para fumante liso como eu”.
  • ABACABA s. f. – 1 Palmeira que dá frutos oleosos e comestíveis para vinho ou mingau. 2 Mentira. “O Paulinho tava lá contando a maior abacaba. Ele disse que pescou na linha cento e vinte jaraqui numa manhã”.
  • ABACABEIRO s. m. – Mentiroso. “O Dudu é um tremendo abacabeiro! Disse que o pai dele é dono da Microsoft”.
  • ABACATADA s. f. – Vitamina de abacate. “Estou morrendo de fome. Pega o leite e o abacate que eu vou fazer uma abacatada para mim”.
  • ABAFAR v. – Apropriar-se de bens alheios, afanar. “O advogado pilantra abafou a herança do cliente”.
  • ABANCAR-SE v. – Sentar. “Espere um pouco que ela já vem. Abanque-se aí no sofá, homem!”
  • ABARROTADO adj. – Cheio demais. “Tem que trocar o saco de lixo que esse aqui já tá abarrotado”.
  • ABESTADO adj. – Apalermado, imbecil, idiota, estúpido, pessoa que não entende de nada. “Não gosto dele, não. Ele é muito abestado pro meu gosto”.
  • ABESTALHADO adj. – Ver Abestado.
  • ABIO/ABIU s. m. Fruto arredondado de casca amarela, polpa gelatinosa, translúcida ou ligeiramente brancacenta, com sabor adocicado e de grande delicadeza. Encontrado em grande número em estado silvestre na Amazônia. Após comê-lo, os lábios ficam grudentos. Ver Comer abiu.
  • ABIROBADO adj. – Abestalhado. “Não confio no Guilherme pra levar os pratos lá, não. Ele é muito abirobado. Vai fazer besteira”.
  • ABISCOITAR v. – Ver Abafar.
  • ABOBRINHA s. f. – Besteira, coisa sem importância. “Pára de falar abobrinha, menina. Vê se te informas antes de dizer as coisas”.
  • ABRICÓ s. m. – Fruta de origem oriental do tamanho de uma manga grande, redondo, sabor ácido-adocicado, lembra mesmo os abricós do Oriente, de onde veio no século XVIII.
  • ABUSO s. m. – Nojo. “Peguei um abuso da Creuza. Só de olhar pra ela fico irritado”.
  • AÇAÍ s. m. – Palmeira altamente ornamental, de múltiplos troncos de até 25 m de altura, levemente curva e apresentando raízes visíveis na base, caule liso. Seus frutos nascem em cachos em número de três a oito por planta. Sua freqüência no Baixo Amazonas chega a tal ordem que produz populações homogêneas. Sua regeneração é extraordinariamente grande mesmo sendo abatida vorazmente pela indústria de palmito. Floresce quase o ano inteiro, porém predominando de setembro a janeiro. A maturação de seus frutos verifica-se durante a maior parte do ano, com maior intensidade nos meses de julho-dezembro. Altamente energético.
  • ACESUME s. m. – Enxerimento, atiramento. “Quando chega homem aqui, essas meninas ficam num acesume só”.
  • ACHAR GRAÇA loc. v. – Rir, sorrir. "Ele contou a piada e todo mundo achou graça".
  • ACHO É BOM! exp. id. – Expressão manifestando a opinião de que a pessoa mereceu o que teve. “O namorado da Alice botou chifre nela. Acho é bom! Ela também traiu o ex-marido!”
  • AÇO s. m. – Bebida alcoólica. “Ele só chega cheio do aço toda noite”.
  • ACOCHAR v. – 1 Agarrar alguém com intenções sexuais. “O Dangliney está acochando a mulher do Walter”. 2 Cobrar. “Cadê o trabalho? Não dá mais para enrolar, não. O chefe está me acochando!”
  • ACOITAR v. – Encobrir namoro de um casal.
  • ACONTECIDO s. m. – Fato. “Sei não, doutor delegado. Na hora do acontecido eu tava dormindo”.
  • ACREANA s. f. – Mulher fogosa.
  • -AÇU el. comp. – Sufixo de composição significando Grande. “No lago do Janauacá tem muito jacaré-açu”.
  • ACUAR v. – Recolher-se sem chance de defesa. “Quando chegaram todos para tirar a coisa a limpo, ele ficou acuado na sala”.
  • ACUNHAR v. – Envolver-se amorosamente.
  • ADUBAR v. – Bajular com alguma intenção. “Eu não desisto da Rosinha. Continuo adubando. Um dia eu me dou bem”.
  • AFOBADO adj. – Apressado, impaciente. “O afobado come cru”.
  • AFOLOSADO adj. – Frouxo, largo. “O parafuso não segura porque ele está cuspido e a porca está afolosada”.
  • AFRONTADO adj. – Satisfeito, cheio, empanzinado, empanturrado. “Comi tanta macaxeira que fiquei afrontada”.
  • AGÁ s. m. – Arranque, falso propósito. “O Sandro só tem agá, rapaz! Diz que faz e nada!”
  • AGARRO s. m – Ato de namorar despudoradamente com carícias corporais. “Quando passei estavam os dois no maior agarro no muro da igreja”.
  • AGONIADO adj. – Nervoso, inquieto. “O Júlio está agoniado com tanta dívida”.
  • AGORINHA adv. – Diferentemente do uso no Sudeste, Agorinha quer dizer há pouquíssimo tempo atrás, referindo-se ao passado e não ao futuro. “Ela estava aqui agorinha, mas sumiu”.
  • AGUAPÉ s. m. – Vinho ralo, com adição de água.
  • AJUNTAR v. – Apanhar o que está no chão. “Ajunta teus brinquedos e bora embora, menino”.
  • AJUNTAR-SE v. – Amasiar-se, viver junto. “A ex-mulher do Mário se ajuntou com o Walter Papagaio. Estão morando juntos”.
  • ALCOVITAR v. – Encobrir namoro de um casal.
  • ALEGAR v. – Dar algo a alguém e depois ficar passando na cara. “Se é pra alegar, é melhor pegar de volta o dinheiro que tu me emprestaste!”
  • ALGUIDAR s. m. – Vaso de barro ou de metal, baixo, em forma de tronco de cone invertido, e com diversos usos domésticos, inclusive armazenagem e na fabricação do tucupi.
  • ALMENO loc. adv. – Pelo menos. “Tu tens cinco goiabas aí. Me dá almeno uma”.
  • ALOCÉ adj. – Referente a quem anda ou está nas nuvens, avoado. “Presta atenção, Rita! Tá toda alocé hoje”.
  • ALOPRADO adj. – Exagerado. “O Lanche Filho da Fruta vende sanduíche pequeno, médio, grande e aloprado”.
  • ALPERCATA s. m. – Sandália. “Me empresta tua alpercata pra eu ir lá fora, Raoni”.
  • ALTEAR v. – Aumentar. “Altea aí a TV que não está dando pra ouvir nada”.
  • ALUÁ s. m. – Bebida fermentada, feita a partir do arroz, do milho ou do abacaxi.
  • ALUADO adj. – Chateado, emburrado. “Esse menino está aluado hoje. Não falou com ninguém, não quis comer...”
  • ALUMIAR v. – Iluminar. “Te juro pela luz que me alumia que não sei de nada”.
  • AMANCEBADO s. m. – Pessoa solteira que vive maritalmente com outra. "Ela não casou, não. Só está amancebada".
  • AMARELO EMPOMBADO loc. adj. – Indivíduo fraco, de aparência frágil.
  • AMIGAR v. – O mesmo que se amancebar. “Eles não casaram. Não. Só se amigaram”.
  • AMO-DO-BOI s. m. – Cantador de toada no Boi-Bumbá.
  • AMUADO adj. – Emburrado, mal-humorado. “Desde que a namorada deixou ele, ele só anda amuado”.
  • ANDAR NA PINDAÍBA loc. v. – Andar liso, duro, sem dinheiro. “Pedir dinheiro emprestado do Jaime? Coitado... aquele liso é pior do que eu. Só anda na pindaíba”.
  • ANDIROBA s. f. - Árvore cuja madeira é resistente e da qual se extrai o óleo (cruz-de-andiroba, carma pesado).
  • ANEL DE COURO s. m. – O ânus.
  • ANGU s. m. – Confusão. “Eu saí de lá porque tá o maior angu: todo mundo querendo brigar”.
  • ANHANGÁ s. m. – Diabo, espírito do mal.
  • APARAR v. – 1 Cortar. “Vou aparar meu cabelo hoje”. 2 Coletar o papagaio no ar, após cortar. “Ele soltou papagaio ontem. Cortou e aparou mais de dez”.
  • APERREADO adj. – Apressado, muito nervoso, sem saber o que fazer diante de uma situação difícil. "Rapaz, tô aperreado com aquele negócio da dívida".
  • APERREAR v. – Ver Aporrinhar.
  • APLUMAR v. – Arrumar. “Apluma a cama que eu vou o bebê pra dormir”.
  • APODERAR-SE v. – Apossar-se de algo sem permissão. “O pior é que se apoderou da minha camisa e diz que não devolve mais!”
  • APOFIAR v. – Apostar. “Vamos apofiar uma corrida até a igreja?”
  • APORRINHAR v. – Encher o saco. "Pára de me aporrinhar e vai dormir!"
  • APRESENTADO adj. – Enxerido, metido a besta. “Deixa de ser apresentado. Quem te deu o direito de me abraçar?”
  • APROCHEGAR v. – Aproximar-se.
  • ARAÇÁ-BOI s. m. – O cheiro adocicado característico do araçá-boi agrada logo de primeira. Com sua polpa amarelada é possível preparar sucos e doces deliciosos. O araçá-boi é da mesma família da goiaba e frutifica precocemente, já aos dois anos. As sementes apresentam dormência natural, demorando várias semanas para germinar.
  • ARAPUCA s. f. – Armadilha para caçar feita de madeira, em forma de pirâmide.
  • ARDOROSO adj. – Ardido. “A pimenta murupi é a mais ardorosa de todas”.
  • ARENGAR v. – Implicar, brigar. “Acho o Manoel um camarada muito enjoado. Fica arengando por qualquer coisinha”.
  • ARIAR v. – Lavar a louça com palha-de-aço. Quando não há, usa-se areia, daí o verbo.
  • ARIGÓ s. m. – Cearense.
  • ARISCO adj. – Pessoal difícil de envolver nos planos. “Eu tô muito afim da Luciana. Já faz um tempo que eu tento, mas ela é muito arisca”.
  • ARMADOR s. m. – Gancho para pendurar a rede de dormir. “Não vou nem levar a rede. Lá não tem armador. Nem adianta”.
  • ARMAR v. – Paquerar. “Hoje eu tô a fim de armar... vou pras barcas!”
  • ARRAIAL s. m. – Comércio de comidas típicas e atividades sócio-culturais para promover um evento ou uma causa. “Hoje tem o arraia de São Judas Tadeu”.
  • ARRANCA-TOCO adj. – Valentão. “Cuidado que o Salgadinho se acha o maior arranca-toco da paróquia”.
  • ARRANQUE s. m. – Gogó, blefe. “O Zé só tem arranque. Disse que ia me ajudar e na hora vazou da área”.
  • ARRASTAR ASA loc. v. – Paquerar, dar em cima de. “Eu acho que essa menina arrasta uma asa pra ti, gostosão”.
  • ARREDAR v. – Deslocar-se, mover-se para o lado para abrir espaço. "Arreda pra lá, maninha! Esse estofado não é só teu!"
  • ARREGAÇAR v. – Detonar, destruir. “Pegaram o ladrão lá e o povo arregaçou o infeliz”.
  • ARREMEDAR v. – Imitar jocosamente.
  • ARRENTE pron. – Pronúncia herdada dos nordestinos de A gente, nós. “Arrente vai lá com ela”.
  • ARRIAR v. – Descansar uma carga pesada sobre o solo. “Arria as caixas aí mesmo”.
  • ARROMBADO adj. – Muito bom. “Esse som do teu carro é arrombado! Foi caro?”
  • ARRUDEAR v. – Dar a volta. “Ninguém entra pela sala. Quem quiser entrar em casa vai ter que arrudear”. ; “D. Zefa, posso entrar pela frente?” “Não, arrudia”.
  • ARRUMAÇÃO s. f. – Invenção desnecessária. “Deixa como tá, Bia. Não vem com arrumação que tu vais acabar estragando tudo”.
  • ARUÁ adj. – Ingênuo. “Só mesmo uma aruá como a Zefa para emprestar dinheiro para o Zé Calote”.
  • ASA DURA s. f. – Avião. Usada na região de Parintins. “Não perco o festival por nada. Vou até de asa dura se precisar, apesar de morrer de medo”.
  • ASSANHAR v. – 1 Bagunçar, despentear o cabelo. "Pára de assanhar mais meu cabelo. Ele já tá todo assanhado!" 2 Mexer com o que está quieto. “Não assanha o menino senão ele vai querer brincar contigo a tarde toda”.
  • ASSEAR v. – Limpar, tomar banho. “Vou me assear pra dormir”.
  • ASSUNTAR v. – Ficar atento à conversa alheia.
  • ATAR v. – Pendurar a rede de dormir no armador. “Estou com sono que só. Vou atar a minha rede e tirar um ronco”.
  • ATARRANCADO adj. – Sujeito baixo, forte e maceta.
  • ATÉ O TUCUPI exp. id. – Até o máximo possível. “Rapá, tô até o toco de trabalho”. Variações: Até o talo, Até o toco, Até o tchoco.
  • ATÉ PARECE... exp. id. – Indica dúvida, incredulidade. “A Priscila vem dormir aqui?! Até parece... Ela nunca dorme fora de casa.”
  • ATENTADO adj. – Muito danado, inquieto, levado. “Esse menino é atentado!”
  • ATENTAR v. – Perturbar, aperrear. “Ei, menino! Pára de atentar o cachorro!”
  • ATOCHAR v. – Fazer entrar à força, encher demais. “O barco tinha que virar: atocharam mais gente do que cabia”.
  • ATOLADO adj. – Metido num atoleiro, em dificuldades. “Estou atolado de trabalho pra fazer”.
  • ATRÁS DE loc. prep. – Em busca de, à procura de. “Vamos atrás de cerveja que a nossa acabou”.
  • ATULEIMADO adj. – Abestado. “Se mimar muito o curumim, ele vai acabar ficando atuleimado”.
  • AVALI(E) v. – Quanto mais. “Se o Getúlio namora até mulher feia, avali(e) menina bonita”.
  • AVIAR v. – Apressar. “Avia! Senão tu vais te atrasar!”
  • AVOADO adj. – Disperso, desconcentrado. “Esse menino anda tão avoado. Acho que tá apaixonado”.
  • AZARAR v. – Ficar, namorar, paquerar. “Passei a noite toda azarando a Nelma. Mas não rolou, não. Ela é muito arisca”.
  • AZUNHAR v. – Arranhar com as unhas. “Ele tentou dar banho no gato, se abestalhou e o gato fez foi é azunhar ele todo”.

BEditar

  • BABAU s.m. - O mesmo que SABACU. Punição que um grupo confere a alguém por um malfeito. Todos batem com as mãos, ao mesmo tempo, na cabeça do indivíduo.
  • BAIXA-DA-ÉGUA s.f. - lugar hipotético; lugar pra onde se manda pessoas que estão nos chateando.
  • BANHO-DE-CUIA s.m. – Gíria futebolística: lençol; chapéu; situação em que o jogador com um leve toque passa a bola sobre o corpo do adversário e pega do outro lado.
  • BROCADO adj. - Pessoa com fome.

CEditar

  • CACHULETA s.f. – Peteleco dado com o dedo na orelha de alguém.
  • CALDO DE CARIDADE s.m. - Caldo feito com farinha para dar sustança.
  • CAPAR O GATO ou CAPAR O XANIN loc. v. - Ir embora, sair.
  • CARAPANÃ s .m. – Pernilongo.
  • CEROTO s.m. – Acúmulo de sujeira na pele por falta de banho.
  • CHIBATA adj. – Adjetivo para expressar uma coisa muito boa.
  • CRUZETA s.f. – Cabide.
  • CURICA s.f. – Espécie de papagaio (pipa) pequeno e sem tala.
  • CURUBA s.f. – Ferida.

DEditar

  • DINDIN s.m. – É o "sacolé" carioca [e o "geladinho" paulista]. Possui variações dentro do Estado.
  • DE VERA loc. adj. - De verdade.

EEditar

  • ÉGUA interj. - Geralmente usado durante uma frase provendo uma pausa de que não ficou esclarecido de alguma uma situação.

FEditar

  • FANTA adj. – Sem graça, fraco.
  • FAZER MEUÃ exp.id. – Fazer careta, cara feia, geralmente para intimidar.
  • FOLÓ adj. – Frouxo.
  • FOLOTE adj. - ver FOLÓ
  • FONAS! interj. - Interjeição usada no jogo de bolinha de gude. Quando o sujeito quer ser o último a jogar, ele grita: “FONAS !!!”

JEditar

  • JACINTA s.f. – Libélula.
  • JIQUITAIA s.f. – Pequena formiga de picada dolorosa.

KEditar

  • KIKÃO s.m. - cachorro-quente.

LEditar

  • LAVAR URUBU exp. id. – Estar desempregado.
  • LESEIRA s.f. - Leseira é um abestalhamento momentâneo que acomete o leso. Se a leseira for uma característica contínua, dizemos que o leso sofre de leseira baré. A leseira baré ocorre entre os amazonenses devido ao sol quente na moleira, que frita o cérebro e queima alguns neurônios. Dizem que todos nós, amazonenses, temos nossos três minutos de leseira por dia. Mas como tudo tem seus dois lados, dizem que o sol também causa nos amazonense algo chamado tesão de mormaço, um aumento na capacidade sexual do amazonense devido ao sol quente.
  • LESO /é/ adj. – Um leso é alguém que sofre de leseira.

MEditar

  • MACACA s.f. Amarelinha.
  • MACETA /ê/ adj. 2 gen. – Grande, imenso, de proporções anormais.
  • MAIOR PALHA - Alguma coisa que não presta, ruín.
  • MALINAR v. – fazer malvadeza gratuita [variação: reinar].
  • MALUVIDO s.m. – Mal comportado [desobediente].
  • MANGARATAIA s.f. – Nome tupi para o gengibre.
  • MANINHO s.m. – Para chamar alguém com atenção. "Maninho!!, deixa eu trabalhar em paz"
  • MONTE s.m. – Grande quantidade de algo. "Ana trouxe um monte de roupas."

NEditar

  • NÃO DOU CESSO exp.id. - Expressão que nega acesso à comida que alguém está comendo. Se alguém chegar e disser “quero cesso”, quem está comendo tem de dar. Mas se o comedor se antecipar e disser “Não dou cesso”, aí morreu. Sem chances de beliscar.

OEditar

  • OSGA s.f. – Lagartixa branca com os olhos pretos, que anda pelas paredes da casa.

oxí credo que isso

PEditar

  • PAID’ÉGUA adj. – Algo ou alguém muito bom, muito legal.
  • PAVULAGEM s.f. – Empáfia, abestalhamento, orgulho besta.
  • PAVOLAGEM s.f. - ver PAVULAGEM
  • PAVOLICE s.f. - ver PAVULAGEM
  • PAVULICE s.f. - ver PAVULAGEM
  • PEIA s.f. - Sova, surra.
  • PÉRAÍ OU PÉRA adv. - Aguardar ou espera um momento.
  • PETECA s.f. - Bola de gude.
  • PINCHA s.f. – Tampinha de refrigerante.
  • PIPO s.m. - chupeta.
  • PIRENTINHA s.f. vulgar – Menina com quem só se quer ter envolvimento sexual.
  • PITIÚ s.m. – Cheiro [desagradável]. Geralmente associado a peixe.
  • PLETS s.m. - ver CACHULETA
  • PUTATEBA exp. id. – Expressão de insatisfação.

QEditar

  • QUERO CESSO exp.id. – Expressão que garante acesso à comida que alguém está comendo. Se alguém chegar e disser “quero cesso”, quem está comendo tem de dar. Mas se o comedor se antecipar e disser “Não dou cesso”, aí morreu. Sem chances de beliscar.
  • QUE SÓ Adj.Int. - Expressão usada para expressar grande quantidade. "Ontem a noite nos divertimos que só!" " Eu gosto que só dela!"

REditar

  • RATADA s.f. – Mancada, pisada de bola.
  • RUPELA S.F. - esculhandada, quebrada, sem qualidade.

TEditar

  • TABERNA s.f. - Vendinha [pequeno comércio].
  • TACACÁ s.m. – Mingau quase líquido de goma de tapioca temperado com tucupi, jambu, camarão e pimenta.

VEditar

  • VEXADO adj. - apressado, envergonhado.
  • VISAGEM s.f. – Alma de outro mundo, assombração, fantasma.

XEditar

  • X-CABOQUINHO s.m. – Sanduíche de pão com queijo e tucumã, fruta regional de poupa (tegumento) alaranjada e semente rigida.

ZEditar