Abrir menu principal

Desciclopédia β

Virtualgame.jpg Ar Tonelico é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, a Samus mata uns Space Pirates.

Farnese1.jpg Made in Nihon 8T

Este é um artigo kawaii ¬¬ com tecnorogia japonesa, né? (ou não =/)
Otakus, antes de dormir, ficam pensando nisso!. >D
Mas se vandarizar, vão fazer o Gomu Gomu no Gatling Gun em você =/


Ar Tonelico
Ar tonelico logo 1.jpg
Logo de Ar Tonelico 1, quando a Gust achou que a série não ia render: colocaram a sombra da Aurica no cover, ao invés da Shurelia...
Gênero RPG/Ecchi/otakices
Desenvolvedor Gust
Publicador Banpresto
Plataforma de origem PlayStation 2
Primeiro lançamento Ar tonelico: Melody of Elemia (2006)
Último lançamento Ar Tonelico Qoga: Knell of Ar Ciel (2010)
Logo de Ar Tonelico 2, com a personagem correta desta vez
Logo de Ar Tonelico 3

Cquote1.png Você quis dizer: Ary Toledo Cquote2.png
Google sobre Ar Tonelico

Cquote1.png Ar... Tonelico... não quer dizer nada pra mim. Cquote2.png
Verdade

Cquote1.png Em Ar Ciel, os funbuns comem você! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Ar Tonelico


Ar Tonelico é igual os jogos da série Atelier, só que em vez de alquimistas miguxas retardadas, as heroínas são bonecas sexuais humanas que trabalham como cantoras em puteiros numa torre Mega-falica. Consiste em uma trilogia de jogos, dois mangás, um OVA e uma dezena de discos musicais sobre uma história mirabolante, futurística, alternativa, fashion e ecochata criada no Japão por um roteirista sentimentalóide, um desenhista discreto como uma arara, uma equipe de efeitos sonoros muito inspirada e um time de desenvolvedores de saco cheio.

Resultado: a história é bem interessante, só que com aquela veia emo típica dos trabalhos japoneses. Os cenários e os personagens são muito bem feitos, contemporâneos, impossíveis, de encher os olhos, mas os produtores não queriam trabalho extra e deixaram pros art books. Os chars dos personagens fazem eles parecerem hobbits por causa dos pés enormes. E o que salvou mesmo foi a trilha sonora.

Inicialmente o jogo foi produzido para o público-alvo feminino, aí os produtores (os mesmo que fizeram os chars-hobbits) acharam que não iam render se só mulher jogasse. Então eles decidiram colocar cenas de magic strip-tease no Ar Tonelico 3, que teve aprovação instantânea de todos os gêneros (porque a gente sabe hoje, que existe mais sexos além dos dois de praxe...).

Este artigo pretende discutir características gerais dos três games.

Índice

Geografia & históriaEditar

 
Tá explicado a qualidade musical da série

A história se passa em Ar Ciel, um planeta semelhante a Terra, em uma linha do tempo alternativa. Ao invés de bombas, as pessoas usam músicas para lançar raios da morte umas nas outras. A idéia por trás era a seguinte: se for matar o próximo, faça com emoção.

A moeda de Ar Ciel é o gold, sua economia é baseada em grathmelting (uma espécie de alquimia) e as religiões principais são o Trio de Elemia, o culto a natureza e o Consenso de Ar Ciel. Possui um calendário baseado nas posições das duas luas que rodeiam o planeta.

Naquela época, também havia uma Guerra Fria entre as duas principais nações imperialistas, Sol Ciel e Sol Cluster, que, apesar de muito distantes uma da outra, as milhas não impediam que um “amável ódio” surgisse entre as duas. E ambas as nações cantavam e dançavam pela morte uma da outra.

Em Sol Ciel, equivalente terrestre dos Estados Unidos, foi construída a primeira torre Ar Tonelico para maximizar o poder da música com um gerador nuclear-musical de energia (uma caixinha de música padrão que toca o refrão de lago dos cisnes – lembra que eu falei que em Ar Ciel a música tem o mesmo poder de uma bomba...). Essa torre foi construída através da união dos melhores engenheiros humanos com os terus (uma das raças de Sol Ciel), começou a ser construída na época em que Jesus teria vivido e só terminou 3 mil anos depois, tempo suficiente para fossilizar seus alicerces e torná-los resistentes para suportar o peso da torre. A idéia que a torre ligasse Ar Ciel até a lua Viola, mas por bem acharam melhor parar antes, pois a torre já tinha ultrapassado em muito a altura do Everest. Na verdade era tão alta que serviu de palco para as cenas finais do jogo Illusion of Gaia. Outras 2 torres foram construídas depois desta, uma em Metafalls (a Faixa de Gaza de Ar Ciel) e outra em Sol Cluster (aka União Soviética).

Bom, mas o que tem demais nessas torres? A coisa e que, em 2012 uma pessoa achou muito engraçado mexer nos cabos de alimentação principais da primeira torre.... e.... o mundo acabou nesse dia.

Cenário dos gamesEditar

 
Isso não é uma coisa que se faça em Ar Ciel, principalmente porque todas as escadas, corrimões, etc, estão a 10 mil quilômetros do chão

Era uma vez uma pessoa idiota que sabotou os cabos do aparato nuclear-musical da torre 1, causando a lenta morte do planeta Ar Ciel, o que tornou a vida impossível na superfície por causa da toxicidade que vinha da terra. Todo mundo se mudou para as torres, que são altas pra caralho, e enrabaram o sabotador até ele morrer.

Neste cenário de desolação as pessoas vivem, comem, dormem e transam sem pensar no amanhã... porque amanhã Ar Ciel morre de vez e o planeta e sua atmosfera serão desintegrados (bem ecochato, não acham?).

Mas os habitantes de Ar Ciel podem contar com suas deusas, jovens mulheres cantoras que são usadas pra caramba e que devem se sacrificar pelo bem da humanidade.

RaçasEditar

Como todo RPG que se preze, Ar Tonelico tem sua própria coleção de raças com características próprias.

 
Garotos também curtem a trilha sonora de Ar Tonelico

HumanosEditar

São os primeiros criadores de problemas da série. Dominam a tecnologia e a maioria luta com espadas e capas (com exceção do Hikari Gojo e seu kit médico – e não usa capa). Os humanos projetaram as torres e planejaram usar seu potencial energético para fins belicistas, o que é totalmente o contrário da mensagem pacifista das deusas. Aliás os humanos criaram as deusas, exploraram elas que nem cães e elas tem todos os motivos para detonar os humanos, mas não o fazem, porque precisam deles para sexo – tudo no mundo é movido por dinheiro e sexo.

TerusEditar

A tribo teru é uma raça exclusiva desse game. Todos possuem pele morena, cabelos claros, chifrinhos e usam roupas mais ou menos inspiradas nas arábias. Eles também possuem um animal que os seguem, um demônio, obtido através de pactos e que é a fonte dos poderes terus, que são diferentes do poder das torres. Alguns terus voam em vassouras.

Ou seja: árabe + ascendência antílope + pacto com o diabo + Harry Potter = teru.

ReyvateilsEditar

 
Uma reyvateil usando o poder da música

Outra raça exclusiva de Ar Tonelico. São garotas cantoras escravas, foram criadas artificialmente pelos humanos para utilizar a energia bélica da torre da melhor forma. Todas elas possuem tatuagens, chamada de installer port, por onde podem ser enfiado um pendrive para instalar todo o tipo de programa. Essas garotas são metade computador e cada uma possui um site (cosmoesfera) nos servidores da torre, que os humanos podem usar para fazer lavagem cerebral nelas. As reyvateils podem ser de alguns tipos e possuem uma hierarquia:

  • Alfas:

São do rank ANSUL, o mais alto e fodástico. Elas são imorríveis, por isso são chamadas de deusas. Existe uma alfa para cada torre, que atua como administradora da mesma. Elas também são chamadas de origens, pois de suas bases genéticas são criadas as reyvateils do tipo beta (as alfas não são anatomicamente perfeitas e não podem... você sabe. Ainda bem, pois imagina o quanto elas teriam sofrido sendo obrigadas por seus criadores a se prostituirem e parirem sem parar).

Shurelia, Frelia e Tyria são as alfas das torres 1, 2 e 3 respectivamente, embora o termo “administradora” não possa ser muito bem aplicado as duas últimas, que passaram sete séculos hibernando.

  • Betas:

São do rank FEHU ou TEIWAZ. São criadas em tanques de maturação futurísticos por meio das bases genéticas das alfas. Vivem 120 anos com cara de 16. Quando morrem elas liquefazem e não deixam corpos, então a família tem que ser rápida em posicionar os baldes para pegar a água e fornecer um funeral digno. As betas também podem ser de alguns tipos:

 
As reyvateils dedicam sua vida a música e a dança

→ Betas genéricas: são as normais, nada de estranho nelas. Só existem nas torres 1 e 3.

→ Neo betas: é uma beta genérica que sofreu lavagem cerebral. Elas são mais forte, só que também ficam psicopatas. Só existem na torre 1.

→ Gama sublimadas: aqui podemos teorizar. A fonte oficial diz que são betas modificadas para absorver as vontades de Ar Ciel (da religião do Consenso de Ar Ciel). Outra teoria é que elas são meninos com o gene y suprimido (esse gene não permite o desenvolvimento das habilidades musicais das reyvateisl). As gamas só existem na torre 3.

  • Terceira Geração:

Não possuem rank. São betas miscigenadas com humanos, com genes bagunçados e por isso não vivem muito tempo sem receberam pornô-instalações de agentes extensores de vida via installer port. As terceiras podem ser linkadas as torres ou ao servidor alternativo que flutua desprotegido debaixo da torre 2.

ModaEditar

 
Todas as roupas são assim para a alegria da garotada

O estilo das roupas, segue o japoneísmo-contemporâneo-cosplay, uma das modas mais esquisitas do Japão, que mistura as roupas tradicionais japonesas, com estilo mais futurístico e de uma forma que é impossível de ser reproduzida na vida real. As reyvateils são especialmente aficcionadas por roupas japoneístas-contemporâneas-cosplayers, como estas peças:

  • Sapato japonês com salto alto: pegaram a sandália japonesa e fizeram como um sapato. Luca Trulywaath e Finnel usam esse sapato)
  • Quimono pin-up decotado: é meio difícil de descrever, porque não é exatamente um quimono, mas também não é exatamente outro tipo de roupa. É utilizado por Finnel.
  • Roupa militar de sex shop: utilizado por Richaryosha, é um sobretudo que não cumpre a sua função de cobrir o corpo.
  • Botas até as coxas e com salto agulha: é uma bota utilizada por várias personagens. Ou é feita de material muito confortável ou a dona está acostumada a sofrer.
  • Tiara auréola: seria motivo de chacota se essa peça pertencesse a rainha Elizabeth. Vide artigo da Cloche Leytal Pastalia.
  • Camisa funbun: é uma blusa com o desenho de um funbun (o pintinho que está na predefinição da série).

JogabilidadeEditar

 
Trate bem sua reyvateil

Bem, foi escrito muita coisa, mas até agora nada de como se joga.

Bem, cada jogo tem um protagonista masculino romântico heróico. Você usa ele para explorar a torre, conversar com as pessoinhas e ele também age como vanguarda nas batalhas. Cada jogo também tem 3 reyvateils que o protagonista pode namorar, fazer lavagem cerebral ou usar para maximizar o ataque ou defesa dos vanguardas.

Os jogos possuem finais normais, bons ou ruins que dependem de seu sucesso na missão principal e de acordo com a reyvateil que você escolhe para namorar.

Outro ponto é que os personagens são pobres e tem que construir suas próprias roupas, armas e medicina usando grathmelting/alquimia.

E como é um jogo japonês, a filosofia de lá não permite muitos vilões essencialmente maquiavélicos. Todos os chefes finais são bonzinhos. Todos os personagens antagonistas são muito fortes e tem criaturas que os protegem, mas quando viram bonzinhos ficam mais fracos e perdem a proteção (vai saber...).

No básico é isso e eu consegui escrever demais.... eu disse que só a trilha sonora salvou esse game.

v d e h