Abrir menu principal

Desciclopédia β

Aracati

Aracati (5000 a.C.) é uma mal-cheirosa pequena cidade no litoral do Siará, considerada região de estudos antropológicos devido à vasta habitação da espécie humana primitiva 'Homo Neanderthalensis'. Essa maravilhosa cidade é constantemente confundida com um bordel por turistas, e por isso os seus habitantes acreditam de coração que a cidade seja um ponto turístico internacional.

Município de Puteiro de Santa Cruz de Aracati
"Terra no Meio do Nada"
Baneira.jpg Brasão de Aracati.png
Bandeira Brasão
Aniversário 25 de outubro
Fundação 25 de outubro de 1842
Gentílico aracatingulê, forrozeiro
Lema Cresça e Deixe-o
Apelidos Amor de rapariga
Localização
Localização de Puteiro de Santa Cruz de Aracati
Estado link={{{3}}} Ceará
Mesorregião Esgotão do Jaguaribe
Microrregião Praias de Aracati
Municípios limítrofes Fortim, Icapuí, Tibau, Mossoró, Baraúna, Jaguaruana, Itaiçaba, Palhano, Beberibe
Distância até a capital 150Km km
Características geográficas
Área Não disponível
População 40 mil aborígenas hab.
Idioma Não disponível
Clima Não disponível
Fuso horário UTC 99,9
Indicadores
IDH 0,0666
PIB R$ 12 BP$
PIB per capita R$ Tem não.

Cquote1.png Ô cidade pura bosta! Cquote2.png
Turista de Recife sobre aracatienses
Cquote1.png Um minuto de silêncio pra quem mora mal Cquote2.png
Christian Pior sobre aracatienses
Cquote1.png Conheço Canoa Quebrada Cquote2.png
Turistas sobre Aracati
Cquote1.png É uma bela cidade do Rio Grande do Norte Cquote2.png
Carla Perez sobre Aracati
Cquote1.png Aracati é o pulmão da economia cearense Cquote2.png
Velha desatualizada sobre Aracati
Cquote1.png Vai tomar no meio do seu Aracati! Cquote2.png
Joseph Climber sobre cu
Cquote1.png Essa porra fede a mijo no carnaval! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre Aracati
Cquote1.png Nunca deixarei meus filhos irem a Canoa, terra da perdição Cquote2.png
Mãe aracatiense, brega e metida a puritana sobre Canoa Quebrada
Cquote1.png Ele precisa é de educação!! Cquote2.png
Cristovam Buarque sobre Aracati
Cquote1.png Na União Soviética, a canoa quebra VOCÊ! Cquote2.png
Reversal russa sobre Canoa Quebrada
Cquote1.png Ainda bem que a gente se livrou de vocês Cquote2.png
Fortim sobre Aracati
Cquote1.png That's not hot Cquote2.png
Paris Hilton sobre Aracati
Cquote1.png Nada é tão ruim que não possa piorar Cquote2.png
Provérbio sobre Aracati
Cquote1.png Aracati é uma cidade importante Cquote2.png
aracatienses sobre Aracati
Cquote1.png Atoooro! Paris, Tokyo, Milão?! Forget it! Aracati?! Beeeeerço da moda! Cquote2.png
Rick Du Boiol sobre Aracati

Índice

HistóriaEditar

Em 1748 foi criado o puteiro de Santa Cruz de Aracati. Nessa época, Dercy Gonçalves tinha se perdido de uma embarcação portuguesa e aportou na vila. Com suas técnicas ancestrais, Dercy ensinou todas as putas de Aracati, e a partir de 1750, o puteiro passou a ser o mais importante do Siará.

Gente de todas as partes do mundo visitavam Aracati para conhecer as técnicas ensinadas por Dercy, entretanto, Hellcife, que mantinha o controle da sesmaria do Siará, fechou o porto para negociações, mas continuava no contrabando. Sabe-se que uma calamidade aconteceu, a conhecida Seca dos Três 7, ou seja, que assolou a região em 1777 e todas as putas morreram e Dercy fugiu pro Rio Grande do Sul para se refugiar do inferno inverno de Aracati. A economia da vila ficou muito debilitada, entretanto, o puteiro continuava a ser o mais importante do Siará. Em 1800, Siará era desmembrado de Pernambuco, e agora, qualquer gringo tarado e pedófilo poderia aportar na vila sem medo algum. Entretanto, o Rio Grande do Sul começava sua concorrência, pois Dercy também ensinou por lá.

Em Fortaleza, Iracema aprendia com os índios diversas posições sexuais exóticas e a capital, que passava apenas de um bordel de gente feia e pobre, começava a querer competir com Aracati. Em 1824, aconteceu a Confederação do Equador e as tropas dos smurfs lideradas por Tristão Gonçalves travaram uma batalha contra as tropas das marmotas imperiais. Com o fim da guerra de secessão e vitória do Império, o imperador começava a cogitar a ideia de Aracati ser transformada em capital do Siará, mas as putas de Fortaleza começaram a faturar mais, e a ideia foi jogada no lixo. O porto fechou, a vila estagnou e continua a mesma. A única mudança foi a habitação de seres europeus e estrangeiros em geral inteligentes na praia de Canoa Quebrada. O resto continua quase o mesmo.

ClimaEditar

Aracati é a única cidade do Nordeste que registra temperaturas abaixo de zero (segundo os aracatienses). Por isso todo aracatiense diz que não sobreviveria ao clima de Mossoró, Russas ou Limoeiro.

EconomiaEditar

Aracati é a segunda cidade mais antiga do Ceará e está idêntica à época da sua fundação. Cidade que se sustenta pela pesca de camarão imundo do mar poluído e por turistas que na verdade estão distantes, lá em Canoa Quebrada. Já o shopping de Aracati só tem um supermercado.

Em Aracati predomina a preguiça, as pessoas não reformam as casas, e os prefeitos não reformam as ruas. Sendo assim, o prédio mais alto de Aracati é um sobrado.

PopulaçãoEditar

Em Aracati existe uma enorme variedade de tribos adolescentes, podemos citar alguns exemplos como: forrozeiros, pagodeiros, pseudo-goticos, manos-do-reggae, swingueiros, forrozeiros, já disse forrozeiros?

Os Pseudo-Góticos-from-hell-eternamente-odiados-e-incompreendidos da cidade de Aracati são classificados cientificamente como Homo Maloqueiros Evanescencis, essa galerinha está pronta para escrever uma merdinha sobre beijos e vampiros e sentar em um túmulo e beber fanta uva, porque vinho é caro. Essa sub-raça se divide em wiccans e satânicos. O problema é que nem Satã e nem a Wicca querem saber deles, mas eles juram que são enviados da Deusa e do Demônio. Eles tem sete vidas, uma para sobreviver ao cheiro do cemitério, outra para sobreviver ao vinho barato, outra para sobreviver à vergonha interna, outra para sobreviver à vergonha externa, outra para sobreviver à maquiagem de segunda, outra para sobreviver ao calor, pois eles vivem de preto e a última é para eles sobreviverem aos escritos deles. Eles gostam de tirar fotos com a boca suja de piche, e cantar louvores a qualquer coisa que não seja cristão. Se em cidades grandes eles já são uma piada, imagine em Aracati.

A galera do forró, segundo o IBGE, corresponde a 198% da população aracatiense. Eles são típicos. Escutam as maiores merdas do mundo, as meninas se vestem como Joelma, e os meninos imitam rifles de guitarra como Chimbinha. Todo sábado, eles vão comer um sanduíche em qualquer bar podre da cidade e depois vão ao Bar do Forró fazer orgias dançar. Pela manhã, pelo menos 40% das moças acordam grávidas e por isso a população ta com 70 mil chimpanzés e é o 11º puteiro do Siará (grande coisa).

O manos do reggae, esses são de longe os seres mais interessantes. Uma mistura de hippies com bárbaros, resultando em uma combinação desastrosa. Alguns usam tocos de merda dreads, outros usam cabelo-de-cotonete e outros cortam no zero pois o que importa é o espírito, são conhecidos como bons apreciadores da erva e de Jah, se dizem seguidores de Bob Marley mas qualquer música que fale sobre paz no mundo ou sensação muito louca faz a cabeça dessa galera. Como reconhecer um mano do reggae na internet? Geralmente esses indivíduos utilizam as cores da jamaica em tudo onde for possível, e se auto intitulam galera da babilonia (não, eles nunca pegaram em um livro de historia, na cabeça deles, a civilização babilônica ainda reina).

Personalidades IlustresEditar

  • Adolfo Caminha: Escritor naturalista que ninguém conhece, que escreveu dois livros que ninguém aprecia. O primeiro, fruto de uma relação malograda com um negão, foi o 1° romance homossexual brasileiro, O Bom Crioulo. E o 2° e talvez, o único que lhe rendeu algum sucesso, mesmo que mínimo, foi baseado em seus contos eróticos também malogrados com uma estudante tesuda que abandonou tudo para ser puta do Bordel da Hebe, re-editou o rascunho publicando com o título de A Normalista. Ou seja, um tarado. Recentemente, A Normalista foi para as telonas com o nome de Amor Estranho Amor, e tentando recuperar o sucesso de antes, foi refilmado com o nome de A Bella Dona, mas não adianta você não conhece. Ninguém conhece.
  • Jacques Klein: um pianista que ninguém conhece. Consertava uns pianos, se aventurou em tocar "parabéns para você", e logo todo mundo aplaudiu. Dizem as lendas, que ele foi considerado o melhor do mundo. É autor de clássicos como: Danoninho dá.

TransportesEditar

Aracati é uma cidade tão atrasada que até hoje não chegou asfalto por lá. Enquanto o calçamento de Aracati é um amontoado de lasca de pedra e eles ainda acham que foi tombado pelo IPHAN como patrimônio artístico. É atualmente a única cidade onde as carroças transportadoras de galinhas ainda são permitidas nas avenidas.

Quanto ao aeroporto de Aracati vai ser ampliado e agora flamingos e gansos poderão visitar a cidade.

CulináriaEditar

Nota: Ministério da Saúde adverte: caso você não tenha um sistema imunológico forte, caso você não seja um dos seres "imorríveis" ou não seja cearense, não ingerir essas substâncias.


  • Sanduíche de Xicão: Prato culinário onde a alta sociedade de Aracati come no período matutino.
  • Tapioca do mercado: Prato típico dos playboys da cidade.
  • Xibel de Café: Uma mistura de farinha e café. Muito nojento por sinal.
  • Buchada: Saquinhos de buchos de bode, recheados com o próprio bode. Nota-se uma psicologia na comida que nem Freud explica.
  • Panelada: Um cozido de vísceras e de mocotó de boi. Era o prato preferido de Maria Antonieta da França, mas foi hostilizado por ela, quando ela soube que o boi que usaram era seu próprio pai. Então, o prato chegou em Aracati trazido por Hebe Camargo que fugia da Revolução Francesa.
  • Fogassa 3: Parece mais um feto de bebê aracatiense servido para playboys e cafuçus aracatienses.
  • Sarapatel: Preparado com sangue e vísceras de carneiro. Uma diliça!
  • Sorvete de 50 centavos com gosto de corante.

TurismoEditar

A cidade de Aracati é considerada como uma das cidades mais feias do mundo devido ao abandono de todas as ruas da cidade, mas mesmo assim os aracatienses ainda acham que moram em algum tipo de cidade turística.

O único ponto turístico existente e que chama alguma atenção é a praia da Canoa Quebrada, que tem esse nome porque tem canoas quebradas lá. A localidade tem vergonha de dizer que pertence a Aracati, sendo o local o ponto de encontro onde estrangeiros e manos do reggae se encontram. O único canto em que há uma noite agitada. Nos luaus, eles usam imensas folhas de maconha como lenha nas fogueiras. Por isso que todo mundo sai drogado de lá.

A Praia de Quixaba seja talvez a melhor praia, mas não há ninguém lá. Foi cogitado para cenário de Lost, mas ninguém achou a praia.

A Praia de Majorlândia, havia alguém lá, mas todos fugiram por causa da imundice da praia causada pela invasão dos Russanos todos os finais de semana com suas panelas de frango com farofa e crianças catarrentas correndo pela praia de majorrussas.

Na cidade há a Broadway, uma rua mal-iluminada e mal-cheirosa cheia de maconheiros e de turistas com suas putas menores de idade que vão para bares podres ficar viçando até o amanhecer. Única rua importante da praia de Canoa Quebrada, o nome foi uma tentativa inútil de "glamourizar" um local decadente.

Na falta de opções de pontos turísticos que não envolvam areia, há a famosa Rua Grande, uma rua torta, estreita, esburacada, sem asfalto onde só tem casas velhas e feias e os tapados dos aracatienses acham a rua mais charmosa da cidade, mas numa cidade tão feia como Aracati, ela se destaca.

No centro ainda está a Cruz das Almas. Dois pedaços de madeira podre de 80 centímetros de altura onde alunos fazem excussão até lá.