Abrir menu principal

Desciclopédia β

Armored Armadillo

Ingredientes.jpg Este artigo é da mãe Terra!

Cuidado com terremotos e vulcões em erupção. Em caso de dúvidas, assista Volcano ou jogue Quake.

Cquote1.png Você quis dizer: Rammus? Cquote2.png
Google sobre Armored Armadillo

Armadillo apostando uma corrida com seu irmão perdido, após emocionante reencontro.

Armored Armadillo é uma das primeiras criaturas animalescas robóticas a dar as caras em toda a série Megaman X, e como o próprio nome indica, trata-se de um tatu de última geração revestido com uma armadura blindada impenetrável. Esse filho de uma égua é um dos bichos mais chatos que existem ao longo do game, e nem mesmo os jogadores mais experiente tem paciência pra lutar contra o bicho sem usar sua fraqueza contra ele. Não adianta, você pode tentar atacá-lo com todo seu arsenal, esse miserável vai se defender de tudo sem que escorra uma gota de óleo suor, e de sobra, fica mais tempo rolando pelo cenário do que parado no chão. E nem adianta usar sua X-Burster carregada. Na verdade, ele até quer que você faça isso, assim ele absorve todo o dano e te devolve mil vezes mais forte, podendo acabar com sua raça em menos de um minuto. Pra completar, se você milagrosamente conseguir matar o filho da mãe, ele te dará a arma mais inútil do game, que deveria ser a fraqueza do Launch Octopus, mas que não surte nenhum efeito no mesmo quando você, bem tolo após cair no conto do vigário, tenta alegremente derrotá-lo achando que seria moleza. É claro, como ninguém é perfeito, há uma pequena possibilidade de vencê-lo sem usar a fraqueza dele, mas isso exigirá de você um rígido treinamento, muitos anos de prática, paciência e disciplina. Faz parte da 8ª Divisão Blindada do careca, e quando Sigma disse que queria pôr um fim na humanidade, Armored Armadillo simplesmente curvou a cabeça e o seguiu sem nem perguntar os motivos, como o bom pau-mandado que é.

Índice

HistóriaEditar

 
Armadillo prestes a se transformar numa Morph Ball.

Armored Armadillo nasceu no Brasil, e pouco tempo depois de ter visto a luz desse mundo pela primeira vez na vida, já teve que passar por um grande trauma: a morte de seus pais. Seus pais foram brutalmente assassinados pouco depois de seu nascimento, por uma dupla de caipiras que queria jogá-los para a panela e servir no jantar de Ação de Graças. Entretanto, seus pais eram feitos de ferro e metal, e os caipiras não tinham a receita adequada para preparar um alimento com essas características, e só se deram conta disso ao quebrarem todos os seus dentes. Assim, as partes metálicas restantes de seus pais foram empregadas para criar espantalhos robóticos, que foram colocados na horta para espantar chupacabras, alienígenas e vizinhos ladrões malandros.

O jovem Armadillo por sua vez foi escravizado pelos caipiras. Ao identificarem sua incrível habilidade em perfurar a terra, eles o obrigaram a escavar buracos por todas as sua terras para a plantação de rabanetes e nabos, que seriam vendidos a preços altíssimos para os mercados de toda a região. Pra completar, o chefe da casa sofria de TOC, e quando Armadillo fazia um buraco sequer fora de alinhamento (todos deveriam estar na mesma distância e apresentar o mesmo diâmetro, sem falhas), ele era castigado com chicotadas e com pequenos choques elétricos que afetavam seus sistemas e provocavam pequenos curtos-circuitos, o que proporcionava a ele uma dor terrivelmente insuportável. Sua vida era definitivamente infeliz.

Quando já estava sem qualquer esperança de que sua triste situação mudaria algum dia, Armadillo, em uma de suas idas a venda da esquina para comprar algumas sementes de culturas que seus chefes pretendiam iniciar em suas terras, ele acaba tendo conhecimento de um pequeno grupo de trabalhadores oprimidos pelos seus chefes, e decide se juntar a eles. Todas as reuniões aconteciam pela madrugada, o horário mais adequado, já que era o único momento que seus patrões os deixavam em paz, uma vez que a essa hora costumavam estar dormindo e roncando mais do que porcos velhos. Lá, cada um de seus novos companheiros falava sobre seus respectivos problemas, numa espécie de terapia de grupo. Quando não estavam se lamentando sobre as desgraças da vida, costumavam conversar sobre seus sonhos e aspirações para o futuro, além de jogar pôquer, buraco e dominó para passar o tempo.

 
Armadillo trapaceando no tiro ao alvo com sua metralhadora embutida na cabeça, durante uma visita ao parque da cidade.

Certo dia, cansados de na maior parte do tempo estarem confinados ao trabalho, eles chegaram a conclusão de que estavam praticamente tendo suas vidas roubadas pelas exigências e tirania de seus patrões folgados, que só o que sabiam era ficar sentados coçando o saco e aumentando ainda mais seus traseiros gordos. Não poderiam permitir que aquilo acabasse com suas vidas, e assim decidiram que sairiam todas as madrugadas para dar voltas pela cidade e se divertir em festas e outros eventos mundanos, que qualquer pessoa comum em geral costumava frequentar. Assim, Armadillo sempre dava um jeito de sair escondido na madrugada, longe dos olhos de seu chefe, cujo sono conseguia ser mais pesado que um assíduo frequentador do McDonald's.

Assim, Armadillo e seus companheiros finalmente sentiram o gostinho da vida, e descobriram que ela tinha seus pontos positivos, embora estes fossem ofuscados pela mediocridade cotidiana ao qual estavam envolvidos, na maior parte, por culpa da escravidão diária pela qual passavam. Certa madrugada porém, as coisas fugiram um pouco de controle, e após encher a cara num desses botecos muito frequentados por pinguços e bebuns de todas as espécies, Armadillo e seus companheiros ficam completamente bêbados, e acabam cochilando no chão do lugar mesmo. Assim que acordam, além da ressaca das bravas, eles percebem que exageraram na dose, e saem as pressas para chegar nos seus respectivos locais de trabalhos onde seus chefes se encontravam.

Armadillo, de longe, era o mais ferrado da turma, pois ele era literalmente um escravo, e seria seu fim se seu chefe acordasse e percebesse que ele não estava lá. Por mais que tivesse corrido para chegar em tempo, infelizmente seu chefe já estava na porteira, com seu chicote preparado e bufando feito um boi bravo. Dessa forma, seu chefe deu início a pesadas sessões de choque, submetendo Armadillo a um doloroso e prolongado castigo no celeiro da casa. De tanto sofrer, Armadillo decide dar um basta na situação, naquele mesmo dia e mesmo momento. Assim que seu chefe para com os choques e prepara-se para chicoteá-lo, Armadillo tem a oportunidade perfeita para revidar. Assim, ele pega duas panelas de aço inox que estavam jogadas próximas a um monte de feno, e defende-se dos golpes de seu chefe. Assim que seu chefe baixa a guarda, perplexo pela atitude do tatu, Armadillo encerra com chave de ouro, golpeando a cabeça de seu chefe com uma exemplar panelada, deixando-o inconsciente na hora. Para garantir que aquilo não se repetiria com nenhum outro pobre coitado, ele decide colocar fogo no celeiro com seu chefe ainda lá dentro, fazendo-o virar um monte de cinzas e mandando-o de uma vez por todas para os quintos dos Infernos.

Vida pós-escravidão e união com o carecaEditar

 
Armadillo fazendo um exercício básico de aeróbica pela manhã.

Após dar cabo do tirano que o tratava feito o lixo de domingo, Armored cai na estrada e começa a vagabundear perambular pelo mundo afora. Após vagar sem rumo, sem sua quantidade diária de óleo para lhe saciar a sede e sob o sol escaldante, ele desmaia no meio do caminho, após ter seus circuitos torrados. Entretanto, algumas horas depois, seu corpo quase sem energia vida é avistado por um bondoso velhinho que trabalhava nas minas de carvão das redondezas e estava voltando para casa. Após dar a Armadillo um pouco de óleo de caminhão para que ele pudesse se hidratar, assim que acorda Armadillo jura lealdade ao mineiro, como forma de gratidão por ter salvo sua vida.

O mineiro aceita de bom grado, afinal, vivia sozinho com um cachorro banguela e um gato velho, e não tinha ninguém para conversar nas horas vagas, já que sua esposa tinha sido atropelada por uma carroça há muitos anos atrás. Diferentemente do seu antigo chefe, o mineiro teria sido como um pai para Armadillo, que pro sua vez, passou a ser como um filho para ele. Como estava ficando velho e decrépito, e suas costas já não eram como antes, Armadillo passou a acompanhá-lo em seu trabalho como minerador, e aprendeu todos os artifícios e macetes do ofício, para que um dia, pudesse dar continuidade ao mesmo. Armadillo já tinha talento natural para escavações, e cada dia que passava trazia mais orgulho para o mineiro, que finalmente podia abotoar o paletó de madeira com a sensação de que teria cumprido sua missão nessa existência.

Eis que finalmente o pior acontece: o mineiro acaba indo para a vala, devido as suas pesadas sessões de cheiramento de sílica ao longo de toda a sua vida, deixando como herança uma casebre velho de madeira vagabunda e uma mina abandonada. Armadillo, abalado com acontecido, acaba entrando em uma depressão de dois meses. Quando parte do seu rosto começa a enferrujar devido as lágrimas, ele se dá conta de que ficar ali parado lamentando a vida não o levaria a lugar nenhum, pois o mineiro já estava à sete palmos debaixo da terra servindo de alimento para os vermes, e ele provavelmente não gostaria que seu filho emprestado deixasse de seguir a vida para ter uma crise de melancolia. Armadillo então decide fazer algo que preste pela primeira vez na vida, e resolve dar continuidade ao legado de seu pai.

 
Armadillo testando seus novos escudos, confeccionados a partir de duas bandejas que ele achou na prateleira de sua casa.

Assim, Armadillo decide trazer a mina abandonada de volta a circulação, e passa a dedicar sua vida ao ofício de garimpeiro, decidido a trazer ainda mais orgulho para seu pai defunto, que o estaria assistindo nos quintos dos infernos do outro lado da vida. Ao usar seus conhecimentos avançados de mineração, de cara ele já descobre o porque das escavações não terem rendido fruto: a terra do lugar era mais dura que o habitual, e seu pai adotivo estava tentando escavar o lugar com uma picareta adquirida no Mercado Livre, feita do metal mais vagabundo que podia ser encontrado no mercado. Naturalmente aquilo não daria certo. Armadillo passa então a escavar o lugar com suas próprias garras, feitas de aço inoxidável do mais alto nível. Em pouco tempo seu esforço começa a render frutos, e enquanto todos os seus concorrentes só conseguiam extrair da terra ouro-dos-tolos, Armadillo extraía não apenas ouro de verdade, mas também diamante vermelho e opala negra.

Armadillo enriqueceu rapidamente, e muitas de suas pedras eram vendidas na casa dos milhões por quilate, sendo cogitadas por colecionadores do mundo todo. Com o dinheiro que ganhou, decidiu fazer um curso de faculdade na área, e em alguns anos concluiu um doutorado na área de mineralogia. Passou a escrever inúmeros livros sobre técnicas de mineração e garimpo, além de publicações sobre as diferenças entre pedras preciosas reais e falsificadas, se consagrando como a principal referência na área e tornando-se assim o maior garimpeiro do mundo. Seus livros serviram como pilar fundamental na formação de diversos outros exímios profissionais que seguiram seus passos, tais como Tunnel Rhino e Crystal Snail.

Certo dia porém, Armadillo recebe a visita inesperada de um conhecido charlatão da área, Zé da Mina Abandonada. Zé estava disposto a pagar trilhões de reais pela mina de Armored, que definitivamente era uma verdadeira galinha dos ovos de ouro. Porém, Armadillo percebe que o indivíduo, na maior cara-de-pau, estava a oferecer um cheque sem fundos, e além de rejeitar a oferta, afirma que se visse aquele vagabundo perambulando pelas redondezas novamente, ele lhe daria uma surra memorável. Puto ao perceber que descobriram sobre seu trambique, Zé jura vingança, que obviamente foi ignorada. Entretanto, naquela mesma noite, assim que Armadillo se dirige para a sua casa, seu novo arqui-inimigo põe em prática sua manobra de vingança, e ao se apropriar de um kit de dinamites da ACME, ele explode todo o lugar, enviando para o espaço tudo aquilo que Armored levou uma vida inteira para construir. O pior é que o pobre tatu nem podia dar uma lição em Zé da Mina Abandonada, pois o incompetente ficou muito próximo da explosão, e acabou morto e soterrado pela mina quando a mesma veio ao chão. Entretanto, eis que surge uma figura sinistra e sem cabelo no horizonte, que oferece a Armadillo uma nova oportunidade para fazer aquilo que mais gostava. Armadillo, projetando em toda a humanidade o ódio que sentiu de Zé, aceita a oferta, e jura lealdade ao seu novo chefe.

DerrotaEditar

 
Armadillo em sua armadura blindada a prova de noobs.

Assim que forma sua aliança com Sigma, Armadillo, em virtude de seu amplo conhecimento de mineralogia, é enviado para uma velha mina cujos documentos de propriedade estavam em posse de Sigma (provavelmente após o mesmo assassinar o antigo dono). Sigma tinha iniciado um projeto de escavação para procurar por fontes de energia para ele e seus robôs no lugar, entretanto, ele não tinha ninguém capacitado para o serviço, além de uns mineradores retardados que gostavam de parar no meio do serviço para arremessar picaretas em turistas. Armadillo então assume a frente do projeto, e dá início a uma operação de larga escala para extrações em larga escala de possíveis fontes de energia. E o resultado foi melhor que a encomenda: não apenas novas fontes de energia, mas também diversos outros materiais e até mesmo petróleo foram encontrados no lugar, e Armadillo rapidamente tornara-se o queridinho do chefe, o que lhe rendia vários prêmios de funcionário do mês o tempo todo.

Com os materiais encontrados, Sigma fundou uma grande centro comercial, focado principalmente em venda de óleo e cristais de energia para robôs podres de ricos (ou qualquer um que pudesse pagar). Seus produtos tornaram-se referência, e o simples fato de Armadillo estar trabalhando para ele, lhe trazia muita credibilidade, tendo em vista que o mesmo já era reconhecido mundialmente por seu trabalho na área, e robôs do mundo todo o procuravam para comprar seus produtos. Entretanto, seu trabalho de vendas era apenas a ponta do iceberg, e não passava de fachada. Os verdadeiro negócio de Sigma era mais sujo que quarto de adolescente: tráfico de armas. Sigma usava boa parte do metal extraído nas minas como matéria-prima na confecção de armamento bélico da mais alta tecnologia, e sua empresa atuava no mercado negro como uma espécie de centro de distribuição de armas clandestinas, que eram vendidas para robôs criminosos do mais alto nível nos quatro cantos de mundo, que assim como ele, planejavam uma revolta particular contra a humanidade. Armadillo sabia de toda aquela sujeira, mas como passou a odiar os humanos, estava pouco se lixando para aquilo.

 
Armadillo treinando com seu ajudante o número circense de homem-bala para a apresentação desta noite.

Certo dia, Armadillo estava escavando aleatoriamente alguns túneis por aí, num momento de folga onde não tinha mais nada o que fazer, quando todos os alarmes da mina começam a tocar. Ao procurar se informar sobre o que estava acontecendo, ele descobre que a mina estava sendo invadida por um vagabundo, um desses robôs pés-de-chinelo que volta e meia tentavam entrar escondidos na mina para roubar reservas de energia. Aquele não seria o primeiro malandro que tentava roubar o lugar, e nem seria o último que viraria tralha no ferro-velho da cidade. Como de costume, Armadillo opta por resolver pessoalmente o problema, já que nem mesmo ele botava fé nos seus lacaios fracassados. Assim que o robô meliante chega em sua sala, as portas se fecham, e Armadillo desce do teto de terra, fazendo sua famosa entrada triunfal. Sem perder muito tempo, Armored se apropria de uma técnica que aprendeu jogando Metroid, ao se transformar numa bola e se movimentar de um lado para o outro com seu corpo metálico, causando diversos danos aos sistemas de seu oponente (um robô azul com capacete esquisito). Seu adversário era incapaz de desviar adequadamente de suas investidas, já que por ser um fracasso total, não tinha habilidade suficiente para prever em qual parte da parede se encontraria com um golpe quebra-ossos como aquele.

Seu oponente até tenta revidar, ao lançar tiros carregados contra o tatu, mas sem sucesso. Na verdade, quanto mais tiros carregados ele lançava, mais perto da morte ele ficava, já que Armadillo rebatia tudo com mais força. Pra completar, ele ainda completava: lançava raios pulverizadores de sua testa, ferrando de vez com as chances daquele ladrãozinho de quinta. Num momento de desespero, Seu oponente tenta apelar, lançando todo tipo de tiro contra Armadillo, inutilmente, já que Armadillo rebatia tudo e até bocejava. Apesar de nenhum deles adiantar, o tatu percebe que no final das contas, aquele infeliz não era tão ruim ladrão assim, pois já tinha passado a mão em diversos tipos de armas, muitas delas familiares. Quando estava preste a dar um golpe de misericórdia, Armadillo é surpreendido por uma arma de eletricidade. Apesar de sua armadura e seus escudos serem feitos do metal mais resistente de que se tinha notícia, ele era altamente condutor. Assim, após seus escudos irem pelo cano, Armadillo fica sem proteção alguma, e seu oponente finalmente tem sucesso, mandando Armadillo para junto de seu pai adotivo, em algum lugar debaixo da terra. Porém, Armadillo não deixou seu oponente com o gostinho de ter uma arma fodástico. Pelo contrário: ele encerrou sua vida como um legítimo troll, ao deixar como prêmio para seu oponente a arma mais tosca e fraca de todo o game.

FaseEditar

 
Armadillo um pouco tímido com os paparazzi. Ele nunca foi muito bom na frente das câmeras.

A fase de Armadillo, como já mencionado, trata-se de uma velha mina abandonada, fundada com o único intuito de fornecer matéria-prima e fontes de energia para que Sigma arrecadasse fundos ilegais para investir em sua empreitada de dominação mundial. E quem melhor para escavar a terra do que um tatu? É claro, como estamos falando de um lugar que provavelmente é feito de ferro e metais resistentes, haveria a necessidade de um tatu de ferro e metais resistentes. Assim que chegou no lugar, Armadillo começou a reforma: primeiro, vestiu uma armadura blindada, para reforçar suas habilidades de escavação. Depois, instalou um sistema moderno de iluminação, afinal de contas, não havia Cristo que conseguisse enxergar porra nenhuma naquela droga. E claro, ele também selecionou alguns lacaios para o ajudarem por lá. Todos eles simbólicos, pois quem fazia todo o trabalho de escavação era ele, e seus servos só ficavam lá para serem saco de pancadas de invasores, para que isso desse tempo de Armadillo se posicionar e recepcionar pessoalmente qualquer invasor do lugar.

Na primeira etapa da fase, já está tudo facilitado para os penetras: você pode pegar carona com um carrinho de mineração (que mais parece uma estaca de madeira com rodas) que algum incompetente esqueceu por lá e percorrer um pequeno caminho para se adiantar na fase. Nessa parte existem inúmeros morcegos anormais soltando fumaça pela cabeça (provavelmente devido algum vírus de computador ou bug no sistema) que vêm de várias localizações do teto, que são lentos e tentam te perseguir inutilmente. Também existem uns avestruzes no meio do caminho, que não passam de peso morto, pois só estão lá para serem atropelados e virarem pó. Claro que é muito comum noobs pularem nesse carrinho tosco, se assustarem quando ele começar a se mexer, e saltarem do mesmo as pressas. Nesse caso, o burro vai ter que fazer o caminho todo à moda antiga, correndo pelo cenário e tendo todo seu óleo sugado pelos tais morcegos, que costumam agir em bandos. O ponto positivo é que existe um morcego obeso perdido no meio desses outros, que vai lhe dar uma vida caso você o mate. Também vale ressaltar que não adianta só ficar em cima desse carrinho e esperar que ele te leve até o final da fase como num toque de mágica. Se você não for esperto, o único lugar para o qual será levado é a perdição eterna, proporcionada em primeira mão por uma série de buracos infinitos já no início do percurso.

 
A moderna mina, principal fonte de renda para o império de Sigma. Acredita-se que os restos mortais de Osama Bin Laden foram encontrados enterrados aqui.

Após passar por essa parte moleza, você vai enfrentar mais alguns avestruzes e morcegos fracotes e descerá até uma parte inferior da mesma. Nessa parte, você será perseguido por uma mistura de escavador de carvão com lutador de rua, que irá te perseguir até o inferno, escavando todo o cenário na base do soco. Vale ressaltar que a parte da frente desse treco é composta por um tronco de ferro equipado com espinhos assassinos, e basta um encostão nisso para que você seja enviado para o além. Por outro lado, esse robô é mais burro do que uma porta, e tem o costume de morrer sozinho ao cair no primeiro buraco de espinhos que aparecer pela frente. Vale lembrar que durante toda sua rota de fuga, você será atacado por robôs nanicos com chapéu de mineiro e mais daqueles morcegos chatos.

Após passar por essa parte, você irá para uma série de plataformas feitas com restos de trilhos te trem, onde será atacado por mais robôs nanicos, por mais morcegos e por umas rodas de madeira vivas com cara de cavaleiro e espinhos de titânio, que só servem para morrer e te dar vida e energia grátis. Após isso, você vai para mais uma sessão com carrinho, onde terá mais morcegos, mais robôs nanicos e uns garimpeiros com pança de cerveja, que nada mais são do que empregados preguiçosos que matam trabalho para ficar atirando bugigangas em quem passe por eles. Depois, você vai passar novamente pelo escavador de carvão e irá direto pra última parte da fase, que será impossível passar sem o carrinho tosco. Nessa parte tem mais morcegos insuportáveis, mais garimpeiros e de sobra ainda vai ter umas miniaturas do pterodáctilo que não servem pra nada e quase nunca conseguem acertar o jogador, por mais noob que esse chega. Após passar por um buraco infinito de proporções fenomenais, você vai finalmente chegar a batcaverna do chefão, e poderá tentar derrotá-lo para conseguir o tirinho tosco que não lhe será útil pra porcaria alguma (talvez só no último chefe, caso você seja capacitado suficiente para tal).

Ver tambémEditar