Abrir menu principal

Desciclopédia β

As Aventuras de Polinfinita


SBTTV.JPG Este artigo é coisa da ex-vice maior audiência do mundo! Seu programa é chato e ruim, dá menos audiência que o Vídeo Show e usa os produtos Jequiti. Se vandalizar, você será forçado a ver briga de pobre no Teste de DNA e no Casos de Família. Conheça outros plágios mal-disfarçados clicando aqui.


As Aventuras de Poliana
Logopoliana.jpg
Logotipo da Abertura
Origem Bandeira do Brasil Brasil
Emissora SBT
Autor Íris Abravanel
Tema O meu nome é Poliana
PROTAGONISTAS
Artistas
  • Sophia Valverde
  • Ígor Jansen
  • Especiais Sophia Valverde
    Outros Larissa Manoela,João Guilherme Ávila, Vincenzo Richy, Thaís Melchior, Murilo Cézar...
    PERSONAGENS
    Vilões {{{viloes}}}
    Bonzinhos Poliana,Tia Luísa,João,Marcelo,Glória...
    Mais Idiota {{{idiota}}}
    Mais Esperto {{{esperto}}}
    NOVELA
    Maior Drama {{{drama}}}
    Mistério(s) {{{misterios}}}
    Moral {{{moral}}}
    Influência {{{influencia}}}
    Inspiração {{{inspiracao}}}


    |Baseada em:Polyanna(Livro)

    |História:Pollyanna é um best-seller de 1913 de Eleanor H. Porter (1868-1920) que é considerado um clássico da literatura infantil. O nome da personagem se tornou um termo popular na psicologia e sociologia, inspirando o síndrome de Poliana para alguém de perspectiva excessivamente otimista, cujo acaba se prejudicando por esperar demais das situações. O livro foi um sucesso tão grande que Porter logo produziu uma sequência, Pollyanna Grows Up (1915), falando sobre a adolescência da personagem. Posteriormente onze sequências de Pollyanna, conhecidas como Glad Books, foram publicadas mais tarde, escritas por Elizabeth Borton e Harriet Lummis Smith, e outras obras derivadas ou inspiradas surgiram, como Pollyanna Plays the Game, escrita por por Colleen L. Reece em 1997. Desde 2013 a obra já se encontra em domínio público.

    Pollyanna foi adaptada para o cinema e a televisão várias vezes. Em 1920 no filme mudo estrelada por Mary Pickford. A versão de 1960 da Disney foi estrelada pela atriz-mirim Hayley Mills, que ganhou um Oscar especial pelo papel. O canal japonês Fuji Television produziu o anime de Pollyanna em 1986 e a estadunidense NBC exibiu um telefilme denominado Polly em 1989 estrelado por Keshia Knight Pulliam. No Brasil, em 1956 Tatiana Belinky adaptou-o como telenovela na Rede Tupi. Pollyana ficou no ar entre 9 de outubro de 1956 e 17 de janeiro de 1957, sendo a primeira telenovela infantil brasileira.Na época ainda não existia um método de gravação de videoteipe, sendo que a telenovela era transmitida ao vivo e apenas duas vezes por semana, todas as terças e quintas-feiras a partir das 19h35. Em pouco tempo a trama se tornou o produto de maior repercussão da emissora.


    (gente parem de bagunçar esse artigo eu Ageitei o negócio 90% Oxii. Meu Deus...TAYLAN LUÍS)

    Índice

    A históriaEditar

     
    Os atores da novela são um grande exemplo comportamental para as crianças!

    Poliana era o capeta uma menina feliz e contente, que aprendeu com seus pais o jogo do contente, que consiste em ser babaca e ficar feliz com tudo. Seus pais eram da trupe Vaporub, que cantava em todo canto.

    Poliana conheceu João no Ceará e teve relações sexuais amizade com ele. Sua mãe, Dercy, morreu e depois seu pai, Celso Portiolli, morreu também. Ela tentou, sem sucesso, jogar o jogo do contente. Seu o Pau Pai** não deixava ele tocar um Sexu, Pois ele não sabia fazer direito.

    Enquanto isso João sofria com seu pai, Cuca Beludo, e quando apanhava chorava para sua mãe. Chateado foi para São Paulo. Poliana sem lugar pra ficar também foi a São Paulo. Lá conheceu sua tia, Luísa, que era uma chata do caralho (e ainda é).

    João foi adotado por Marcelo, um professor que ganha menos que um salário mínimo, que trabalha na escola de Poliana.

    Poliana queria entrar na escola Ruth Goulart, mas sua tia vagabunda não deixou, porém Poliana drogou sua tia com LSD e a convenceu.

    Bom ja no final da novela, o Polianta Descobre que é filho do Penquedleton, e fica triste para caralho, mais depois joga o jogo do o Demente E fica mais triste do que esta.

    Personagens principaisEditar

    • Poliana: A personagem principal que joga o Jogo do demente e fica feliz por qualquer desgraça, e ainda tem uma queda pelo joão.
    • João: Um cearense que tem alimentação baseada em rapadura.
    • Luísa: A pior pessoa do mundo, usa drogas para dormir. Antes era uma gostosa testuda e do mal, porém ela utilizou uma magia negra para trocar de aparência o SBT trocou a atriz que a interpretava por uma menos gostosa.
    • Nancy: Uma empregada doméstica que trepa com qualquer homem que esteja na casa.

    Outros personagensEditar

    • Marcelo: O mocinho da novela.
    • Durval: O tio de Poliana, que é um padeiro que viveu a maior parte de sua vida no Brasil, mas quando viajou para Portugal, fumou muito baguete e voltou com um sotaque português estereotipado.
    • Pendleton: Ele se orgulha de ter um nome mais difícil que Schrödinger. É também um supervilão de altíssimo QI que aprisiona pobres crianças em sua garagem., E ainda por cima é descarado pois beija a Tia Luiza, Embora seja esse monstro, todo mundo nessa novela o ama!
    • Debora: Com apelido de "Debonia" Pois ela é uma vaca que atrapalha tudo mundo nessa porra.

    CriançasEditar

    • Lorena: Uma babaca, prima de Poliana, faz parte do Magabelo, um clube de investigação CSI ao senhor Pêndulo (senhor P).
    • Gael, Mário e Benicio: Os três vagabundos que formam o Magabe.
    • Luigi: Irmão do Mário, que parece o Google De tão Nerd que é.
    • Raquel: Uma adolescente comum e sem-graça.
    • Guilherme: O cara mais imbecil da novela.
    • Mirella: BFF de Raquel, irmã gêmea de Maria Joaquina e prima de Nancy, Isabela e Manuela.
    • Luca Tuber: Um exibido do Youtoba que só pensa em fama.
    • Filipa: Irmã de Guilherme que se acha só porque é rica.

    Trilha sonoraEditar

    • Trata-se unicamente de um CD enche-linguiça com músicas que tocam apenas na novela, ou seja, nunca as ouvirá nas rádios.
    • Capa: elenco dessa joça.
    1. O Meu Nome é Napolitana (não me diiiga) – Sophia Valvermelha e Napolicocôro (abertura da bagaça)
    2. Jogo do Descontente – Sophia Valvermelha e Napolicocôro
    3. Eu só Quero um Popô – Igor Janssen-Cilag e Sophia Valvermelha
    4. Telefone – Pequeno Cafetão
    5. Atiro no Álvaro – Mel na Moleira e Napolicocôro
    6. Vira-Lata (novela flopada de 96) – Igor Janssen-Cilag e Napolicocôro
    7. Para Coração – Igor Janssen-Cilag
    8. Meu Drama (Senhora Tentação) – Larissa Manoela, Mel na Moleira e Napolicocôro
    9. Tô te Filmando (Sorria) – Lawrran Coito e Napolicocôro, estragando Os Travessos
    10. Ando Meio Desligado – Gabriela Petry e Napolicocôro estragando Os Mutantes (a banda dos anos 70, idiota!)
    11. São Paulo, Terra QueridaVanessa Jackson (uma que participou do FAMA em 2002) e Napolicocôro
    12. Lalaiá – Breno Miranda e Lothief (quem?)
    13. Babei – Gabriela Perry
    14. Ora Paus – Igor Janssen-Cilag

    Tema de aberturaEditar

    • A abertura mostra a idiotinha da Napolitana sorrindo enquanto coisas escrotas acontecem ao seu redor. Enfim, contemple a belíssima letra a seguir:

    Vem pro mundo de orgia
    Onde as cores são regadas de alergia
    Chega pra lá, chega pra lá
    Vem sentir o gosto do cianureto

    Vamos inundar de lixo toda essa cidade
    Transformar o mundo em negatividade
    É só olhar com os seus olhos (jura?)
    Solte a sua imaginação

    Nem vem com a gente!
    Vamos jogar o jogo do descontente
    A depressão é que te chama
    O meu nome é Napolitana (sério?)

    Vem foder comigo!
    Vem que eu te ensino como tudo é horrível
    A decepção é que te chama
    O meu nome é Napolitana…

    Ver tambémEditar