Abrir menu principal

Desciclopédia β

Atom Heart Mother Suite

Este artigo é sobre um HIT!

É uma música chata, repetitiva e seu vizinho adora. SOLTE O SOM!

Music madonna.jpg
NovoWikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Atom Heart Mother Suite.

Cquote1.png Que música Horrivel! Cquote2.png
Qualquer um sobre Atom Heart Mother
Cquote1.png Melhor Música da História! Cquote2.png
Fã viciado em Pink Floyd sobre Atom Heart Mother
Cquote1.png Um clássico, quem não ouviu não sabe o que é Pink Floyd!!! Cquote2.png
Fã viciado em Pink Floyd sobre Atom Heart Mother
Cquote1.png A galinha, vô cortá! A galinha, vô encochá! Cquote2.png
Mensagem Subliminar dessa música
Cquote1.png Ela não! Cquote2.png
Galinhas sobre Atom Heart Mother
Atom Heart Mother é uma música muito grande (23 minutos e 45 segundos), que tem muito barulho e ocupação de espaço.

Índice

ComposiçãoEditar

Em uma bela tarde de sol de 1971, os caras do Pink Floyd estavam na casa de Rogério Águas, se entupindo de LSD bebendo uma cervejinha, pensando nas ultimas composições para seu mais novo álbum, Atom Heart Mother. Pensaram em criar uma música muito longa, com pelo menos 23 minutos para o álbum ter um tempo total de álbum bom, pois só tinha 4 faixas até o momento. O título ia ser o próprio nome do álbum, pois estavam sem criatividade para inventar mais um nome. Como a música ia ser muito grande, pensaram em dividir em 6 partes para enrolar um pouco mais. De fato, Atom Heart Mother (Mãe do Coração Atômico) fala sobre a mãe de Rogério Águas, que fora mais tarde mostrada no filme The Wall. Pelo imenso tamanho da baleia mãe do baixista, vê-se que ela realmente precisaria de um coração atômico para bombear sangue por toda aquela banha. A música também é muito erudita, como mostra suas partes de nomes extremamente cultos: Teta Leitosa, Focinho da Mãe, Esterco Fedido, etc.

PartesEditar

Por ser muito grande, essa música é dividida em seis partes. A maioria é barulheira, o resto é só cacofonia:

O Berro do Pai(0:00-2:54)Editar

Tema da música. Começa com uns barulhos de peido instrumentos de sopro desafinados e sem sentido, misturados com as cornetas do Chapolin, que depois vira uma convenção de mariachis em uma esquina do México. Aí vem aquela mistureba bizarra (que consegue ser fodona) de rock com orquestra. O nome é uma homenagem ao teu pai, que todo domingo fica berrando durante os jogos do Curintia.

Teta Leitosa(2:55-5:26)Editar

Parte com os solos fodas do Davi Gilmar, pra compensar a desafinação dos instrumentos na música anterior. O nome é uma homenagem à Pamela Anderson, e não Tua Mãe, pois a teta da tua mãe já não é mais leitosa e foi atraida pela força gravitacional.

A Parte da Frente da Tua Mãe(5:27-10:12)Editar

oooooOOOOOOOoOOOOOOooooooooooooooooooooooOOOOOOOOOOOOOOOOOOOoOOooooOOOOOOOOOooooooooooOOOOOOOOOOOooooooOOOooO
OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOH!!!

Sim, essa parte é isso mesmo. Os "OoOoO" na música é tua mãe gozando, quando eu fui lá comer ela. O nome é uma maneira de acabar de vez com o trauma de Rog ao ver tua mãe pelada. Os efeitos soníferos desta parte são os mesmos que o Crack e uma hora assistindo o Superpop.No trecho 9:50 pode-se ouvir o coral da igreja cantando BATMAAAAAAAAAAAAAAAAN! BATMAAAAAAAAAAAAAAAAN! BATMAAAAAAAAAAAAAAAAN!

Esterco Fedido(10:13-15:29)Editar

Parte de reggae quando os integrantes deram um tapa na pantera. No meio da música você pode ouvir vozes te hipnotizando pra encochar e assar cru uma galinha de macumba. O nome é sobre quando a tua mãe comeu uma feijoada e uma buchada na festa de estreia da laje da casa do vizinho, não aguentou e foi correndo pro banheiro, foi um vexame...

Mensagens SubliminaresEditar

No trecho 13:20 a 14:26 o coro fala sobre uma galinha que se mata:

 
A Tal Galinha.
Si-ma-tá
Ti-tchi-ca de gali-nha
Sá sá sá sá 
Vixe, Riii Roque (Homenagem ao Silvio Santos?)
A galinha vô cortááá
A galinha vô encochááá 
Nossa galinha
Ela tá livre já
Ela tá livre
Hummm!
Assa cru, assa cru, assa cru, assa CRUUUUUU
Voodoooo, voodooo 
Mierda, mierda, uhhh uhhh
Voodoooo, urutchu, lhu, lhu, lhu, lhu, U2, lhu... (500x)

Vídeo com a mensagem subliminarEditar

Controlem suas gargantas, por favor(15:30-18:00)Editar

Parte bizarra e cacofina da música. Sons de telefone, peido, vacas e pratos quebrando, além tocar todo o solo da música Echoes. Bem nessa parte, algum mané gritou "Vô mandá um papo reto aew". O nome é um protesto contra sexo oral, já que Rogério Águas não gosta e acha nojentérrimo.

Suruba(18:01-23:45)Editar

Começam tocar todas as partes ao mesmo tempo, virando uma cacofonia total e descontrolada. Depois um mané grita novamente "Calem a boca, porra!". Aí toca a primeira parte de novo, só que mais alto e com a tua mãe gozando no coral. E aí:

Tan... TAN.. TARAAAAAAAAANNN!!!

Terminam da forma mais clichê pra orquestras, mas isso é típico do Pink Floyd. A partir de 21:42 este solo final faz você perceber que acordou do transe proporcionado pelas mensagens subliminares, só que em troca a música tira-lhe a vid...

MAAAAAAAAAAAAAAS, como já tinha uma ambulância do meu lado e estou abençoado por Chuck Norris, continuarei este artigo:

CuriosidadesEditar

Existem vários fatos sobre essa música.

VozesEditar

Em dois trechos distintos existem vozes falando: "Here is a loud announcement" e "Silence in the Studio!", quase inaudíveis. Muitas pessoas acreditam que foi algum babaca que gritou alto demais, então abaixaram o volume, puseram uma distorção e deixaram aí, pois regravar uma música de 23 minutos é complicado...

Nome da MúsicaEditar

Na verdade, a música tinha outro nome (pior que esse aí): O Pudim Fodástico (Por que será que a banda tem essa obsessão por pudins?). Depois, mudaram pra "Atom Heart Mother" depois que viram no jornal a noticia que a tua mãe fez tanto esforço pra te parir que quase cagou as proprias tripas e o coração, daí o velho ditado popular.