Abrir menu principal

Desciclopédia β

Augustinópolis

Cquote1.png Você quis dizer: Capital do Bico Cquote2.png
Google sobre Augustinópolis
Cquote1.png Isso é no Tocantins? nem sabia que o Tocantins era de verdade Cquote2.png
Christian Pior sobre Augustinópolis
Cquote1.png Bin laden é uma ova, eu nem preciso de bomba pra explodir uma cidade Cquote2.png
Ex-prefeito sobre Augustinópolis
Cquote1.png Pelo menos é melhor que qualquer cidade vizinha Cquote2.png
Augustinopolino sobre Augustinópolis

Augustinópolis é um suposto vilarejo situado no interior do Tocantins na região conhecida como Bico do Papagaio. Apesar de tudo, há alguns lugares que são denominados de "rua" como diria uma pessoa do interior, sim, Tocantins é interior do Brasil, Augustinópolis é interior do Tocantins, e ainda existem assentamentos que são interior de Augustinópolis. (depois dizem que o Acre que não existe). Nos arredores de Augustinópolis temos cidades tais como Praia Norte, Sampaio, Axixá, Sítio Novo do Tocantins e Araguatins (esta é a pior que tem).

Índice

HistóriaEditar

 
Toda a movimentação de zero pessoa numa das praças desérticas da cidade.

Local habitado em 1954 por maranhenses, completamente perdidos, que cansados de andarem em círculos, decidiram acampar por ali mesmo, ao lado de um brejo onde viviam vários perdizes que podiam passar a vida caçando.

Para os padrões desérticos de Tocantins, aquele vilarejo de 200 habitantes e seus ranchos de palha já podia ser considerado um município polo da região do Bico do Papagaio, atraindo todos os roceiros da região, assim aumentando a cidade para se tornar a megalópole que é hoje.

PolíticaEditar

Augustinópolis é propriedade exclusiva e registrada de Antônio Cayres de Almeida, popularmente conhecido como Antonio do Bar, que foi prefeito da cidade desde a sua fundação até hoje 2008, Antonio do Bar está no livro dos recordes por ser o político que mais comprou votos na história desse país, em qualquer lugar onde ele faça política é obrigatória a presença do BOPE, COE e do Grupo de Ações Táticas Especiais (e mesmo assim não conseguem impedir a fraude).

As eleições de 2008 foram particularmente notórias. Era pra ser somente mais uma vitória fácil de Antonio do Bar, tudo já estava planejado: Adesivos para campanha, as carreatas, os discursos e, é claro, o dinheiro para compra de votos. Mas a sua adversária Maria do Carmo Alcântara, conhecida como Carmem, ou Xuxa só para baixinhos, também elaborou suas táticas de campanha, junto com seu chifrudo marido que também já foi prefeito, juntou o dinheiro que ele conseguiu roubar e investiu muito na compra de votos também. Foi uma eleição muito disputada, onde os babões eleitores se matavam por causa da política, enquanto os candidatos, que nem sabia da existência desses puxas-sacos, comiam e dormiam. A eleição correu como o previsto, Antonio do Bar ganhou mais uma vez, foi cachaça e mais cachaça para todo o lado, os puxas-sacos eleitores militantes de Antonio do Bar que não iam ganhar nada com a Eleição fizeram festa durante dois dias seguidos, porém o toco de amarrar gente a sua adversária entrou com recurso no TRE alegando que Antonio do Bar ganhou a eleição por compra de votos, e Antonio do Bar finalmente foi cassado. Foi marcada uma nova eleição, e nesse período a cidade iria ficar sem prefeito, então quem assumiu a prefeitura foi o cachaceiro presidente da câmara dos Vereadores Mazim.

Era MazimEditar

Mazim, do latim Mazinus que quer dizer Cowboy chegou na prefeitura por pura sorte, e revolucionou a cidade com o bordão 4 anos em 70 dias, e sim caro descíclope ele conseguiu, apesar das pessoas não conseguirem acreditar que alguém conseguiria estragar uma cidade em 70 dias, o então Prefeito Mazim provou que para ele não precisaria 4 anos.

As Principais Obras de Mazin enquanto prefeito foram:

  1. A casa da carroça Uma obra no centro da cidade, foi inaugurada com muito orgulho em 2009.
  2. Reforma do cabaré zanga rola Sonho do prefeito desde criancinha, pois foi o lugar em que ele perdeu a virgindade com Um negão de 2 metros de altura uma profissional do sequiço.
  3. reforma Total da feira coberta Mazin não estava satisfeito com o tanto que a feira coberta estava acabada, e resolveu investir lá, gastou certa de R$50 com reforma.

  Esta Obra é a cara do prefeito  
Augustinopolino sobre A casa da corroça
  Apesar de ser uma reforma de alto custo valeu a pena  
Mazim sobre Reforma da feira coberta


Disputa entre Carmem e Dona DejaEditar

Com a cassação de Antonio do Bar, e Mazin estragando a cidade, a eleição para prefeito da cidade teve que ser antecipada (caso contrário a cidade teria que ser vendida para o Acre). A eleição teve como candidatos Carmem do PMDB e Dona Deja do PSDB (esposa de Antônio do Bar), e Baixinho da Farmácia (este nem conta por que não teve nem vergonha de disputar com duas mulheres e sair em último lugar).

Carmem teve grande popularidade ao iniciar sua campanha com uma música de campanha bem elaborada, com ritmo bastante agradável, alguns acusam ela de plágio mas ela garante que foram seus aliados de campanha que se juntaram e conseguiram criar a letra e o ritmo. Eis a letra da música:

Ei psiu é 15!!
É 15! É 15!É 15!É 15!É 15!
É 15!É 15!É 15!É 15!É 15!É 15!
É 15!É 15!É 15!É 15!É 15!É 15!
É 15!É 15!É 15!É 15!É 15!É 15!
É 15!É 15!É 15!É 15!É 15!É 15!
É 15!É 15!É 15!É 15!É 15!É 15! (72x)

Dona Deja não deixou para trás, investiu muito em sua campanha, trouxe bonecos de Olinda para atrair o voto da população, colocou um pastor como candidato a vice-prefeito e seguiu o exemplo do marido em investir na compra de votos.

O Baixinho da Farmácia... este nem merece ser mencionado.

  Essa eleição vai da Pau  
desinformado sobre Eleição entre duas mulheres
  É uma eleição que teve altas confusões  
narrador da Sessão da tarde sobre Eleição de Augustinópolis

Pouco antes das votações houve denúncias de compra de votos, o povo do TRE já estava de saco cheio de tanta roubalheira desses políticos augustinopolitanos e resolveu mandar as tropas do BOPE, COE e GATE para tentar evitar que houvessem a ação dos bandidos candidatos, ocorreu tudo bem na eleição e eis a quantidade de votos:

  • Dona Deja votos válidos 4560
  • Baixinho da farmácia votos válidos 1 ( voto de sua mãe, pois nem ele mesmo votou em si, ele afirma ter votado em Carmem)
  • Carmem votos válidos 5780 e meio (este meio voto é o do baixinho da Farmácia, pois ele não é considerado um homem completo devido ao seu tamanho).

disputa Carmem e Dona Deja: A revancheEditar

Carmem se tornou a primeira prefeita anã de Augustinópolis. Comandou a cidade de 2009 a 2012, momento em que tentou a reeleição para um segundo mandato. As eleições municipais de 2012 correram na maior normalidade, isto é, houve muita baixaria por parte dos candidatos (a mais baixa foi a Carmem), os eleitores babões continuavam brigando pelos candidatos, o povo mais pobre vendia seu voto por 1 milheiro de telha, ou uma copo de cachaça etc. Tudo dentro do esperado. Elegeu-se assim Dona Deja, ela mesmo, mulher de Antonio do Bar. Dona Deja juntamente com seu esposo, investindo em compra de votos, ameaça às pessoas necessitadas e com a ajuda dos babões (que não ganharam nada com a vitória dela) passaram uma rasteira em Carmem. A queda, todavia, não foi grande, porque ela é baixinha.

Gestão Júlio OliveiraEditar

Com o desgaste na gestão de Dona Deja que, inspirada em Dilma Rousseff, estava acabando com a cidade, não restou alternativa à família Cayres senão conseguir um pau mandado para concorrer as eleições com o apoio deles. Como a concorrente na campanha seria novamente a eterna derrotada Carmem Alcântara, Antonio do Bar não precisaria de muitos esforços para conseguir alguém e vencer as eleições. Ele poderia escolher um cachorro para concorrer a eleição com Carmem e ainda sabiam que o cachorro se sagraria vencedor por maioria de votos. Mas Antonio do Bar não escolheu um cachorro para concorrer as eleições, foi ousado e escolheu algo ainda mais pior, escolheu o professor Júlio da Silva Oliveira.

Júlio Oliveira é professor, ex-diretor da Universidade Estadual do Tocantins (UNITINS), é ex-secretário da gestão Carmem, e parece uma bichona! Estima-se que 90% do corpo de Júlio Oliveira é constituído por cabeça.

Passou-se o período eleitoral, e o óbvio aconteceu novamente: Carmem perdeu. Após ficar mais uma vez em segundo lugar, Carmem procurou o cartório de registro civil da cidade de Augustinópolis pleiteando mudança de nome em seu registro de nascimento para se chamar Vasco da Gama.

Júlio foi diplomado prefeito de Augustinópolis e entrou em exercício no ano 2017. De lá pra cá, tudo de bom começou a acontecer e a prosperidade aumentou significativamente, mas só pra família dele. A população mesmo está sofrendo como nunca antes.

Os serviços públicos municipais passaram a ser muito mal prestados na gestão Júlio Oliveira. Dentre os serviços que foram piorados está o de coleta de lixo. Atualmente, quase não há coleta de lixo na cidade. Acredita-se que a proibição de jogar fora o lixo seja temor do prefeito de ser jogado fora junto. A cidade também passa por grandes necessidades em relação ao pavimento das Ruas, pois estas se encontram com mais buracos que bunda de mulher gorda. É preciso se atentar, todavia, que em 2019 o número de buracos nas Ruas de Augustinópolis vem diminuindo paulatinamente, pois os buracos vão crescendo e se emendando. Assim, o que antes eram dois ou três pequenos buracos, transforma-se em apenas um de maior profundidade. Comenta-se que a nova edição do Rali dos sertões será realizada no perímetro urbano da cidade.

Escândalo de corrupção e cassação do prefeitoEditar

O prefeito Júlio Oliveira tem feição estética de gosto duvidoso. Uma espécie de atentado ao bom gosto. É magro, careca e da cabeçona. Apesar da cara, ele não é nada besta. Assim que entrou no exercício do cargo de prefeito passou a roubar mais que juiz de futebol em jogo do Corinthians. Em Augustinópolis passou a funcionar uma espécie de mensalão, em que o Prefeito subornava os vereadores para que estes aprovassem os projetos de interesse do Poder Executivo.

Mas em Janeiro de 2019 a Polícia Civil, em operação denominada Perfídia, acabou com a porra toda e prendeu dez dos onze vereadores da cidade de Augustinópolis. Registre-se que o único vereador que não foi preso era o Presidente da Câmara de vereadores, Cícero Moutinho. Não foi preso porque é tão bandido que a polícia ficou com medo de algo de ruim acontecer com eles após a prisão.

Após a prisão dos vereadores envolvidos no esquema de Júlio, dez suplentes foram chamados para assumirem os cargos vagos e, seguindo a modinha, iniciaram um processo de impeachment contra Júlio. Após o andamento do processo, os vereadores resolveram cassar o mandato do prefeito Júlio, que a esta altura do campeonato já estava careca de saber que iria se fuder se dá mal.

Mas aqui cabe um questionamento, caro descíclope: para que serve o dinheiro da corrupção senão para poder comprar favores judiciais? O prefeito Júlio Oliveira impetrou um mandado de segurança pleiteando o cancelamento da porra toda e sua volta ao cargo de prefeito. Depois de receber propina analisar os fatos, o Juiz da comarca resolveu anular todo o processo de impeachment e determinou o retorno de Júlio ao cargo de prefeito.

A população augustinopolina está por deveras enfurecida contra a atual gestão municipal. Como diria o Lula (que está preso, babaca!): Nunca na história desse país, jamais se viu prefeito tão ruim. Augustinópolis está a cara do prefeito, isto é, uma porcaria.

PopulaçãoEditar

 
"Um dia você encontra essa cidade".

Augustinópolis é muito conhecida pelos seus moradores, pessoas do mais baixo escalão que querem dar uma de riquinho ou de patricinha, mas que se chegar em Palmas ou Goiânia terão vida de mendigo com o que tem, essas pessoas estão divididas em pequenos sub-grupos:

Os Gay's Play's são um grupo de bichonas que querem dizer que são filhinhos de papai. Enquanto os pais morrem de trabalhar na roça, oficina de bicicleta ou em algum cabaré como segurança, os filhos tentam mostrar o quanto são ricos, é o grupo de pessoas que só querem ir para festas em Imperatriz no Maranhão e gostam de andar em carros de luxos (Fiat Uno, Gol ano 2002, Parati), e são os que pegam as raparigas que se auto-denominam patricinhas.

Outro tipo de ser são os topadões. Diferentemente dos Plays, os topadões não querem parecer ricos, muito pelo contrário querem parecer (e são) drogados, alcoólatras e ladrões. Alguns chegam a trabalhar em lava-jatos em um sol escaldante, para no fim do mês conseguir a fortuna de R$ 200,00 para gastar todo esse dinheiro com um litro de Red Label. Os Topadões não são muito conhecidos pela população augustinopolina, mas alguns se destacam e até já aparecerem no jornal, na manchete sobre noticiários criminosos envolvendo roubo pela internet, assalto a mão armada (e daí pra pior). Augstinópolis hoje se vê limpa dessa alcateia, alguns foram chafurdar em Araguaína, outros por sua vez foram pra Goiânia. Pouco ficou dos Topadões, mas o que ficou fede!

Augustinópolis é um lugar onde estão localizado todo tipo de puta de garota. As chamadas patricinhas (que não são patricinhas) são aquelas que só querem saber de trepar namorar com os chamados playboys (que não são playboys). Não gostam de usar roupas baratas, usam óculos Rayban do Paraguai de R$ 10, tiram fotos fazendo biquinhos e fotos na frente do espelho e colocam no Facebook, coisa que demora mais de 5 horas pois elas usam internet discada.

EducaçãoEditar

O Estado do Tocantins está entre os piores estados em relação a educação no país, e Augustinópolis está entre uma das piores cidades do estado, ou seja, é uma das piores cidades em educação do Brasil.

Esta cidade possui apenas um colégio de ensino médio, o famoso Colégio Estadual Manoel Vicente Souza (CEMVS). Não se sabe ao certo definir o nível de inteligência dos alunos ao saírem desta instituição, mas pode-se afirmar, com um elevado grau de certeza, que é quase zero, haja vista o nível de ensino das escolas de ensino fundamental da cidade, onde os alunos são forçados pelos pais a irem à Escola para assim poderem continuar recebendo o bolsa família (sem falar no lanche).

Não muito satisfeitos com o nível de burrice dos alunos do Colégio Manoel Vicente Souza, os líderes do Município resolveram trazer para a cidade uma faculdade, a FABIC (Faculdade do Bico do Papagaio). Esta Faculdade teve sua inauguração por volta do ano 2006 (não sabemos precisar a data correta, pois ninguém se importa), e depois de muito esforço a faculdade finalmente se consolidou. Se consolidou em um verdadeiro poço de corrupção, onde os dirigentes da instituição faturavam mais dinheiro que Edir Macedo no templo de salomão, e pagavam aos professores um salário que nem dava para comprar uma calça para uma jovem de 16 anos (porque uma calça para uma jovem de 16 anos, é mais de 300 reais). Devido aos fortes casos de corrupção, o atraso no salário dos professores e o evidente enriquecimento dos dirigentes da instituição, chegou-se a pensar que o PT estaria por trás da Administração daquela IES, os dirigentes negam.

A princípio foram 4, os cursos oferecidos pela FABIC:

  • Enfermagem - Valor da mensalidade = 600,00 R$; Perfil dos acadêmicos: Se mulher = Gostosa. Se Homem = Viado.
  • Direito - Valor da mensalidade = 507,00 R$; Perfil dos acadêmicos: Pessoas que se acham, afinal de contas, todo estudante de Direito se acha. Estudantes com nível de inteligência próximo ao nível dos macacos (reparem que o nível é próximo, os macacos tem o QI um pouco mais elevado), que ingressam no curso se achando Doutores, falam uma linguagem rebuscada etc. mas que no fim das contas são tão burros que são capazes de reprovar até no exame de fezes.
  • Ciências contábeis - Valor da mensalidade = 250, 00 R$; Perfil dos acadêmicos: Para se fazer ciências contábeis é necessário duas características, que podem, ou não, está juntas. Primeiramente não se deve saber o que quer da vida - Uma pessoa que de fato sabe o que quer da vida nunca iria cursar ciências contábeis. Afinal de contas: Não há mulheres gostosas fazendo este curso (lembre-se que estas estão no curso de enfermagem), não te dar um bom emprego (no máximo um cargo de contador em algum escritório, ganhando cerca de 30 reais por semana - fora os descontos), e além de tudo estuda muita matemática. Resumindo, só não sabendo mesmo o que se quer da vida para iniciar nas ciências contábeis. Em segundo, ser pobre. A mensalidade do curso é 250,00 R$, justamente o valor do bolsa família, logo é o curso ideal para quem não tem grana para pagar Direito ou enfermagem. Se você for pobre e não sabe o que quer da vida, este curso foi feito pra você em Augustinópolis.
  • Agro-negócio - Ops!! esse acabou falindo, era mais pra Peão.