Abrir menu principal

Desciclopédia β

Balsas

Cquote1.png Você quis dizer: Craterolândia Cquote2.png
Google sobre Balsas
Cquote1.png Deixa eu ir ali no norte do estado Cquote2.png
Gaúcho sobre Balsas
Cquote1.png Eu tenho medo!... E calor! Cquote2.png
Regina Duarte sobre Balsas
Cquote1.png Foi lá que eu aprendi a renascer das cinzas, pois toda hora eu tava pegando fogo por causa do calor. Cquote2.png
Ikki de Fênix sobre Balsas
Cquote1.png Passei lá uma vez quando eu tinha uma cabeleira enorme, dois dias depois os cabelos começaram a cair! Cquote2.png
José Serra relacionando sua falta de cabelos com o calor infernal de Balsas
Cquote1.png Ah é aquele país da África! Cquote2.png
Carla Perez sobre Balsas
Cquote1.png Ali sim tem futuro Cquote2.png
Gaúcho sobre Balsas
Cquote1.png E tem mesmo! Cquote2.png
Gays e profissionais do sexo sobre o comentário acima
Cquote1.png E eu assino embaixo! Cquote2.png
Caminhoneiro tarado e no cio sobre o comentário acima
Cquote1.png Um dia vocês chegam no nosso porte! Cquote2.png
Imperatrizenses e Ludovicenses sobre Balsas
Cquote1.png Odeio esse povinho! Cquote2.png
Balsense sobre Imperatriz e São Luís

Balsas é uma cidade situada no sul do Maranhão. É uma das maiores cidades maranhenses em termos de tamanho, porque em termos de estrutura é um verdadeiro albergue ao ar livre.

Índice

HistóriaEditar

Em meados de 3000 a.C., um maconheiro muito conhecido na Bahia, Antônio Jácomiabina Jacobina, estava fugindo dos jagunços e cangaceiros daquelas bandas, e acabou se perdendo no interior nordestino, até encontrar um lugar inóspito cheio de noiádos, vida loka, tarados e qualiras. Aconteceu que o Antônio começou a traficar nesse pequeno inferno e fundou a cidade de Balsas (Balsas porque inicialmente só se chegava ali de balsa navegando pelo rio, pois as estradas eram tão ruins que nem jumentos se atreviam a enfrentá-las). A cidade virou uma megalópole nos decorrer dos anos, passando de 1 para 90 mil maconheiros em dois anos, tornando-se assim uma das cidades polo do sul maranhense.

GeografiaEditar

A única maravilha que Balsas tem é apenas o Rio das Balsas (um riacho de 2 metros de largura e 1 de profundidade).

ClimaEditar

Você tem que usar protetor solar fator 90, porque se não.. com 20 anos já tá com câncer de pele.

EconomiaEditar

A economia balsense se concentra em: Exportações de trabalhadores para São Paulo; Soja para os gaúchos usarem em seus fetiches sexuais; Exportações de bandido, estuprador, assassino e criminosos de todo jeito para a Penitenciária de Pedrinhas; Venda de peixe estragado na beira-rio; Festa de domingo a domingo que rapa o troco do povo; e prostituição.

Não se deve deixar eletroeletrônicos ligados quando se sai de casa, eles podem queimar com as sucessivas quedas de energia.

PopulaçãoEditar

Hoje a cidade é formada por 40% de gaúchos (procurando soja pra enfiar no cu almoço), 40% de malandros e classe social superhipermegabaixa (pessoas fugidas de São Luís e Imperatriz) e os outros 20% são os desiludidos que satisfazem os desejos hormonais dos caminhoneiros que nunca cessam de passear nessa cidade.

A maioria da população balsense é formada por flamenguistas analfabetos e os moradores da periferia são ladrões, sequestradores, estupradores ou vândalos.

BairrosEditar

 
Situação nas ruas quando chove 1 mm na cidade.
  • Bacaba - Quem é bacaba na balada?
  • Centro - Aqui você encontra um misto entre lojas, supermercados e periferia (além do bandeirinha em frente ao banco do brasil e alguns mendigos). Já foi nobre dizer que se morava no centro, hoje, ficaram só os políticos ladrões, as velhinhas fuxiqueiras e os que mamam nas tetas dos políticos ladrões.
  • Cidade Nova - Recém idealizado, seria o bairro mais chique de Balsas, ruas em asfalto (olha que luxo) e wifi (é tipo internet?). No entanto por lá já se instalaram as casinhas populares do minha casa minha vida, a UFMA e a UEMA. Se preparem pra uma nova periferia e a maior onda de assaltos da cidade.
  • Cajueiro - Este é um bairro COMBO: você acha riqueza e pobreza em um lugar só. Nem ouse andar a pé, os malinhas (de bicicleta) vão roubar até sua cueca.
  • Catumbi - Esse se resume a uma rua de asfalto, crateras imensas nas outras e lógico, seu ponto turístico, o ITUMBIARA CLUB, sucesso consagrado. Obs: Não ouse andar a pé depois das 17:30.
  • CDI - Bairro de pessoas que um dia se juntaram e roubaram as terras do governo pra si, era pra ser um setor de indústria. O grande diferencial desse bairro é a Subestação de energia e o alto número de crianças com lombrigas andando nus pelas ruas (futuros mendigos).
  • Conjunto Planalto - Uma barbaridade de gaúchos, tchê!
  • Fátima - As pessoas que moram lá, pensam que moram no centro.
  • Flora Rica - Pobreza extrema. Único bairro-rural da cidade, tem uma chácara dentro dele (Chácara Robson).
  • Jardim do Sol - Ex-ricos infurnados no cafundé do judas fugindo dos cobradores.
  • Manoel Novo - Perigo a vista! Extensão de pobres e maloqueiros do cajueiro.
  • Nazaré - A Beira-rio do lado de cá. Um povo sem sal que adora tomar banho de esgoto (rio caetano).
  • Potosí - Tudo que não pode ser! Sem falar dos buracos e as inundações na divisa com o bairro são félix, nunca soube nem o que é pinche, quem dirá asfalto. As pessoas de lá pensam que são chiques porque o fórum é lá. Tinha um pracinha bonitinha que os trombadinhas já explodiram. Ainda pode ser dividido em Potosí do Norte (melhorzinho) e Potosí do Sul (Mizerê).
  • Santo Amaro - Prostíbulos? Cabarés?
  • São Félix - Pobreiral medonho, extensão do potosí, só que com menos dinheiro ainda.
  • São Luis - Parque de exposições (falido) e Mariinha rocha, acabou-se o bairro, só isso, mais nada.
  • Setor industrial - Não tem indústria lá.
  • Tresidela - A Beira-rio do lado de lá. O povo de lá se gosta e jura que mora no melhor metro quadrado da cidade. Mas ainda tem muita mundiça, os ricos precisam comprar mais terrenos por lá pra isso acontecer. Todos os moradores de lá passam por um workshop de como atravessar o rio e pular a ponte do caraíbas.

EducaçãoEditar

A classe alta, ou média pensa em fazer faculdade fora, na capital por exemplo. A classe baixa se forma na 11ª Delegacia de Polícia e vai ganhar diploma na Universidade das Pedrinhas.

SaúdeEditar

Para aqueles que necessitam de uma consulta pelo SUS, precisam ir para fila 2 da manhã, isso se você quiser ser do 15º pra lá, se quiser estar nas primeiras vagas, tem que que chegar às 10:00, 12:00 da noite.

SegurançaEditar

A qualquer momento você pode ser assaltado por esses malas que andam de Monark (a monark digevoluiu para POP100 preta). Portanto, se você tem um celular, coloque-o na cueca ou calcinha. Mas se você tem uma arma, você é Deus!

TransportesEditar

 
A Avenida com menos buracos em Balsas.

Se você tropeça em um buraco... Seja bem-vindo à Balsas. Não se pode andar em Balsas distraído... Ou um carro te atropela, porque num tem calçada, ou você cai em um buraco, ou só Deus sabe. Quem tem asfalto ou até mesmo rua de paralelepípedo, é um sortudo.

A cidade é um verdadeiro caos, com seus avantajados terrenos acidentados (mais conhecidos como "buracos nas ruas semi-pavimentadas"), a cidade nunca passa despercebida pelos viajantes da BR-230, pois há uma mega concentração de caminhoneiros tarados aproveitando-se do grande self-service de gays e prostitutas nos postos de combustíveis.

A Rodoviária parece um Mercado Municipal, se você passa lá nas madrugadas só tem malandro tomando um litro de Black Stone.

ComunicaçõesEditar

Quem não tem internet, ou Mtv, não faz a mínima idéia de quem é Justin Bieber. Se você fala que é um colorido pra essas ditas pessoas "excluídas", eles automaticamente vão te associar com a bandeira gay. Portanto, se você sai vestido na rua como alguém do Restart, ou dessas bandas coloridas, vão achar que você é louco, ou que teu relógio parou na época do carnaval.

CulturaEditar

Além de forró e falar da vida dos outros, uma peculiaridade local é que todo balsense solta foguete por tudo.

Balsas é 100 vezes maior que Riachão uma miserável cidade vizinha, porém não tem festivais de rock como tem lá, mas todos entendem o prefeito, ele não tem dinheiro nem pra tapar os buracos da Avenida Contorno, como vai ter para trazer festivais de rock para uma cidade onde todos só escutam forró?

LazerEditar

A principal festa vista em Balsas é o forró, mas em meados de um milênio pra cá, o reggae tem conquistado o seu espaço na realidade balsense, especialmente entre malandros drogados e tudo armado. Mas se você chega e fala pra alguém "Sabe quem é o Metallica?", eles te olham, com um ar meio pitoresco e falam "É de comer, é?".

Em Balsas os homens não precisam chegar nas "gatinhas", pois as negras com suvaco de gambá e pé-de-toddy chegam em você quando menos você esperar.

Programa familiar em Balsas só dá certo em dia de apagão. Aí você chama os parentes, pega umas cadeiras de macarrão, senta com as pernas pra cima, faz um fritinho de ovo e come com café. Isso se você não for morto, ou assaltado.

TurismoEditar

Sente só essa lista dos pontos turísticos de Balsas, só pelos nomes dá para se ter uma noção de como é o lugar:

  • Avenida Litorânea - Isso é impossível! Não há mar em Balsas.
  • Morro do Macaco
  • Bar da Cirlane
  • Bar do Lão
  • Véi do Pankadão
  • Clube de Amigos do Bairro São Félix
  • Espaço 1000 abril, onde só dá as pé-de-Toddy
  • Selva de Pedra
  • Cabaré da Luza
  • Posto São Cristovão - 100% de prostíbulos
  • Beira-Rio - Qual Rio??? Rio das Balsas, Rio Maravilha, Rio Cachoeira... são todos côrregos.
  • 11ª Delegacia de Polícia
  • Hospital Açougue Balsas Urgente
  • Poeirão do Holanda
  • Feirinha da praça (coisa d quem não tem McDonald's), um lugar onde se juntam pra encontrar pessoas que convivem 24h por dia, onde vende artesanato e Pastel de vento
  • Giraffas - Onde um pão com carne é quase 30 conto