Abrir menu principal

Desciclopédia β

Band-Aid

(Redirecionado de Band-aid)
Asclepius.png A Desciclopédia não é um consultório de medicuzinho.
Por isso, tome vergonha e vá procurar um para fazer seu check-up.

Band-Aid é um bagulho que o pessoal coloca onde se machucaram para sarrar mais rápido, ou para proteger do ebola do da ADIS.Porém tem umas pessoas que falam que para cicatrizar melhor tem que tirar a porra do Band-Aid, mas tem gente que fala que ele protege... Assim complica as coisas!!

História do TroçoEditar

 
Tenha sempre com você!

A verdadeira autora de um dos maiores inventos da humanidade chamava-se Josephine Dickson (Josefina, mas não a do Napoleão). Josephine era uma dona-de-casa maníaca-depressiva-bipolar-esquizofrênica- borderline que se metia na cozinha e atirava facas em si própria. Horrorizado, mas muito satisfeito seu marido Earl, um funcionário do Shampoo Johnson&Johnson teve a ideia de fazer um tipo de curativo instantâneo que a esposa louca pudesse usar sem interrompê-lo no banho. Mas Josephine não sabia fazer um curativo decente sempre aplicando óleo e vinagre, sal e pimenta no ferimento.

Earl então pegou uma tira de esparadrapo velho meio marrom que tinha no banheiro, colocou uma gaze podre, pôs no meio e colou com super-bond. Mas Josephine nem assim conseguia colocar a cabeça pra funcionar, então o marido, piedoso com seu estado hemorrágico, foi para um laboratório da Nasa e encontrou acidentalmente uma substância ignorada por Alexander Flemming chamada Cicciolina. Para que a esposa não confundisse com a atriz pornô italiana e a grudasse na perna, Earl deu o nome de Crinolina para a substância. Josephine confundia com criolina, mas mesmo assim a invenção deu certo. Os executivos do Shampoo Johnson & Johnson (dentre eles Elton John, John Kennedy e John Wayne) aprovaram a ideia e aumentaram o salário de Earl, além de promovê-lo de office-boy para faxineiro.

Impacto culturalEditar

 
Vai um Band-Aid aí?

Sem nome até 1920, o curativo pronto para uso de pessoas altamente violentas foi levado para a alta diretoria que havia se cortado com papel A4 e se ferido com o grampeador. Uma das vítimas então sugeriu a expressão “ Band” porque estava assistindo o canal naquele momento e Aid ( que poderia ser um singular para Aids) já que estava passando um filme no cine-privé com a Cicciolina. O Band-Aid foi muito bem recebido, com dedos de ministro de Estado, passou pelas mãos de todo o mundo, de Ossama Bin Laden a Bill Clinton. Virou acessório fashion, é usado pela Rainha da Inglaterra até em sessões do Parlamento. Em 1947 chegou ao público. Earl foi então recompensado com diversas promoções em supermercados e lojas de conveniência. Em 1957 Earl se aposentou como vice-presidente da empresa, e para comemorar fez com que todos os funcionários colocassem um band-aid na ponta do dedo para nunca se esquecerem dele.

Já foi visto na companhia de diversas personalidades. Andou no dedo da Madonna por lesão de esforço repetitivo e nas mãos de Berlusconi pelo mesmo motivo.Gostou muito de estar na perna de Carla Bruni e na boca de Angelina Jolie.