Abrir menu principal

Desciclopédia β

The Fisherman

(Redirecionado de Ben Willis)
Ruth Romcy1.JPG Este artigo é ASSOMBRADO!

Alguma assombração que atravessa paredes e adora pregar peças em cagões
está vigiando este artigo, então cuidado com os objetos flutuantes e não vandalize,
ou ele virá puxar seu pé enquanto dorme.

Bruce-Willis-Photograph-C11796804.jpeg ESTE ARTIGO É SOBRE UM SER INDESTRUTÍVEL!
Não importa o quanto você bata, torture, dê tiros, jogue-o(a) de cima de um prédio ou o(a) dê de comida pra os tubarões, ele(a) não será destruído(a) e ainda vai voltar pra pegar você! Tentar nocauteá-lo(a) é uma piada!
Silvester Stallone - Rambo.jpg
Night creature.JPG The Fisherman surgiu das trevas!!

Of DOOOOOOOOOM!!!

Puro osso.gif
The Fisherman fazendo bico de Cadeirudo para ganhar um dinheiro extra, já que a vida de pescador não é nada fácil.

Cquote1.png Você quis dizer: Ghostface Cquote2.png
Google sobre The Fisherman
Cquote1.png Você quis dizer: Capitão Gancho Cquote2.png
Google sobre The Fisherman
Cquote1.png I know what you did last summer. Cquote2.png
Recadinho infantil sobre The Fisherman

Benjamin "Ben" Willis, é a identidade secreta nem tão secreta do assassino slasher The Fisherman ("O Pescador"), também apelidado de Ghostface II, famoso matador de adolescentes burros que ficou conhecido nos anos 90 por ser o principal antagonista da série de filmes Eu Sei o que Vocês Fizeram no Verão Passado. O filme ficou mundialmente conhecido como o primeiro e principal plágio de Pânico na história, e assim como Premonição e Lenda Urbana, tentou pegar carona no sucesso do filme. Como acontece em todo filme de Terror, é óbvio que apenas o primeiro filme prestou, enquanto que o resto não passou de uma ofensa aos fãs, envoltos num enredo entediante e absurdo. Enquanto que inicialmente Ben tratava-se apenas de um típico matador de adolescentes burros no melhor estilo Ghostface, no terceiro filme da série ele apareceu com uma espécie de zumbi-fantasma com o poder do teletransporte e da imortalidade. A única coisa de original nesse infeliz é sua capa de pescador, já que até mesmo sua arma - um gancho enferrujado - trata-se de um plágio descarado de um outro assassino, Candyman, mas que ninguém percebeu pelo fato de este ser um exímio desconhecido por maior parte da população.

Índice

HistóriaEditar

 
Pai de Ben em mais um dia calmo de trabalho.

Ben Willis nasceu em uma típica cidadezinha do interior no meio do nada. Por ser esquecida por Deus e o mundo, a pequena localidade sequer aparecia no mapa, e as crianças desde cedo eram obrigadas a pegar no batente, e antes mesmo de atingir os 10 anos, todos os calos possíveis já tinham saído em suas mãos. A cidade não tinha a sua disposição nem energia elétrica, nem água potável, pois por pensar que tratava-se de uma cidade fantasma (uma vez que nunca teve-se quaisquer notícias de que havia gente morando por lá), o governo mandou cortar tudo. Dessa maneira, a cidade acabou desenvolvendo-se numa típica cidadezinha de beira de praia, onde a população vivia da plantação de alface e rabanete, da pesca ilegal de espécimes exóticas em alto mar, e do dinheiro dos turistas que volta e meia se perdiam pelas estradas da região e acabavam indo parar naquele fim de mundo. Provavelmente eles também cultivavam milho, tendo em vista que toda cidade pequena de filmes de terror tem no mínimo um milharal com alguns espantalhos medonhos espalhados no meio.

Ben Willis era filho de Capitão Ahab, um pescador local mau-encarado, conhecido por ser o melhor pescador da região, configurando-se num verdadeiro herói para os jovens sem futuro aspirantes a catadores de bagre em alto mar. Entretanto, seu pai era um homem duro e rígido, que só sabia resolver as coisas na família com base na porrada: batia nos filhos, batia na esposa e batia no cachorro, pondo todo mundo na linha com base em uma filosofia de puro medo e terror. E pra piorar, seu pai era um baita de um pinguço, que vivia bêbado e caindo pelas tabelas, o que só agravava ainda mais a situação dentro da sua casa. Quando não enchia sua família de sopapos bêbado, enchia sua família de sopapos são mesmo, e assim Ben foi criado, tendo como figura paterna, nada mais nada menos do que um troglodita com um arpão e rede de pescaria.

Quando fez 10 anos, seu pai afirmou que já estava mais do que na hora de Ben aprender a profissão da família, e passou a obrigar o jovem a ir com ele para alto mar, em um barquinho mixuruca que nada mais era do que uma máquina de lavar aquática movida a carvão e lixo. Com o seu pai, na base de vários corretivos e castigos físicos, Ben foi aprendendo ao longo dos anos a pescar atum, sardinha, salmão, tubarões e até mesmo baleias. Em pouco tempo, Ben se tornou um pescador tão bom quanto seu pai, porém, para isso, sacrificou toda a sua infância, perdendo a oportunidade de estudar, se divertir e ter amigos para ficar o dia todo ilhado em um barco fedendo a bacalhau enquanto as demais pessoas em sua volta (fora sua família, é claro) viviam na mais irritante felicidade. Dessa forma, Ben acabou por desenvolver junto a sua habilidade para a pescaria, uma personalidade frígida e megalomaníaca.

Em uma bela madrugada, após tomar todas no barzinho da esquina (que era o único bar daquela cidade miserável, aliás), seu pai chega em casa pra lá de Bagdá, e após ser repreendido pela mãe de Willis, o velho revida com um soco no meio do nariz da mulher. Cansada de servir como saco de pancadas de bebum, sua mãe pela primeira vez na vida na deixa barato, e retribui o favor, ao aplicar uma frigideirada em seu marido. Quando ele tenta se levantar novamente, sua mãe aproveita que ele já estava tonto em vista da bebedeira, e quebra um vaso na cabeça dele, em seguida golpeando-o no nariz com um rolo de massa, deixando seu pai nocauteado no meio da cozinha. Como não estava mais disposta a aturar aquela vida, sua mãe pega seus outros filhos, e foge para o Cazaquistão, em busca de uma vida nova. Ela levou todos os seus irmãos, menos Ben, pois tinha um medo desgraçado do olhar de psicopata que vivia estampado na cara do jovem, abandonando-o ali com seu pai. Isso contribuiu ainda mais para Ben ficar com ódio de toda a humanidade.

 
Ben Willis em uma praia deserta, após meter o gancho no coração de todos os farofeiros da região, batendo uma foto para o álbum da família.

Certo dia, seu pai acordou bem cedo, e dirigiu-se para o mar aberto para a pesca do dia, sem acordar seu filho para tal. Na verdade, ele não acordou para pescar de fato, ele acordou para ir chorar em alto mar pela perda da mulher e destruição de sua família, que teria acontecido unicamente por culpa dele e de seu comportamento selvagem. O homem estava sem esperanças de vida, e não tinha mais um motivo para viver, pois tudo o que havia construído, foi por ralo abaixo. Seu choro foi tanto e tão alto, que um cachalote irritado, que estava querendo degustar da paz e do sossego, se viu atraído por toda aquela choradeira. Ao avistar o Capitão em seu barco se desmanchando em lágrimas, a baleia não perde seu tempo, e como forma de vingança, num movimento brusco com o rabo, derruba o capitão, devorando uma de suas pernas para que ele aprenda a não perturbar a mãe natureza.

O pai de Ben foi encontrado inconsciente na beira da praia. Inicialmente por conta do cheiro terrível de peixe, eles pensaram que o velho tinha morrido e já estava em estado de decomposição. Assim que perceberam que ele estava vivo, o vestiram com algumas máscaras de oxigênio e jogaram numa maca, levando para o hospital da cidade. Após um coma de 3 meses, o pai de Ben lembrara-se exatamente do que lhe acontecera, e decide que iria caçar a baleia até os confins do Inferno em busca de vingança, tendo assim um novo objetivo de vida. No dia seguinte, deixara tudo por conta de seu filho, e partira em busca do cachalote. Um mês depois, Ben recebe a notícia de que seu pai morrera em uma praia da Austrália, após seguir os rastros da baleia até lá e levar uma mordida de um polvo-de-anéis-azuis, falecendo instantaneamente 30 minutos depois do acidente.

Sozinho e lançado às sortes da vida, Ben decide que estava na hora de se mandar daquela cidadezinha desgraçada, cheia de lembranças ruins e sonhos frustrados. Por um tempo, administra o negócio da família na cidade e fica com a herança deixada pelo seu pai: uma casebre na beira da praia, um barco feito de madeira e garrafas PET e um kit de pescaria personalizado do Pesca & Companhia, que vinha com um anzol, uma roupa de pescador e um gancho afiado. Ben passa a viver da pesca, e abre uma loja de trambiques na cidade, vendendo peixe estragado e as sobras de sua pescaria para a população local. Após juntar a quantia necessária, Ben muda-se para as Bahamas, onde começa vida nova.

Primeira morteEditar

 
Willis se apropriando de seu gancho para fatiar uma de suas vítimas em finas e simétricas rodelas de carne antes de jogar aos tubarões.

Assim que chega nas Bahamas, de cara Ben depara-se com várias pessoas inconvenientes e baderneiras felizes por todos os cantos, rindo aparentemente sem motivo algum, fazendo barulhinhos chatos enquanto bebiam água de coco com canudinhos coloridos, e tagarelando sobre a vida alheia. Aquilo deixava Ben profundamente irritado, e curiosamente, o simples fato de em sua maioria, tais pessoas serem adolescentes desmiolados, agravava ainda mais a situação, tornando seu ódio pela humanidade cada vez maior, o que demonstra que a raiva iminente de jovens é um ícone insubstituível na genética de qualquer provável slasher. Como o sangue ia lhe subindo a cabeça a cada minuto, a primeira atitude que Ben tomou foi a de procurar um lugar temporário para ficar, até encontrar algum alojamento, albergue ou hospício instalação que o aceitasse como inquilino.

Logo, Ben consegue arranjar um quarto em um hotel 5 estrelas na beira-mar, com o dinheiro que tinha adquirido vendendo peixes podres para os habitantes da antiga localidade onde morava. Entretanto, como sabia que seu dinheiro não era infinito como o de Silvio Santos, Willis chega a conclusão de que deveria fazer alguma coisa para poder se manter. Caso ficasse o dia inteiro preso no quarto do hotel de pernas pro ar enquanto via seu suado dinheiro tomar Red Bull e criar asas, acabaria tornando-se um vagabundo acomodado como os playboys adolescentes que tanto desprezava, e não podia deixar isso acontecer. Mesmo que detestasse com todas as suas forças sua nova vizinhança, ele decide trazer o negócio que havia iniciado na sua terra-natal para as Bahamas. Para isso, é claro, ele precisaria acima de tudo, de uma barraca ou cabana, na qual poderia estocar todo o peixe fétido que ele passaria a pescar em alto mar por aquelas bandas. Após encontrar o local perfeito, Willis fala com o dono, oferecendo uma quantia razoável em dinheiro pelo estabelecimento. Porém, o dono do lugar recusa a oferta, dizendo que ele não venderia nada, mandando Willis catar piolho e ainda dizendo que se ele não parasse de encher o saco, iria levar um chute na bunda ali mesmo. Willis nem perdeu tempo discutindo: para encerrar a conversa de uma vez por todas, retira do bolso de sua capa de pescador seu precioso gancho, e mete uma ganchada na barriga do infeliz, após anos reprimindo seus instintos assassinos, dando vida finalmente ao serial killer que existia dentro de si. Em seguida, fatia o defunto em pedaços e lança aos tubarões, tomando assim a posse do estabelecimento.

No dia seguinte, munido apenas de seu gancho e de toda a ferocidade dos pescadores de sua terra de nascimento, mergulha em alto mar, caçando os maiores peixes possíveis só na base do braço e do gancho, o que também era ótimo, pois lhe poupava o dinheiro que gastaria com as iscas, algo desnecessário, já que até pão de milho serviria para atrair peixes. Uma semana depois, já com um estoque de frutos de mar em seu armazém, Willis inicia suas negociações, provendo a melhor mercadoria que pescava para os grandes restaurantes e hotéis da região, e vendendo as sobras e o que tinha estragado para os farofeiros de todo o litoral (já que todos nós sabemos que gente rica , ou que pelo menos tenha um cérebro funcionando, nunca compra muamba de beira de praia). Certa noite porém, Ben recebe a visita de uma gangue de mafiosos italianos que estavam passando as férias no país. O motivo da visita é que o chefe deles, que inclusive estava lá para tirar satisfações pessoalmente e dar cabo do pescador, tinha comido um bacalhau podre que havia irracionalmente comprado em sua barraca. Antes mesmo deles tentarem qualquer coisa, Ben, com reflexos possíveis apenas para um pescador profissional e bem treinado na arte de enganchar pescoços, mata todos os mafioso na base do gancho, e em seguida, faz picadinho de seus corpos e lança todos aos tubarões. Assim que termina o serviço, Willis percebe que o chefe da máfia tinha deixado uma maleta preta para trás. Ao abrir, ele se depara com 1 milhão de reais em barras de ouro (que valem mais do que dinheiro), com vários cartões de créditos platina, e com uma documentação clandestina com todas as suas tramoias. Ben descobre uma maneira mais fácil de ganhar dinheiro, tornando-se assim o novo chefe da máfia local, e passa a coordenar uma rede criminosa especializada em tráfico de espécimes exóticos de peixe por todo o Caribe.

 
The Fisherman relatando sua história de vida para a Desciclopédia durante entrevista exclusiva.

Posteriormente, Ben acaba apaixonando-se por uma funcionária do hotel em que ficou, uma pobre coitada sem objetivos e qualquer perspectiva de vida. Assim que declara-se para ela, ela retribui o sentimento, ainda mais porque após sair com tantos pobretões que não tinham nem onde cair mortos e que ainda deixavam ela para pagar a conta em seus encontros, é bom que alguém rico tenha se interessado por ela pra variar. Meses depois eles se casam, e posteriormente, acabam tendo uma filha e um filho. Porém, nem tudo era um mar de rosas. Nos primeiros anos, o relacionamento dos dois ia muito bem, mas depois de um tempo, a verdadeira face de Willis passou a vir à tona: ele começou a demonstrar-se um marido abusivo, viciado sobretudo em cachaça e pinga, o que nada mais era do que o reflexo do pai que teve em casa. Certo dia, após encher a cara, Willis chega em casa bêbado, e sua esposa começa a lhe encher o saco, alegando que ele não passava de um vagabundo desgraçado. Após relembrar da última briga entre seus pais, Willis decide que não deixaria barato como seu pai fez, afinal de contas, seu pai era apaixonado por sua mãe, o oposto de Willis, que por ser psicopata, não tinha amor no coração, e portanto, estava pouco se lixando para sua esposa, no final das contas, até porque, ele também desconfiava que sua esposa estava lhe colocando duas galhadas de alce. Assim, ele rapidamente retira seu gancho do armário, e perfura a barriga de sua esposa. Em seguida, corta o cadáver em pedaços e joga aos tubarões.

Dessa vez, como a discussão foi em voz alta, a vizinhança toda tinha ouvido, e era questão de tempo até que sua vizinha, uma velha fofoqueira e de bigode, espalhasse pra todo mundo. Toda a cidade ficaria sabendo da discussão, e o repentino sumiço de sua esposa levantaria suspeitas, fazendo as autoridades lhe procuraram. Assim, Willis inventa para seus filhos que sua mãe tinha fugido com o Seu Joaquim do padaria, e após dar um jeito de despachar seu filho para o colégio militar, se muda com sua filha para sua antiga cidade, um lugar que por não estar nem no mapa, as autoridades jamais pensariam em procurar.

Na sua antiga cidade, Willis e sua filha iniciam nova vida. Ben tinha planos para sua filha: ensinaria a ela o negócio da família, fazendo dela uma grande pescadora, e depois lhe ensinaria a arte de matar sem sentir remorsos, para depois, dar continuidade ao legado de pescador sangrento. Porém, seus planos são frustrados quando sua filha rebelde arranja um namorado idiota, dando a entender que queira viver como uma garota normal ao invés de seguir carreira de pescadora homicida. Willis então a proíbe de ver o idiota, como todo pai, alegando que ele não a merecia e nem era digno de pertencer a família. Após a discussão, naquela mesma noite, sua desobedece seu pai, e foge escondida com seu namorado para uma rave no centro da cidade, onde toma todas e fica chapada após cheirar toda a erva que estava ao seu alcance. Quando eles estavam voltando pra casa, seu carro derrapa numa casa de banana no meio da estrada, e após um grande acidente, a filha de Willis morre.

 
The Fisherman, de volta a terra natal, tentando espantar alguns adolescentes da varanda de sua casa.

Willis fica sabendo acidente, e fica completamente emputecido da cara por aquilo. O pior de tudo, é que apesar de sua filha ter morrido no acidente, o mala do namorado dela , David Egan, acaba sobrevivendo para contar história. Willis decide que estava na hora de parar de bancar o bonzinho, e se entrega completamente aos seus distúrbios psicológicos, prometendo vingança pela morte da única que poderia dar continuidade ao seu legado. Ben passa a vigiar o namorado de sua filha, e certo dia, o segue até um penhasco, o qual ele costumava visitar para ficar olhando para o nada. Ben acaba aproximando-se de Egan e matando-o de alguma forma, que não foi revelada pelo fato de tratar-se de um figurante sem-graça. Só o que se sabe é que aparentemente Ben não teria tido tempo de fazer picadinho de seu corpo para lançar aos tubarões, optando por lança-lo inteiro mesmo, já que o corpo de Egan foi encontrado pouco tempo depois do assassinato. Deduz-se que nesse dia Willis deveria estar pra lá de bagdá e tinha se esquecido do seu gancho em casa. Após fazer o que tinha de ser feito, Ben volta para a casa, cambaleando pelas estradas devido ao efeito do álcool. Por conta disso, enquanto atravessava a estrada, não viu um carro repleto de adolescentes chapados, e se meteu no meio, sendo atropelado e jogado no chão feito uma pilha de lixo velho. Por serem acéfalos, os imbecis pensaram que tinham matado o pescador, e então o levam até um rio contaminado e jogam seu corpo lá para servir como aperitivo de piranhas, supostamente matando-o pela primeira vez. Contudo, por ser um pescador já acostumado com os perigos do mar, Ben mata os peixes a dentadas, emerge daquele rio com cheiro de esgoto e recoberto por musgo e algas. Como não gostou nem um pouco de ter sua roupa completamente destruída pelo fedor insuportável que tinha ficado impregnado, Willis jura vingança, e não descansaria até matar todos aqueles que o tinham lançada naquela poça de sujeira.

Segunda morteEditar

 
A mais famosa imagem de Ben Willis na Internet, onde ele aparece mostrando para as câmeras seu gancho de papelão pouco antes de mandar um figurante para o colo do Capeta.

O simples fato de os responsáveis por terem lhe atropelado serem todos adolescentes burros e sem cérebro, conseguiu fazer com que todo o seu ódio fosse triplicado (ainda mais porque Willis já "adorava" adolescentes como ninguém). Assim que levantou, no dia seguinte Ben já começou a pôr em prática seus planos maléficos. Porém, ao invés de simplesmente sair por aí matando eles uma semana depois, ele se contém, e durante um ano, decide bancar o stalker e espionar cada passo da vida dos jovens, e só iria descontar a sua morte no dia 4 de Julho, para fazer um suspense maior e pegar os jovens de surpresa, que provavelmente se borrariam muito mais de medo. Afinal, assim como sushi, a vingança é um prato que deve ser servido cru.

Alguns dias antes do seu tão planejado dia, e já com uma ficha completa de cada uma de suas vítimas, Willis bota seu plano em ação. Seu alvo principal era Julie James, que por ser boazinha e a mais próxima de definição de "ética" do grupo, ele deduziu que seria a protagonista caso fizessem um filme sobre os acontecimentos que em breve teriam início. Assim, após esperar num beco, Willis rapta o carteiro local, Jaiminho, e o assassina, embalando o corpo num saco de lixo orgânico ali mesmo, e tomando posse de sua maleta de cartas. Em seguida, escreve a frase Eu sei o que vocês fizeram no verão passado numa folha arrancada de um caderno escolar que ele usava para enrolar um baseado nas horas vagas, e entrega pessoalmente na caixa de correio de Julie, sob a forma de cartinha de amor. O mais incrível de tudo e o que realmente surpreende, é o fato de Willis saber ler e escrever, o que é muito raro para esses típicos caipiras de cidades do interior. Inicialmente, Julie ignora a carta por pensar tratar-se de uma declaração do mala do seu ex-namorado, no qual teria dado um pé na bunda dias depois do pseudo-assassinato um ano antes. Porém, por morrer de curiosidade, Julie acaba lendo, e como era esperado, entra em surto, fazendo com que o plano saísse melhor do que a encomenda.

 
Acredita-se que um dos motivos para todo seu ódio seja o fato de Ben nunca ter sido convidado para as fotos em grupo dos participantes do filme.

Enquanto Julie advertia seu grupo de amigos (que aparentemente, nem eram mais amigos e estavam pouco se lixando um para o outro), Willis observava de longe, enquanto caia em gargalhadas após um acusar o outro no auge do desespero. Após brigarem entre si, se xingarem e quase caírem na porrada, Julie James, Helen Shivers e Barry Cox, chegam a conclusão de que não faziam ideia de quem teria aprontado aquilo. Na falta de algum infeliz para culpar, eles decidem encontrar um bode expiatório e fingir que ele teria sido o responsável. O escolhido teria sido Max Neurick, um pobre infeliz que não tinha nada a ver com história. Dessa maneira, Barry vai visitar o indivíduo, e após ameaçá-lo, pois por ser um filhinho de papai, sabia que poderia fazer isso e ainda ficar protegido, dá o fora achando que já tinha resolvido o problema. Enquanto isso, Willis os observava de uma janelinha da rua, na maior discrição, já que naquela cidade 90% da população era composta por pescadores, e ninguém iria reparar num doido varrido com gancho e capa de pesca, pois lá era completamente normal. Até o momento, Willis desconhecia completamente a existência de Max por este ser um personagem completamente secundário. Como já estava há um ano sem matar ninguém, Willis então decide se livrar da seca de homicídios, e escolhe Max como seu alvo, já que além de ser um adolescente, ele era um figurante e provavelmente ninguém sentiria sua falta. Naquela mesma noite, Ben faz uma visitinha ao azarado, que morre com um gancho enfiado na garganta sem sequer ter qualquer envolvimento com a história toda.

No dia seguinte, Willis dá início a etapa final do seu plano, preparando os jovens para o seu juízo final. Então, passa a atazanar os envolvidos, fazendo da vida dos mesmos um verdadeiro Inferno. O primeiro que Willis decide importunar é Barry Cox, por vários motivos: era playboy, mimado, metido a valentão, bully, retardado, se achava o máximo, tinha cérebro de minhoca e era sem dúvidas o mais irritante, filho da puta e desgraçado do grupo. Enquanto Barry estava no ginásio admirando o próprio corpo, Willis aproveita para assustá-lo com uma de suas habituais mensagens pavorosas. Se borrando de medo e tentando se conter para não gritar feito uma menininha, Barry então decide ir para casa o quanto antes, pois aquele lugar já estava lhe dando arrepios. Quando sai para a rua entretanto, Barry é atacado por Christine, que Willis teria pedido emprestado para um amigo de longa data, Stephen King, unicamente para atropelá-lo. Como resultado disso, Ben envia Barry para o hospital, traumatizado. Porém, decide matá-lo só depois de tocar o terror nos outros membros do bando.

Na próxima noite, é a vez de Helen receber uma visitinha de Willis. Helen e Julie, naquele dia, haviam ido até uma residência local, visitar Melissa Egan, uma caipira da região, irmã do já falecido David Egan, bisbilhotar na vida alheia a fim de descobrir quem era o responsável pelas travessuras sádicas que estavam importunando o grupo. Após conseguiram coletar porra nenhuma de informação, elas voltam para a casa de mãos abanando, e ficam dentro do carro um tempo falando umas abobrinhas sobre amizade e afastamento, enquanto Willis observava tudo de longe. Quando Willis já estava prestes a morrer de tédio, Helen finalmente sai do carro e vai para casa, se preparar para entregar a coroa de um concurso inútil que tinha ganhado no ano anterior. Willis facilmente passa pelo pai de Helen, um velho maconheiro e cachaceiro que ficava assistindo a luta livre na TV e ignorava o mundo ao seu redor. Quando Helen vai dormir, Ben aproveita para cortar o cabelo dela com um tesourão de jardineiro e enche a parede dela com mensagens de horror.

 
Ben dando um tapa na pantera, enquanto observa suas vítimas se juntando no soco de longe.

Por fim, Willis decide dar um susto em Julie, antes de começar a matá-los naquela mesma noite. Quando Julie dirigia seu carro antes de se reunir com os seus amigos, ela decide, Willis espalha tachinhas pelo chão, fazendo-a furar seu pneu. Quando Julie abre o porta-malas para trocar o novo pneu, para seu espanto, ela se depara com a carcaça de Max lá, já em estado de decomposição e sendo devorada por vários caranguejos que Ben passou a noite inteira catando na beira da praia. Julie rapidamente procura por seus amigos, e misteriosamente, em menos de um minuto, Willis tem tempo de se aproximar do carro sem ninguém ver, esconder o corpo de Max, retirar os caranguejos e de sobra comprar uma pipoca para assistir de camarote os quatro brigando entre si novamente. Mortos de medo, eles então decidem que devem ficar juntos, e Barry, numa tentativa de reconquistar sua antiga namorada, promete ir com Helen até a tal cerimônia, achando que iria dificultar o trabalho do pescador, quando na verdade, só estava facilitando, pois assim, ele poderia matar dois coelhos com uma cajadada só e de sobra voltar para assistir sua novela em tempo.

No dia que se seguiu, após encher um velhinho com roupa de pescador de sopapos pensando que era Ben e fazer o maior fiasco em praça pública, Barry opta por acompanhar a cerimônia de longe, pois estava morrendo da vergonha de dar as caras. Eis então que no meio da cerimônia, Helen avista Ben Willis se aproximando de Barry. Helen começa a berrar como uma condenada no meio do palco, e incrivelmente, ninguém se deu ao trabalho de olhar para trás para ver o motivo dos berros de Helen. Isso deu tempo suficiente para Willis chegar, aplicar um especial de porradas em Barry, meter-lhe o gancho, e em seguida escapar com o corpo sem ser notado. Achando que Helen estava chapada, um policial local incompetente, David Caporizo, decide levar a histérica garota para casa, antes que a mesma tivesse outro surto e assustasse ainda os habitantes daquela pequena cidade. Enquanto dava carona para Helen, o policial se depara com uma estranha figura no meio do caminho. Achando que era um gringo perdido pelas redondezas, David sai do carro para oferecer ajuda, mas é retribuído com uma bela de uma ganchada nas entranhas, o que já era de se esperar, já que policiais nesses filmes nunca sobrevivem. Então, Willis começa a perseguir Helen. Após ela fugir, berrar, se deparar com a carcaça de sua irmã estúpida do lado de um vaso sanitário e quebrar uma janela; quando finalmente pensa que estaria a salvo, ela é surpreendida por Ben em um beco, que teria chegado ali por meio da milenar técnica do teletransporte, essencial para qualquer serial killer que se preze. Após jogá-la no meio de um monte de lixo e assassiná-la por lá mesmo, Willis vai em busca de Sidney Prescott Julie James, e em seguida, daria cabo de Ray Bronson, seu namorado pateta.

 
Ben sem sua fantasia, mostrando toda a felicidade em conversar com Julie pessoalmente.

Julie faz uma segunda visita a caipira, mas acaba sendo expulsa por abusar da sorte e dizer que o chá que ela tinha feito não prestava. Em sua nova visita, Julie descobre também que David Egan tinha sido assassinado, e com ajuda de uns amigos hippies que atuavam nos desenhos do Scooby-Doo, ela descobre que a identidade secreta do pescador era Ben Willis. Na verdade, ela só descobre depois de ir estupidamente visitar Ray Bronson, acusando-o de ser o assassino. Enquanto Julie tentava fugir dele, Ray leva um soco no meio da fuça de Willis, que se apresenta como salvador da pátria e manda Julie se refugiar em seu barco. Finalmente, Ben fica cara a cara com ela, e quando caiu a ficha de quem era o verdadeiro assassino, Julie acaba percebendo a burrada que tinha feito. Entretanto, Ray consegue entrar de bicão no barco, e dá-se início a uma pancadaria entre os três. Após levarem uma coça de dar do assassino, Willis finalmente prepara-se para matá-los. Porém, quando ergue seu gancho para perfurar Julie, Ray retira do seu bolso um tubo de Super Bonder, colando a mão dele numa corda. Ben então é levantado até o alto, onde tem sua mão decepada por uma polia que ele costumava usar para ensinar Física para sua falecida filha, e em seguida, seu corpo cai ao mar. Dessa forma, Ben tem sua suposta segunda morte, mas seu corpo nunca teria sido encontrado, o que já dá a entender que o filme teria mais uma continuação, para estragar o sucesso do primeiro, provavelmente.

Terceira morteEditar

 
Willis arquitetando um novo plano maligno para dar cabo de Julie e sua trupe.

Embora tudo indicasse que Ben provavelmente tivesse ido para a vala de vez, como já mencionado, jamais encontraram seu corpo. Mas pra não criar pânico, é óbvio que as autoridades decidiram descartar a possibilidade de Ben estar vivo, e alegaram que ele possivelmente teria sido devorado por vermes aquáticos, sobretudo porque estamos falando de um caso de segurança nacional, tendo em vista que desde os anos 60 o país já se encontrava assolado pelos constantes ataques de assassinos em série. Logo, qualquer coisa que permitisse amenizar um pouco os ânimos da população, seria vantagem. Entretanto, é como já dizia o velho deitado: a esperança, a sogra e os assassinos de filmes de Terror, são os últimos que morrem. Ben estava vivinho da silva, e espera mais um ano para pôr em prática seus novos planos maléficos de dar cabo de Julie. Novamente, decide começar fazer o de sempre: azucrinar primeiro, matar depois.

Willis primeiramente, entra em contato com um antigo amigo, Dr. Frederick Charles Krueger, que dava aula de Assassinatos de Adolescentes I na UNISLACI (Universidade de Slasher City). A pedido de seu amigo, Dr. Krueger passa a fazer uma visitinha para Julie todas as noites, fazendo-a ter os pesadelos mais terríveis acerca do ocorrida uns tempos antes. Após perceber que Julie já estava paranoica o suficiente, Ben finalmente passa a entrar em ação. Entretanto, Ben não poderia dar as caras por Southport novamente, já que todos por lá tinham conhecimento de suas atrocidades, e ele seria identificado rapidamente, principalmente pelo fato de que haviam pendurado um retrato seu no mural da vergonha do museu local, e portanto, sua cara de psicopata tornara-se célebre. Dessa maneira, Willis usa suas economias (lembre-se que ele tinha sido chefe da máfia anos antes) e elabora uma viagem falsa com tudo pago para Julie e mais três acompanhantes quaisquer para as Bahamas, mais precisamente, para o antigo hotel que durante certo tempo, lhe serviu como centro de operações criminosas. Ben poderia simplesmente ter passado a perna em Julie, mas decidiu pagar para mais três pessoas porque estava a fim de afiar seu gancho, e quanto mais vítimas, melhor. Julie e seus amigos, caem feito patos no conto do vigário, e vão direto para a boca do leão. O pior de tudo, é que a maneira de como os imbecis foram tapeados foi digna de causar câncer em qualquer professor de História ou Geografia, bastando fazer a pergunta mais difícil de ser respondida por qualquer gringo via telefone: qual seria a capital do Brasil. Os jegues responderam na maior confiança, certos de que a capital do país seria Buenos Aires Rio de Janeiro. Ben e seu cúmplice tiveram de se conter para não caírem na gargalhada enquanto diziam que eles tinham acertado a resposta e tinham ganho uma viagem com tudo pago para as Bahamas.

 
  Tomar um banho de chuva, um banho de chuva-aa...  
Ben Willis no segundo filme da série.
 
The Fisherman anunciando seu retorno a Julie, fazendo-a se borrar de medo, como sempre.

Enquanto os quatro patetas arrumam as malas, Ben decide dar uma passadinha rápida em Southport para terminar negócios inacabados com o segundo do topo de sua lista negra, Ray Bronson, que tinha participado inclusive das suas duas primeiras mortes. Para isso, Ben invade uma loja de automóveis local, enforca o dono da loja com um pneu usado e rouba um carro. Depois, rouba um manequim de uma loja de roupas frequentada por velhinhas aposentadas, e o veste com uma roupa de pescador fajuta que só enganaria um trouxa. Usando seus poderes telecinéticos e psíquicos (única explicação plausível para o fato de Ben saber exatamente a hora e o dia em que Ray passaria por aquela estrada e ainda ter certeza de que nenhum outro carro passaria pela mesma), Ben se esconde no matagal, deixa o carro parado no meio da estrada com o boneco jogado do lado, e usando novamente seus poderes psíquicos, prevê que Ray sairia do carro para tentar socorrer o acidentado. Assim que Ray sai do carro, o pescador sai do meio do mato com seu gancho, pronto para ceifar a vida de Ray de uma vez por todas. Porém, no meio do caminho Willis avista um figurante dentro do carro, que nada mais era do que um amigo de Bronson. Vencido pela tentação, Ben não resiste e prefere matar o figurante primeiro, afinal de contas, é para isso que eles foram criados, e seria um desperdício deixar aquele vivo. Isso dá tempo suficiente para Ray baixar o espírito do Ligeirinho e se mandar dali enquanto o psicopata limpa sua arma. O assassino persegue Ray, e após o cara tropeçar de burro num pedregulho e rolar morro abaixo, chega a conclusão de o serviço estava feito, e parte rumo as Bahamas, chegando lá rapidinho por conta de seu superpoder do teletransporte.

Assim que chega lá, Willis começa a preparar o abatedouro a ilha para receber suas vítimas, se encarregando de assassinar todos os habitantes da ilha (com exceção dos trabalhadores do hotel) e encomendando uma chuvarada para aquela mesma noite com um macumbeiro local, para dar aquele climazinho propício para a carnificina. Assim que os jovens chegam e se instalam no hotel, Ben... Bem, não se sabe o que Ben fazia, pois depois de ter assassinado o figurante citado anteriormente, ele não dá as caras por mais de meia-hora, então, deduz-se que ele estivera observando os trouxas de longe enquanto contava os minutos para meter o gancho no pescoço deles, um a um. Então, após jogar Ki-Suco nos circuitos e sabotar o sistema de karaokê do hotel de forma a assustar Julie, Ben dá início a temporada de caça ao adolescente. Primeiramente, para se certificar de que seu gancho estava afiado e pronto para o uso, ele decide ir até as docas e matar Darick, um fracassado que nem sabia porque estava ali e que não tinha capacidade sequer de amarrar a porcaria de um barco sem se embabacar todo. Uns minutos depois, Ben vai até um quarto de hotel vip especialmente construído para ele, e decide beber uma cerveja, fumar um charuto cubano e assistir ao seu filme favorito , O Mistério de Candyman. Porém, na melhor parte do filme, seu filme é bruscamente interrompido por batidas constantes na porta. Por ter sua atenção do filme desviada, Willis acaba perdendo a cena, o que o deixa tremendamente puto. Dessa maneira, ele vai até a porta, e atende, deparando-se com Olga, na qual aplica uma bela de uma ganchada no meio da cara por ela ter mandado seu momento de lazer para o ralo.

Puto da cara com toda a situação, Willis decide antecipar sua vingança e acabar com aquilo de uma vez por todas, e tenta se livrar dos corpos antes que eles se acumulem em sua casa e comecem a feder a podridão. Esconde o corpo de Darick num armário e o corpo de Olga numa máquina de lavar. Entretanto, acidentalmente Julie acha o defunto do armário, e começa a rodar a baiana aos berros por todo o hotel. Assim que ouve todo aquele barraco, Ben rapidamente se teletransporta para o armário, e retira o corpo de lá, pois ainda não queria chamar atenção, e com uma técnica aprendida com seu tio-avô, Saga de Gêmeos, envia o cadáver para outra dimensão (o qual nunca mais fora visto). Terminado o serviço, Willis decide ir relaxar em um chiqueiro ao lado do hotel, onde ele costumava esconder seu baseado e todo seu suprimento de ervas. Porém, quando chega lá, se depara com um gordo chapado, que tinha achado seu estoque de maconha e cheirado quase tudo sozinho, e ainda tinha tomado posse do lugar. Ainda mais emputecido, Willis enfia seu gancho na mão do gordo, e ainda não satisfeito, mete um tesourão de jardineiro no meio do peito do desgraçado. Por ser muito pesado para ser carregado, Willis deixa o obeso morto lá mesmo, e sai rapidamente do lugar ao ouvir mais berros. Aparentemente, tinham achado a carcaça de Olga na máquina de lavar. Aquela altura, a chuva infinita encomendada por Ben já tinha se iniciado, e ocuparia cerca de 70% do segundo filme.

Como já tinham descoberto dois defuntos e era questão de tempo até descobrirem o terceiro, estava mais do que na hora de acabar com Julie, antes que o espírito de Final Girl despertasse novamente e eliminasse quaisquer chances de concluir sua vingança. Ben se dirige rumo aos berros de Karla, e no caminho, aproveita para mandar Sr. Brooks, o diretor do hotel, para o colo do Capeta, já que nunca foi com sua cara. Assim que chega em Julie, ele percebe que ela estava pegando uma cor naquelas perigosas máquinas de bronzeamento artificial feitas na base do cuspe, que qualquer coisinha já pode resultar em um curto-circuito. Ao prender as bordas da máquina e deixar Julie para virar a torrada, Willis se manda sem deixar rastros. Porém, seus planos são frustrados, já que desde o primeiro filme, Julie tinha feito um exaustivos treinamento para exercitar sua voz, o que deixou suas cordas vocais mais afiadas do que antes, conseguindo chamar a atenção de todos os habitantes (vivos) da ilha. Após salvarem Julie e encontrarem mais corpos espalhados pelo hotel do que baratas atrás de armários, ela conta a experiência toda do primeiro filme, e eles partem em busca da solução. Enquanto isso, a chuva, um dos protagonistas do filme, continua a cair enquanto Willis planeja novos meios de assassinar todo mundo.

Inicialmente, eles descartam a história de Julie, dizendo que ela estava viajando na maionese ou provavelmente só querendo chamar atenção, pois não tinha como um defunto estar matando gente.Logo, toda a culpa recai sobre Estes, o macumbeiro oficial do hotel que tinha sido o único que não tinha dado as caras ainda. O fato de terem encontrado na casa do velho artefatos de voodoo, tais como bonecas sinistras, objetos pessoais roubados, velas de cemitério e frangos pelados só reforçava a hipótese. Mais tarde eles deparam-se com Estes dentro do hotel, mas chegam a conclusão de que ele estava muito decrépito e senil para ser o responsável por aquilo. Após Estes contar a história de Ben Willis e mostrar um túmulo com o nome de Julie, eles voltam para o hotel devido ao medo, e se escondem na despensa, onde além de ter um lugar seguro para ficar chupando o dedo e chamando pelas suas respectivas mães, ainda teriam suprimento de comida. Lá eles deparam-se com Nancy, e começam a falar um monte de coisas sem utilidade entre sim. Enquanto, Ben deduzira que eles cedo ou tarde iriam se refugiar lá, ejá estava a sua espreita, esperando o momento certo para atacar. Assim que não consegue mais ouvir tanta asneira por parte dos jovens, Ben já chega tocando o terror, atravessando a garganta de Tyrell Martin com seu gancho.Em seguida, começa a perseguir o restante das sobreviventes.

 
Ben, exibindo seu gancho enquanto concentra todo o seu Ki para aplicar em Ray a mais poderosa técnica proibida já criada pelo homem: o Ganchada no Jutsu.

Nancy, Julie e Karla saem correndo e se escondem no sótão. Como a madeira da porta que levava ao local era vagabunda (provavelmente eucalipto), Ben só precisou dar uns três socos nela para conseguir invadir o local. Como algo inesperado (que na verdade todo mundo já espera) sempre tem que acontecer durante a perseguição de um assassino, Karla acaba pisando numa parte fraca do local e ficando presa. Alguns minutos depois, a um passo de assassiná-la, Karla consegue se libertar, mas acaba caindo do forro e levando Ben junto. Como ninguém gosta de levar um tombo, e como Karla era a mais próxima, Ben decide perseguir ela mesmo para descontar a raiva, para depois ir se acertar com Julie. Karla tem a brilhante ideia de se refugiar num telhado de vidro em cima de uma estufa, e Ben decide aguardar por ela dentro do lugar, já que era óbvio que era questão de tempo até ela fazer uma nova burrada e sofrer um novo tombo. Assim que cai, Deus, que estava de muito bom humor naquele dia, lança sua bênção sobre Karla, que de alguma maneira, consegue atravessar uma brecha minúscula numa porta e escapar de Ben em tempo. Posteriormente, elas são encontradas por Will Benson, que na verdade era filho e cúmplice de Ben Willis. Will leva elas para uma armadilha, se fazendo de coitadinho e fingindo estar machucado. Enquanto Julie é rendida por Will, Karla e Nancy recebem uma visitinha relâmpago de Ben, que estava escondido pelas redondezas. Após usar um tridente para matar Estes e Nancy, Willis se dirige até Karla, lhe desferindo uma ultra-ganchada. Na verdade, Ben erra o seu golpe, mas Karla cai para trás e fica provavelmente inconsciente. Pensando que ela tinha sofrido um ataque do coração e morrido por ali mesmo, Ben se teletransporta para a floresta, onde espera por seu filho depravado trazer Julie.

Após a reunião familiar entre pai e filho, no momento em que estava prestes a dar a cabo de Julie de uma vez por todas, Ben e William são surpreendidos pela versão do mundo de contra de Willis, Ray Bronson, o pescador bonzinho. Willis ri da cara de Ray, pois sabia que ele não passava de um fracote covarde que nunca tinha apertado um gatilho na vida. Ben envia seu filho para dar uma lição em Ray, certo de que o mesmo tomaria um couro daqueles. Dito e feito: após apanhar mais que mulher de cafetão, Ray é segurado por Will Benson, e Ben prepara-se para dar cabo do estúpido de uma vez por todas. Novamente de bom humor, Deus lança um empurrãozinho para que Ray, que já estava praticamente morto, saia do alcance do gancho de Ben, que nesse ínterim, acaba errando a ganchada e perfurando em cheio o peito de seu filho. Aquilo teria sido o cúmulo: movido pela fúria de perder mais um filho, Ben prepara-se para aplicar em Ray o mais poderoso golpe na base de gancho que alguém poderia ter o azar de receber. Entretanto, Julie teria sido mais rápida, e após juntar do chão a arma que Ray, devido a incompetência, tinha deixado cair, lança uma rajada de chumbo grosso em Willis, que cai num túmulo aberto e provavelmente acaba sendo sufocado por toda a lama do lugar. Essa teria sido a morte definitiva de Ben, e ele não mais tocaria o terror em adolescentes burros noventistas... Pelo menos não em vida. Não se sabe ao certo se Willis sobreviveu e depois veio para puxar Julie para debaixo da cama e assassiná-la, ou se ele realmente foi pra vala e Julie estava tendo apenas mais um de seus habituais pesadelos, só o que se sabe é que Willis estaria de volta no próximo filme, apto a chacinar mais um bando de adolescentes.

Quarta morteEditar

 
Estátua de Ben Willis erguida em Southport por algum nerd para ilustrar a lenda.

Assim que é baleado infinitas vezes antes de cair no túmulo de lama e água suja, Willis aparentemente morre definitivamente. Pelo menos, seu corpo físico, agora tinha finalmente virado presunto de uma vez por todas. Assim que chega ao Inferno, Willis depara-se com vários conhecidos: Ghostface, seu filho e Jack, o Estripador. Capeta estava a sua espera, e o recebe com um abraço de boas-vindas. Willis é conduzido até uma sala vip com o seu nome. Como Capeta era simpatizante de Willis, que teria sido de suma importância ao enviar várias almas para ele de graça, o tinhoso lhe oferece um emprego vitalício como seu fiel seguidor, onde a única coisa que deveria fazer era ir até o plano terrestre e trazer mais algumas almas perdidas de adolescentes pra ele. Como assassinar adolescentes já havia virado um vício, Willis aceita, e é enviado, sob a forma de uma monstruosidade feia de doer, até o plano onde havia nascido, e fica desse momento em diante, fica vagando feito uma alma penada, esperando o primeiro jovem fazer uma burrada para que ele lhe viesse puxar o pé de noite.

Anos após os seus primeiros massacres, Ben Willis rapidamente tornara-se uma verdadeira lenda entre os adolescentes locais, e era uma questão de tempo até eles fazerem alguma burrada para que ele pudesse entrar em ação e iniciar mais um de seus habituais massacres. Como era de se esperar, esse dia chegou. Durante um festival aleatório do 4 de Julho, em meio a uma comemoração em um parque de diversões, repleta de adolescentes burros, um grupo de 5 amigos (Amber Williams, P.J. Davis, Roger Pack, Colby Patterson e Zoe Warner) decidem pregar uma peça na população, encenando um ataque mentiroso de Willis para assustar a todos os desocupados que haviam matado o serviço para estarem ali na festa. Como eram toscos e sem qualquer habilidade para o teatro, a brincadeira da muito errado e um dos incompetentes morre, ao cair de costas em cima de um pedaço de ferro que erguia-se de um trator que seu dono tinha deixado ali enquanto foi encher a cara nas barracas da festa. Os jovens então entram em desespero, já que por culpa de sua ausência completa de cérebro, tinham matado um amigo. Claro que o egoísmo falou mais alto que a amizade, e eles decidiram ficar de boca fechada e não contar nada para as autoridades. Como não tinha gostado nem um pouco das atuações baratas do grupo, decide preparar seus respectivos caixões.

Como tinha que respeitar a tradição, Ben só começou a perseguir os adolescentes um ano depois, e ficou o ano inteiro planejando a melhor maneira de matá-los. Então, uns dias antes do 4 de Julho, como era a tradição, ele decide enviar mensagens para Julie James 2.0 Amber Williams. Dessa vez porém, recadinhos escritos sob a forma de cartinhas de amor ficaram no passado, e Willis, apelando para a tecnologia, decide enviar mensagens de celular, afinal, até mesmo os assassinos devem se modernizar. Amber, tremendo na base, se manda em busca de refúgio na casa de sua amiga, que gentilmente lhe deixa dormir em sua garagem ao lado do cachorro. Após Amber e Zoe irem encher o saco de Roger e Colby, Amber e Zoe voltam pra casa e ficam contando fofoca no carro, enquanto Willis provavelmente observava de longe e morria do tédio. Mais tarde, Amber tem a brilhante ideia de passear de bicicleta sozinha por um morro sinistro e macabro, próximo a um floresta e bem longe da civilização. Enquanto Amber fica olhando para o nada e bater umas fotos de porra nenhuma, Willis aproveita para roubar destruir as rodas da bicicleta de Amber, fazendo-a voltar a pé. Willis novamente entra em contato com seu amigo macumbeiro da chuva do filme anterior, e encomenda uma nova tempestade para criar o clima de terror para mais tarde. Logo, resta a Amber chegar até o teleférico local, que tinha linha direta para a cidade, para pegar o último embarque da noite e ir para casa. Porém, quando deslocava-se pelos ares, assim que a tempestade encomendada se inicia, Willis ataca Amber no teleférico e depois se teletransporta do lugar. Amber quase vai pro saco, mas Ben acaba se lembrando que deixou a comida no fogo e se manda rapidamente do lugar, deixando o trabalho pela metade.

 
Ben Willis, depois que voltou do Inferno já com o Capeta no couro.
 
The Fisherman, ao ser golpeado com tinta guache por alguns adolescentes numa falha tentativa de sobrevivência.

Como Amber tinha sido atacada uma vez e sobrevivido, Willis logo se deu conta de que ela era a protagonista do novo filme, e por mais que ele a atacasse, ela iria sair vivinha da silva, já que tinha proteção eterna dos diretores. Logo, era preferível deixá-la para mais tarde e primeiro ir atrás dos outros figurantes do filme. Willis decide fazer uma visitinha então a Roger Pack, o mais obscuro e secundários deles, e como era de se esperar, a primeiro que ira comer capim pela raíz. Quando Ben chega na espelunca que Roger usava como casa, ele depara-se com sua vítima chorando, cortando os pulso, enchendo a cara de cachaça e se afundando nas drogas, enquanto lamentava o fato de ter sido um dos principais responsáveis pela morte de seu amigo P.J. Willis é comovido com toda aquela demonstração explícita de depressão, e decide acabar de uma vez por todas com o sofrimento de Roger, que cai duro no chão em meio a uma poça de sangue, após levar uma ganchada de lado a lado do pescoço. Pouco tempo depois, os três patetas que sobraram chegam até a casa de Roger e deparam-se com sua carcaça sem-vida lá. Após mentirem mais um pouco para a polícia, os jovens vão até a casa de Amber, onde Willis, que estava um pouco com vontade de curtir coma cara deles, teria roubado todo o lixo utilizado em um dos episódios do Chaves e espalhado por toda casa.

No dia seguinte, pela manhã e pela tarde, Ben decide tirar uma folga e fica dormindo em algum lugar por aí, para só voltar a perseguir os adolescentes de noite. Enquanto isso, os jovens passam o dia todo fazendo nada que preste, se borrando de medo, levantando falso testemunho, e fazendo orações a Deus. Pela noite, Willis volta a atacar, fazendo uma visitinha inofensiva a Zoe. A ideia era só arranhar alguns móveis de forma não muito expressiva, só para fazer pequenos ruídos e assustá-la, mas se irrita ao ver que uma marmanja daquela estava dormindo com roupas de cama que apresentavam estampas de ursinhos carinhosos. Então, acaba rasgando todos os lençóis e travesseiros do lugar, deixando Zoe apavorada. Willis também faz uma visita a um pobre coitado que não tinha absolutamente nada a ver com a coisa toda, Lance Jones, riscando sua Yamaha zerada com seu gancho, e obviamente, o deixando muito puto da cara. Ainda não satisfeito. Willis também parte em busca de Colby. Contudo, pelo fato de não ir com a cara de Colby, já que o mesmo era basicamente uma fotocópia de Barry Cox (playboy, mimado, metido a valentão, bully, retardado, se achava o máximo, tinha cérebro de minhoca e era sem dúvidas o mais irritante, filho da puta e desgraçado do grupo); Ben decide ir mais longe, e mete uma ganchada no pé de Colby, que estava exercitando seu corpo cheio de anabolizantes numa piscina de natação. Depois de se reunir e terem proteção policial negada pelo xerife, que os odiava, eles decidem fugir da cidade, na falha expectativa de que conseguiriam escapar de Willis. No final das contas, eles decidem ficar na cidade, já que Zoe fez birrinha que queria cantar em uma apresentação local e os idiotas, ao invés de se mandarem, decidiram acompanhá-la.

Naquela mesma noite, eles vão até a apresentação de Zoe, e assim que eles vão até os bastidores parabenizar Zoe por não estourar seus tímpanos como o restante dos participantes do grupo, eles são atacados por Ben, que estava só a espreita do momento certo para dar o ar da desgraça. Lance, Amber e Zoe então põe-se a correr, enquanto Barry Colby, por hora, estava são em salvo enchendo a cara num barzinho ali perto. Durante a perseguição, de alguma maneira estupidamente inexplicável, Zoe consegue realizar a proeza de se perder de Amber e Lance mesmo estando praticamente um passo a frente dos dois, indo parar onde Judas perdeu as botas. Ela então é surpreendia por Willis, que a localizou com seus super poderes de fantasma. Ele então enfia-lhe o gancho na barriga, e lança de cima de uma sacada. Amber e Lance testemunham tudo de camarote, horrorizados enquanto Amber começava a se debater em berros. Sentindo cheiro de confusão, Xerife Davis chega a até o local, e encontra o cadáver de Zoe. Quando estava prestes a prender Lance e Amber por assassinato, Willis lhe surpreende pelas costas, aplicando-lhe um combo de chave de pescoço mais ganchada no ombro, acabando com o coitado do velho que estava ali por acaso. Em seguida, antes de partir para o prato principal, Ben decide matar o playboy, que já estava caindo pelas beiradas atrás de um balcão. Colby até consegue meter uma faca no ombro de Ben, mas a mesma não teria lhe feito cócegas, já que era um fantasma e portanto, era imune a dor. Após Colby ficar enrolando, numa falha tentativa de despistar Ben, o mesmo surge do nada, metendo o gancho em sua garganta e puxando ele através do vidro de uma porta como se fosse um saco de lixo.

 
Ironicamente, o seu melhor amigo veio a se tornar o seu calcanhar de Aquiles.

Após encontrarem o corpo de Colby e tentarem fugir pela porta dos fundos, eles se deparam com John Hafner, o policial apaixonado por Amber, que ao vê-los sujos de sangue, de cara deduz que eles andaram fazendo alguma merda por aí afora. Porém, quando abre a porta do seu carro para prender os dois, o corpo de Zoe salta de lá, deixando todo mundo confuso e sem saber quem de fato andava matando geral. Eis então que Willis, aparece do nada com seu gancho, pronto para mandar todo mundo presente para os confins do Inferno. Hafner tenta parar Willis com chumbo grosso, mas como já estava morto mesmo, as balas serviram pra porra nenhuma. Como Willis não gostou nem um pouco de ser recebido com tamanha falta de educação, ele mete o gancho em Hafner e o pressiona contra duas estacas de ferro que sabe-se lá porque estavam no local. Sem nem esperar Willis limpar o sangue de seu gancho direito, Amber e Lance passam por cima de Ben, numa fracassada tentativa de matar um defunto. Nesse momento, Willis fica mais irritado, pois eles teriam o feito perder seu chapéu de pescador, revelando sua cara feia de zumbi-fantasma. Quando tenta atacá-los porém, Amber, em mais uma tentativa desesperada de se defender, o acerta com o seu gancho original, fazendo-o sentir uma dor de cão e afugentando-o (mesmo a porcaria do filme não ter explicado por que diabos aquilo o feria).

Em seguida, Amber e Lance tentam montar uma armadilha para pegar Willis, mesmo tendo ciência de que o cara era uma aberração sobrenatural e que não sucumbiria a artimanhas mundanas. Como era de se esperar, Willis aparece do nada, junta Lance e Amber no sarrafo e faz seus planos fracassarem miseravelmente. Quando estava prestes a matar os dois de uma vez por todas, Amber, na maior cagada, consegue ser mais rápida que Willis, e acertá-lo com o gancho em cima do pé, fazendo-o recuar brevemente, porém, deixando muito mais puto da cara. Nova oportunidade, nova corrida inútil por suas medíocres vidas, já que seria questão de tempo até Willis alcançá-los. Quando Ben finalmente os alcança, ele novamente aplica um especial de porrada nos dois, deixando-os completamente desnorteados sem nem sequer suar. Entretanto, numa manobra covarde, Amber ataca Willis pelas costas, metendo um gancho bem no meio da cachola enquanto ele estava preste a matar Ray Bronson Lance. Por fim, ele é empurrado para o triturador de um trator, saindo sob a forma de carne moída no outro lado da máquina. Não se sabe porque diabos isso aconteceu, só o que se sabe é que Willis, que até então era imortal, acabou virando picadinho e aparentemente morrendo. Porém, é revelado que Willis era um grande cheater, e tinha se apropriado de um hack para ter vida infinita. Assim que é triturado pelo trator, ele na verdade tem sua vida reiniciada no ponto de save mais próximo, e por fim, surge do anda atrás de Amber com seu gancho. Tudo leva a crer que Amber, depois dessa, é quem teria ido pro saco, e por ter apenas uma life, nunca mais dá as caras.

LegadoEditar

 
Ao lado de outras grandes referências no gênero, The Fisherman entra para o hall da fama dos assassinos em massa de adolescentes, consagrando-se assim num ícone do nerd horror.

O maior legado de The Fisherman, foi o de ficar conhecido mundialmente como o primeiro serial killer a fazer sucesso nas sombras de Ghostface. Em virtude disso, é atualmente tido como o segundo maior vilão de filmes de Terror Teen dos anos 90 pelos adeptos do gênero, sendo que também teria ficado famoso por conta de seu gancho claramente feito de plástico (facilmente observado nos filmes) e de sua fantasia de Halloween de pescador, feita na base de lona de circo. Willis também pode ser considerado um personagem complexo: durante o filme, ele aparenta ser um dos maiores odiadores de adolescentes que já passaram pela face da Terra, além de ter sido um marido abusivo, requisitos suficientes para ser considerado um exímio psicopata filho da puta. Entretanto, ele aparenta amar seus dois filhos, a anônima Susan Willis e William Willis, já que a morte da primeira teria sido a pioneira para ele dar início a suas primeiras carnificinas, e a morte do segundo o teria feito dar a maior demonstração de ódio ao longo da série. Dessa maneira, conclui-se que Willis, definitivamente, é um grandioso doidão de ácido existencialmente confuso consigo mesmo e com a vida.

Willis também teria entrado para a gangue dos assassinos imortais do cinema de horror, já que essa desgraça não morre por nada nessa vida, seguindo assim os passos de grandes nomes do gênero, fazendo do mesmo, mais um personagem criado sem qualquer originalidade por parte de seus criadores. Mesmo assim, sua aparição no primeiro filme da série teria rendido a ele uma verdadeira legião de fãs, já que suas principais vítimas tratavam-se de patricinhas e playboys irritantes. Porém, como de costume, não demorou muito até os diretores, numa forçada tentativa de render mais alguns milhões, vandalizarem com o personagem; sobretudo no terceiro filme da série, no qual Ben deixou de ser um simples pescador matador de adolescentes, para se tornar uma aberração medonha meio fantasma meio zumbi, com poderes de super-heróis de histórias em quadrinhos, tais como super-força e teletransporte. Resultado: o terceiro filme foi um verdadeiro fracasso, que passou longe de fazer jus ao personagem, e em virtude disso, nunca mais deu as caras. Porém, é um fato incontestável que nos dias de hoje Ben Willis tenha se tornado uma lenda entre os nerds cinéfilos e adeptos de filmes de Terror, que costumam se reunir quase todos os finais de semana, na casa de seus amigos para reprisar pela milionésima vez, todos os filmes da série (dos quais eles provavelmente já devem ter decorado todas as falas).

Ver tambémEditar


v d e h
Eu nunca deixarei de saber o que vocês fizeram no verão passado.


v d e h