Abrir menu principal

Desciclopédia β

Biblos

Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Você quis dizer: Bíblia Cquote2.png
Google sobre Biblos

Biblos é uma das principais cidade do Líbano (atual Fenícia) que ficou conhecida na antiguidade por onde os gregos importavam papel higiênico (conhecidos como byblos), o que viria a dar o nome à cidade.

Atualmente, arqueólogos de todas partes do mundo visitam o local para ficarem cavando a procura de pedras antigas, ossos de dinossauros e provas de que Adão e Eva viveram ali.

HistóriaEditar

 
Biblos, é como a Mônaco da antiguidade.

Considerada a cidade mais antiga do mundo, fundada em 5000 a.C. por Noé após o Grande Genocídio Sagrado de Sodoma e Gomorra, Biblos é o mais antigo relato de caos urbano e degradação do meio ambiente que se tem notícia.

Com a criação da civilização pelos gregos, muitos se perdiam enquanto íam pescar em Creta e acabavam indo parar em Biblos, onde os forasteiros foram os inventores da fornicação.

Com o surgimento da Fenícia, Biblos torna-se a capital do império dos primeiros piratas do mundo. Depois vieram os bizantinos e consficaram aquelas terras usando grilagem, depois vieram os persas liderados por Xerxes III e usaram Biblos para mandar mensageiros para Esparta, e finalmente os muçulmanos durante a criação da Terra Sagrada (vulgo Jihad) dominaram Biblos.

Os Cruzadas apareceram só em 1098, quando a igreja católica também promoveu o seu jihad. Europeus e muçulmanos ficaram séculos explodindo Byblos até se cansarem. Aí então, recentemente, o Império Otomano comprou Biblos a baixo preço e depois o vendeu para o Líbano a um alto preço.

Descobertas ArqueológicasEditar

Recentemente a renomada arqueóloga Lara Croft fez inúmeras descobertas nas mais de 9000 camadas de ruínas de Biblos, entre elas um tablete com um alfabeto de 22 letras, sendo a forma conhecida mais primitiva de miguxês da história.

Nessas ruínas está também o Templo de Resheph, um antigo Deus da Guerra que perdeu para Ares em popularidade, e por isso foi destruído por Alexandre, o Grande, o viadinho que vandalizou todo o Oriente Médio.

Acredita-se também que foi em Biblos que Silvio Santos inventou as notas de 100 reais.

Durante a mitologia grega era também um dos principais centro de culto ao Adônis, o jovem que comeu Afrodite e Perséfone e botou chifre no Ares e Hades respectivamente.