Abrir menu principal

Desciclopédia β

Brain Drain

A capa do álbum foi inspirada na sensação de "perder o cérebro" que os músicos sentiam devido ao abuso de drogas.

Brain Drain é o décimo-segundo álbum da banda folk punk novaiorquina Ramones. É também o único que é conhecido por pessoas que não sejam roqueiros fanáticos, por conter a canção Pet Sematary, composta especialmente para o filme Cemitério Maldito, mas que praticamente não toca nele—os produtores acharam que o filme já era assustador demais sem ter a voz de Joey Ramone como trilha sonora.

Índice

Lista de músicasEditar

  1. I Believe in Miracles – 3:19
  2. Zero Zero UFO – 2:25
  3. Don't Bust My Chops – 2:28
  4. Punishment Fits the Crime – 3:05
  5. All Screwed Up – 3:59
  6. Palisades Park – 2:22
  7. Pet Sematary – 3:30
  8. Learn to Listen – 1:50
  9. Can't Get You Outta My Mind – 3:21
  10. Ignorance Is Bliss – 2:38
  11. Come Back, Baby – 4:01
  12. Merry Christmas (I Don't Want to Fight Tonight) – 2:04

HistóriaEditar

Depois de 13 anos de carreiras, os Ramones estavam meio sem saber o que fazer. Já haviam lançado álbuns de enorme sucesso, álbuns de grande fracasso e outros bem sem-vergonha, como o anterior Halfway to Sanity. Já pensavam em largar a música e voltar a cometer pequenos furtos em sua cidade Natal, quando o horror de escritor escritor de horror Stephen Burger King, idealizador do projeto Adote um Artista Decadente, resolveu dar à banda a oportunidade de ter um lar, um prato de comida e uma cama limpinha onde dormir. Anteriormente, ele já havia feito o mesmo com bandas como Aerosmith e Bon Jovi.

Assim, depois de muito ovomaltino e leite com pera, os quatro rapazes (que na época já beiravam os 42 anos) resolveram que já era hora de lançar mais um disco, pois outros ídolos como Freddy Krueger já haviam aparecido e eles corriam o sério risco de ser esquecidos. Aproveitando que seu padrinho estava desenhando[1] o roteiro de Cemitério Maldito, pediram para que ele incluísse uma singela canção da banda em sua trilha sonora.

No entanto, como King era um homem acostumado ao luxo, resolveu dar a bunda à banda a oportunidade de gravar um álbum inteiro, inclusive com outros instrumentistas para tocarem em seu lugar—ou seja, seria um trabalho de qualidade. O resultado foi o álbum mais elaborado da banda, com melodias e arranjos que não deixavam nada a dever a bandas como Angra e Stratovarius.

  1. Repare como, sutilmente, o autor do artigo diz que o escritor não sabe escrever.

RepercussãoEditar

Devido à superprodução do trabalho, que traía os ideais do movimento punk, véio!, muitos fãs passaram a ouvir bandas mais hardcore como Guns N' Roses. No entanto, assim como aconteceu mais tarde com o Metallica ao lançar seu álbum afrodescendente, uma multidão de novos ouvintes foi atraída pela sonoridade mais pop do álbum.

Assim, os Ramones passaram a apresentar programas na MTV, a participar de Reality Shows e a fazer todas essas coisas bacanas que traidores do movimento punk fazem. Uma vez mais os músicos integrantes da banda experimentavam o doce sabor do sucesso.

A saída de Dee Dee RamoneEditar

Acostumado à miséria e aos infortúnios de uma vida de pobre, o baixista Didi Mocó Dee Dee Ramone pediu para sair da banda em março de 1990, pois já estava de saco cheio de ser um milionário. Os outros entregantes integrantes, ocupados demais em gastar o dinheiro aparentemente sem fim que estavam recebendo, não deram muita bola à história. Só descobriram que era verdade verdadeira quando viram o antigo colega no programa da Oprah Winfrey cantando rap e usando o nome de Dee Dee Ramano.

Na mesma hora, os Ramones restantes organizaram um concurso público para selecionar um novo baixista. Como, na época, eles eram os reis da cocada preta, receberam mais de oito mil inscrições, o que tornou o processo muito demorado. Ao final dos testes, que duraram dois dias inteiros, os músicos, já famintos, resolveram pedir uma pizza, que foi entregue pelo brasileiro e imigrante ilegal Carlos José Tavares. Como a pizza estava boa, eles resolveram contratar o empregador mesmo, já que mais importante que ser competente no serviço era agradar aos patrões (o que comprova que concurso público é igual em qualquer lugar no mundo: por mais que você se esforce, senpre tem peixada).

Assim, Tavares foi renomeado C. J. Ramone e começou a participar ativamente e passivamente dos compromissos da banda, tocando em fãs, comendo drogas e cheirando shows aonde quer que fossem. Por ser uns 20 anos mais novo que seus colegas, despertou o interesse de groupies e coisas do tipo, fazendo com que a banda caísse novamente na estrada e lançasse, logo em seguida, um álbum ao vivo: Loco Mia Loco Live.