Abrir menu principal

Desciclopédia β

Branco Mello

Baixo12crds.jpg
Bass.jpg
Branco Mello pensa que é BAIXISTA!
E sabe que quem usa palheta é fresco!


Tum tum tum péum! Tum tum péum!

Cquote1.png Ei eu tenho uma pergunta Cquote2.png
Entrevistador

Cquote1.png Sim pode falar Cquote2.png
Branco Mello

Cquote1.png Ihh deu branco... Cquote2.png
Entrevistador efetuando uma piadinha

Joaquim Cláudio Preto Correia Negão Mello Júnior ou para preconceituosos Branco Mello, cantor e baixista da banda tropicalista brasileira Titãs. Nascido na região metropolitana de sua cozinha em 1900 e vai fumaça.

Não negro Branco veio de uma família de artistas mãe e pai músicos e seu tio era trapezista, com esse dom de artistas na veia, Branco com 10 anos de idade já sabia tocar uma guitarra, sendo que na época não existia tal instrumento.

Índice

Inicio da carreiraEditar

 
  E então essa calça me engorda?  

Aos 13 anos de idade já sabendo tocar uma guitarra[1], dá mesma habilidade que tarados tocam outra coisa, foi ao show de Raul Seixas, lá encontrou Marcelo Fromer com quem esboçou uma boa parceria, passa um tempo como os dois já estavam escrevendo umas músicas até legais resolveram ir atrás de outro cara reunir algumas gostosas da faculdade para formar o grupo musical Trio Mamão e as mamonetes o que pôr sorte do destino não aconteceu, bem agora vou falar... Ihh deu branco[2].

TitãsEditar

Do fracasso do grupo musical Trio Mamão e as mamonetes, e dos vários amigos desempregados que estavam morando de favor em sua casa tiveram que criar uma banda para ver se faziam algo de útil, então fizeram os titãs, e até hoje querem fazer algo de útil. Exato Branco foi o fundador dos Titãs dessa forma empresariando vários músicos como: Arnaldo Antunes e Nando Reis.

Como todos sabem só essa banda tropicalista punk não seria o suficiente para sobreviver então ele teve que fazer atuações e trabalhar esquemas pôr fora.

Esquemas por foraEditar

 
Branco com sua ex-puta.

Para viver bem Branco como todo membro dos titãs, precisava de esquemas pôr fora da banda, na primeira oportunidade Branco fez umas pontas em novelas e cria alguns álbuns solo. Há também correlatos da venda de lugares para estacionamento de veículos pôr preços absurdos, mas só boatos.

Seu dom televisivo e diretivo veio a tona na carreira dele quando em shows e turnês com a banda ele fez varias gravações que era tudo um golpe de marketing para criação do filme: "Titãs - A Vida Até Parece Uma Festa" onde ele lucrou centenas de centavos.

Anos depois Branco patenteou seu sobrenome e vendeu para um anime em troca do uso em um dos personagens. Além das piadas que incluíam seu nome e de repente.. Ihh deu branco.

ReferênciasEditar