Abrir menu principal

Desciclopédia β

Brasão de Armas da Polônia

BandeiradaPolônia.jpg NA ZDROWIE!

Brasão de Armas da Polônia joga The Crims e Tibia todo dia, não sabe pronunciar seu próprio nome de 250 consoantes, enche a cara no bar de leite, adora checar putas, não pode ir pro espaço e odeia comunistas.
Se você vandalizar, Obi-Wan Kenobi vai lhe mandar pro Corredor Polonês!


Polônia
Godelko.gif

Brasão de armas da Polônia (polonês: Godło Rzeczypospolitej Kurwa) é um patinho bonitinho e caricato abençoado pelo Papa João Paulo II que representa o país mais freguês da Europa.

DescriçãoEditar

Segundo as lendas difundidas por encanadores poloneses que emigraram pra trabalhar por toda a Europa em troca de 10 reais e um sanduíche de ovo, o lendário patinho branco polonês surgiu quando o lendário fundador da Polônia, Ah Lelech, avistou um ninho de pato durante suas andanças pelo continente. Chapado de LSD, ao olhar para o pássaro Lech viu o sol tornar as asas do pato em ouro enquanto o resto dela era puro branco. Maravilhado com aquela good trip e pensando ser aquilo um sinal de Jah Deus, Lech fundou ali o estado polonês e transformou o patinho em seu emblema em 1295.

Com as mais de 8000 guerras europeias durante a Idade Média e as sucessões de estado que se assucederam, o patinho polaco continuou ali, algumas vezes em destaque mas na maioria das vezes no fundo dos brasões, já profetizando a eterna síndrome de personagem secundário da Polônia em comparação com os outros países da Europa, mas mesmo assim, nenhum rei ou arquiduque conseguiu cozinhar o pato.

Após os poloneses descobrirem a existência do capitalismo com as incursões do encanador Jaroslaw (primo polaco do Mario) ao Reino do Cogumelo, o patinho passou a ser impresso nas notas de zloty que passaram a ser falsificadas e usadas para aplicação de golpes financeiros pela Europa.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial e a instauração do comunismo na Polônia o patinho perdeu sua coroa, confiscada pelo politburo e derretida para transformação em medalhas pro peito do camarada Stalin, porém com o fim do regime vermelho no país após uma mandinga de João Paulo II o próprio papa ordenou a elaboração de uma nova coroa pro pato. A nova coroa foi aprovada e abençoada pela Virgem Maria e o pato junto com o papa foi canonizado em 2014 pela Igreja Católica.