Abrir menu principal

Desciclopédia β

Brasão de Armas da Romênia

Drácula.jpg ESTE ARTIGO VEIO DA ROMÊNIA!

No topo de todas suas aldeias há um castelo mal-assombrado pelo Drácula, seus habitantes sabem fazer ginástica e comem estrogonofe de fígado.

Acredite ou não, também somos latinos.

Brasão de Armas da Romênia é mais um daqueles brasões cheios de criaturas mitológicas típicas das florestas assombradas do Leste Europeu, o brasão tem ampla divulgação no país sendo usado em 12 de cada 10 castelos e masmorras romenos.

Romênia
Brasão da Romênia.png

Durante a época da Romênia comunista o conde Vlad Ceauşescu tinha adotado inicialmente um daqueles emblemas típicos do socialismo com um resplandecente sol e uma bonita floresta de pinheiros mas acabou usando mesmo a versão oficial com um dragão do capeta, mais de acordo com a cultura romena e garantido a botar medo na população mantendo o proletariado na linha.

DescriçãoEditar

O brasão romeno vem num fundo azul-calcinha onde em primeiro plano temos a famosa águia dourada que guarda a entrada dos castelos romenos de madrugada, como se pode ver pelos seus olhos essa ave está num completo estado de transe onde podemos vê-la segurando uma cruz no bico representando o contraste entre o bem e o mal na Romênia. Ela segura em uma pata uma espada e na outra a estaca de prata igual a que foi introduzida pelos trabalhadores romenos no peito do vampiro Ceauşescu durante a Revolução romena de 1989.

Debaixo das asas da águia se encontra o sub-escudo dividido em cinco fatias, uma distribuída para cada região histórica da Romênia onde temos no primeiro quarto correspondente à Valáquia, a mesma águia dourada com o mesmo escudo gerando um efeito pó Royal se perdendo infinitamente num aviso às consequências de se explorar as masmorras romenas sem a permissão do Conde. Já o segundo quarto da Moldávia possui um touro representando a população de cornos da Romênia (os romenos são os cearenses da Europa).

No terceiro quarto em sentido horário temos a bandeira dos ciganos filhos da puta que ganham a vida atacando caravanas de caçadores de fantasmas vagando nas florestas amaldiçoadas do interior do país, seguido pelo par de Gyarados símbolo de Dobruja e por fim, o maior representante nacional e herói romeno Conde Drácula, símbolo da Transilvânia que promete aterrorizar a vida de qualquer um que ousar se meter com os romenos.

Edições anterioresEditar