Abrir menu principal

Desciclopédia β

Brian Epstein

Dark-Art-Grim Reaper 01DesktopNexus.jpg Brian Epstein já morreu!

Foi enfrentar madeireiras na Amazônia...

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno


Dart01.png Este artigo pode te levar para o lado rosa da Força!

E adora musicais.

Não o leia, exceto se você for macho, mulher ou está pintando as unhas de glitter.

Brian olhando o John Lennon chapado confundindo ele com o outro empresário...

Cquote1.png Sua intenção era pesquisar: Albert Einstein Cquote2.png
Google dando uma de adivinho com a pesquisa de Brian Epstein
Cquote1.png Você quis dizer: O segundo quinto beatle Cquote2.png
Google sobre Brian Epstein

Brian Epstein (Piscina-Viva, 19 de setembro de 1934 — Terra da Rainha, 27 de agosto de 1967) foi um empresário, drag queen e músico ocasional em uns poucos discos que nem vale a pena mencionar porque só uns doentes por música lembram disso. A maior importância da vida dele é a parte em que ele foi uma bonecona de luxo o mais famoso empresário daquela banda lá chamada Uz Bizorus. Banda essa que ninguém dá a mínima, já que só lembro dela aquela música "xilovu iéiéiéeeee"...

(Nota do próximo escritor: O redator da intro acima foi assassinado por um raio lançado do céu, devido sua terrível blasfêmia).

Índice

HistóriaEditar

Brian era um empresário qualquer, do ramo de cemitérios e fabricação de Amoeba. Ou seja, o máximo que ele poderia empresariar na vida eram Youtubers fracassados. Mas sei lá porque decidiu também se envolver com música, com bandinhas como Gerry & The Pacemakers e Cilla Black, que não deveriam levar em nada, já que tudo o que faziam era cantar o tema de sua Funerária, "Funerárias Bezerra de Melo, sua morte, nossa alegria!"

Mas por uma ocasionalidade bizarra do destino, numa boate gay chamada Cavern Club em que ele também se apresentava de vez em quando em Liverpool, um grupo com cinco panacas tocando Skiffle (um ritmo aí que duvido que você conheça que porra é essa), ele curtiu muito e acabou por propor um contrato, e a banda no primeiro contrato pagaria com o cu de cada um um centavo de Libra. Mesmo sendo caro pra caralho pra banda na época, eles toparam. Assim Brian procurou George Martin, um produtor que tava acostumado a gravar coisas do gênero Rodolfo & ET e sendo assim topou fazer um single de grátis. O single vendeu feito água no Saara, e assim todo mundo decidiu insistir nessa porra.

SucessoEditar

De 1962 a 1967 os Beatles fizeram um sucesso fodido, virando rapidamente a maior banda de todos os tempos da última semana, o que rendeu ao empresário uma caralhada de grana. O problema é que com o bônus vem a fodida no cu o ônus. Agoniado para sobreviver ao caos que era empresariar quatro filhos da puta egocêntricos que em todo canto que passavam promoviam o apocalipse feminista, o cara começou a tomar um monte de drogas como cajuzinho e Red Bull pra poder ficar acordado e aguentar a pressão do sucesso. Também começou a gastar grana pra cacete comprando um monte de joguinhos de tabuleiro da Grow e da Grasslite, o que foi com o tempo sugando todo seu cachê, pra desespero da banda que tinha que sustentar aquele suíno nos últimos meses da vida dele.

MorteEditar

Já putos com tudo aquilo, os Beatles foram fazer uma viajinha de férias lá pra Índia pra comer umas indianas, digo digo, pra aprender a meditação transcendental do guru Sexy Sadie. Se sentido abandonado pela turma, Brian entupiu-se de Rhoypinol pra ver a mina chamar ele de céu e levar o seu anel. O problema é que a dose foi demais e ele acabou morrendo de overdose quase instantânea.

As más línguas dizem que na verdade na noite em que ele bateu com as dez, ele tinha ligado djá pra Walter Mercado, que lhe deu maus presságios. Eis uma suposta transcrição da conversa dos dois:

Epstein: Alô? É o vidente?
Walter Mercado: Soy yo, ligou djá estoy aqui para revelar su futuro, que mandá?
Epstein: Gostaria de saber o futuro da banda que eu sou empresário. Sei lá, essa viagem deles me deixa muito preocupado...
Mercado: Entenduuuu e tens razão, pois que dessas terras orientais virão muitas coisas que virão a destroçar su sonho de tu banda. Em especial coisas piratas de peitículos caídos...
Epstein: Como pode ser isso?
Mercado: Abra bem sus ouvidos, mandar-te-ei una audicción del futuro tenebroso que se avizinha de vós todos:
(Clic de uma fita do demo fornecida por Chico Xavier)
Mercado: "...then there's this Welsh rarebit wearing some brown underpants... about the shortage of grain in Hertfordshire... Number 9 Number 9 Number 9 Number 9 Number..."
Epstein: MY GOD! Que coisa horrível! QUE TERRÍVEL! Não sei o que fazer... preciso desligar e pensar no que fazer...
Mercado: Fique a voluntad, sempre que precisar, ligue djáaaaa!

Pouco depois de desligar o telefone, Brian tomou o frasco inteiro de Rhoypinol e cortou os pulsos após uma seção de tortura usando uma boneca inflável e tentando transar com ela do modo heterossexual, indo pro colo do capeta a seguir.

Seja empresariado por eles tambémEditar