Abrir menu principal

Desciclopédia β

Bromo
Bromo.jpg
Um bromo se achando alguma coisa de útil
Símbolo, número Br, 35
Série Quase-gás-nobre
Principal isótopo Hue-hue-br
Propriedades atômicas
Massa atômica 79,904 cus
Dureza Molenga
Nível de radioatividade Baixa
Nível de toxicidade Média
Propriedades físicas
Comestível? Alguns nutricionistas recomendam
Inalável? Não
Posso passar na pele? Sim
Onde encontrar piscinas
ponto de fudição -7,35ºC
ponto de rebuliço 58,85ºC
Coisas de quadrinhos
Probabilidade de te transformar num super-herói Nulo



Cquote1.png Isso é nome coreano? Cquote2.png
Você sobre bromo
Cquote1.png Eu tenho medo! Cquote2.png
Regina Duarte sobre ter medo o bromo
Cquote1.png Nunca vi! Cquote2.png
Ray Charles sobre bromo elementar
Cquote1.png Não é pinga, mas dessa "água" passarinho também não bebe. Cquote2.png
Químico sobre a periculosidade do bromo

Bromo, conhecido na alquimia como sangue diabo, não é a toa um elemento químico zueiro, tanto que seu símbolo é nada menos que o Br, com número atômico 35 e que pertence ao grupo dos gases pobres. Sua configuração eletrônica mostra que sua valência padrão é -1, mas, assim como seu irmãozinho cloro, é capaz de aprontar altas confusões com outros átomos, num clima de muita azaração e isso faz com que o bromo possua mais de oito mil inúmeras valências, como -1, 0, +1, +3, +5 até +7. Haja coração para aguentar tudo isso!

Os seus elementos mais conhecidos são o brometo de hidrogênio (HBr3) que garante o cheiro e a coloração da urina e o solo fedido (SBr3), uma das substâncias causadoras da contaminação do solo.

Índice

CaracterísticasEditar

O bromo sempre foi um elemento químico muito estranho, afinal é um halogênio, uma categoria que nem os químicos sabem dizer exatamente do que se trata. O que se sabe é que o bromo sempre foi muito amigo do flúor, cloro e iodo, mas nunca teve grandes utilidades, ao contrário de seus amiguinhos que são todos bem conhecidos e úteis, que ou eram adicionados às pastas de dente, usados em produtos de limpeza (que a tua mãe conhece muito bem), como tempero ou adicionados ao sal de cozinha (vulgo cloreto de sódio), para evitar doenças. Por ser imprestável, o bromo acabou sendo esquecido pelos químicos por muito tempo.

QuímicaEditar

O bromo é um não ametal, pertencente aos halogênios e, portanto, comporta-se socialmente quimicamente como o flúor, cloro, iodo e astato. Sua reatividade (vontade que tem de reagir com outros átomos) fica entre as reatividades do cloro e iodo. O bromo, assim como seus parentes companheiros, são altamente reativos e loucos por sexo fazer ligações químicas, seja ela iônica, covalente ou coordenada.

Devido ao seu caráter altamente violento, o bromo reage quimicamente com quase qualquer merda que encoste nele. São poucos os elementos que assustam o bromo, entre eles o flúor, o cloro e o oxigênio, que são Chuck Norris, MacGyver e Marion "Cobra" Cobretti da tabela periódica respectivamente. No entanto, com os outros elementos (menos os gases nobres, que pertencem à zelite), o bromo geralmente briga, apanhando ou não, dependendo do outro lutador átomo envolvido no arrancarrabo.

Quando aplicado na indústria de plásticos, o bromo atua como agente para evitar que a merda o produto pegue fogo. Por isto, este elemento tem a função de retardar as chamas em produtos de PVC e em plásticos bromados. A causa deste efeito de proteção do bromo contra a oxidação e combustão sumárias que geralmente acometem os plásticos, os cientistas não sabem explicar e também nem perdem tempo tentando explicar, já que o que realmente importa para a indústria é que a bagaça funcione.

ToxicidadeEditar

Você sabia que...
  • ...o vapor do bromo é altamente corrosivo, tóxico e tem cor vermelha?

O bromo e muitos de seus compostos são altamente tóxicos e corrosivos, podendo matar se administrado nas quantidades recomendadas por assassinos. O vapor de bromo é altamente corrosivo, praticamente igual ao bafo da sua sogra quando ela acorda, e, portanto, necessita ser manuseado com muitississíssimo cuidado. É recomendado o uso de luvas, guarda-pó, avental e espanador máscara de gás ao lidar com bromo elementar (ou não).

Este elemento age dentro do organismo, tentando roubar o lugar do iodo e cloro, o que causa uma baita duma confusão. Geralmente ataca com um gancho de direita a tireoide, que é o único órgão do corpo humano que usa o iodo para alguma coisa. Lá, se disfarça do outro elemento e causa inúmeros danos, distúrbios, greves e brigas por onde quer que passe, devido ao caráter briguento e violento. A cura é pedir a Jesus que salve o infeliz paciente administrar calmantes para que os átomos fiquem anestesiados e não briguem mais, até que o corpo se livre do bromo de modo natural.

No caso de envenenamentos leves, a ingestão de bastante líquidos (cerveja não inclusa), alimentar-se com comidas pesadas leves e a realização do tratamento geralmente evita que o paciente peide para a muzenga, havendo grandes chances de cura (ou não). Acredita-se que o bromo possa ser cancerígeno, no entanto os estudos ainda em desenvolvimento ainda não chegaram a uma conclusão conclusiva. Se eu fosse você, ficaria longe desta merda deste elemento.

HistóriaEditar

Embora fosse considerado por alquimistas como um elemento sem muita serventia, em 1800 e cocada de limão, um nerd químico francês acabou por descobrir o bromo mesmo ninguém o pedindo por isto. E como ele descobriu este elemento, ninguém nunca soube. Este mesmo químico ficou rosa chiclete (como todo bom francês) de tão chocado ao ver que o elemento era vermelho e líquido. Apesar do cheiro irritante e corrosivo do elemento, este químico nem percebeu o cheiro do bromo, provavelmente também pelo fato de ser francês. Apenas na Inglaterra, através da amostra enviada por este químico, é que se teve real noção do fedor terrível que o bromo solta. E, na Inglaterra, o elemento recebeu plena e gloriosamente o nome bromo que vem da palavra grega brhomós, que significa banheiro público.

AplicaçõesEditar

Após ser extensivamente estudado, descobriu-se usos para este elemento, indo desde a indústria fotográfica até em reações orgânicas para oxidação do anel benzênico. Também foram descobertas aplicações em medicamentos para combate de tumores retais e para pinturas de cabelo, juntamente com a amônia. Inclusive, muito do bromo produzido pelas indústrias químicas é utilizado como aditivo da gasolina, adição esta que a Petrobrás faz questão de ter o monopólio, por motivos totalmente desconhecidos.

Atualmente o bromo é muito empregado na indústria de plásticos, já que na de papel o cloro é o queridinho. Muitos plásticos bromados são empregados juntamente com o PVC e outros produtos. O bromo geralmente é incluído nas substâncias de fanfarrão, para evitar que o plástico pegue fogo e a substância seja duramente oxidada pelo oxigênio, o que explodiria com a bagaça toda. No entanto, devido às descobertas de poderes mediúnicos propensão a provocar câncer o bromo vem sendo aplicado com mais cuidado no rabo nos produtos industriais (ou é o que as indústrias querem que você pense).