Abrir menu principal

Desciclopédia β

Cachambi

Rioband.jpg Coé, merhmão, eshte arhtchigo eh CARIOCA!

Não vandalize, senão a chapa vai ficarh quentche, cara. Agora deixa eu irh na praia pegarh um bronze nesse sol de 50 graush, comendo unsh bishcoitosh.


Cquote1.png Moro no Méier! Cquote2.png
Morador de Cachambi sobre seu endereço
Cquote1.png CHUPA! Eu tenho Norte Shopping, Wal Mart e Carrefour! MWAHAHAHAHAHA! Cquote2.png
Morador do bairro sobre únicos orgulhos (?) do bairro
Cquote1.png Ah, e eu tenho dinheiro pra gastar nesses lugares, você não, noob! Cquote2.png
Morador do Méier sobre citação acima

Cachambi é o bairro da Zona Norte que tem Sam's Club, Norte Shopping, Carrefour e Wal Mart. Só isso de bom. Como se conseguiu isso, bom, realmente é um mistério, vai ver é porque Méier está entupido de engarrafamentos e daí só sobrou Cachambi pra construir algo decente. Ou então a prefeitura do RJ se sensibilizou com o povo que mora no meio dessa bosta e decidiu incentivar essas empresas a abrirem seus negócios nesses locais.

O bairroEditar

 
Eis aqui outro futuro reduto de pseudo-classemedianos em Cachambi.

99,99% da economia vêm desses locais citados acima. O resto do comércio é tão chinfrin quanto o time do Volta Redonda. Bom, boa parte da população dizia que morava em qualquer outro lugar, menos em Cachambi, primeiro porque o nome é mesmo horroroso, depois porque Cachambi é sinônimo de morar na merda. Hoje é sinônimo de morar do lado do maior shopping da zona norte, o que já faz ao menos alguns poderem dizer moro do lado do Norte Shopping ao invés de dizer moro no Cachambi. Do mesmo modo, ainda moram na merda.

A origem vem de um arraial, que foi explorado há muito tempo atrás por um mané que dá nome de rua ao Méier (quem fez Cachambi sofrer merece um troféu, no entendimento de nativos do Méier). Mesmo estando do lado da linha do trem, a Prefeitura achou melhor desativar a única estação que funcionava mais ou menos no bairro, e, isso é determinação até o fim das Olimpíadas no Rio, muito para evitar que gringos descessem num lugar tão feio quanto Cachambi, onde tem a chance de encontrar pessoas que se parecem com o Babidi na rua e assim nunca mais voltarem ao Brasil.

O acesso ao bairro é simples, claro, coisa ruim é fácil fácil chegar perto. Linha de ônibus pra lá é o que não falta, e, a trilha sonora ideal para quem chega em Cachambi é Welcome to the Jungle, do Guns 'n' Roses.

 
A tranquilidade e a normalidade reinam no bairro.

Além de ainda ter uma grande quantidade de loja de móveis, provavelmente feitos de madeira reciclada de palitos de picolé achados aos montes no chão do bairro (não, ninguém joga nada no lixo, já é tudo sujo mesmo, jogam no chão logo...) e é por essa razão que eles são mais acessíveis, apesar disso, todos juram que é madeira típica da Amazônia. O máximo mesmo deve ser de árvore derrubada do pequeno montinho de mato de Água Santa que resta e que está virando favela e que foi interceptado pelo povo dessas lojas pra fazer Estantes.

A quantidade de pseudo-integrantes de classe média do bairro deverá aumentar consubstancialmente com a chegada dos conhecidos favelões de rico, ou seja, aquele monte de edifício miorabolante que parece que veio da Terra da Fantasia e alguns (poucos) com preço mais acessível, tirando gente de fins de mundo como Duque de Caxias e Acari e os realojando em outro fim de mundo, mas mais cool.

Norte ShoppingEditar

 
A passagem para um outro mundo, um oasis, a terra prometida, O PARAÍSO para quem vive em Cachambi!

O Norte Shopping é uma sobrevida ao bairro, que, como todo shopping, virou reduto de retardados undergounds que já até acham Cachambi um lugar cool, indie e que Kurt Cobain poderia tranquilamente fazer um show com seu Nirvana no meio da Avenida Dom Hélder Camara. Realmente virou um paraíso inacessível também para os moradores do bairro, que são os tradicionais compradores com os olhos, que vão toda vitrine de loja que podem e só dão uma olhada. Os mais pobres fazem isso até nos quiosques de sorvete de casquinha do Mc Donald's.

Por ter Outback, centro pra jogar Boliche e Burger King, certos moradores da região já acham que ali é o paraíso e/ou a terra prometida de Maomé para os muçulmanos, provavelmente porque nunca viram tais lugares na vida, e estão apenas acostumados a comer frango com farofa, jogar truco num boteco qualquer, tradiciaonalmente com a adrenalina de apostar o toba e torcer pra não perder, e a chamar pão com ovo de sanduíche.

Tentam juntar o máximo possível de Tickets alimentação e tentam pagar roupas com o RioCard, coisas que geram episódios constrangedores e cômicos, tanto que quem mora no Méier não se cansa de ir lá para ver pessoas gritando histéricas EU VOU PROCESSAR ESSA LOJA POR DANOS MORAIS! só porque ela não aceitou 567 vales-transporte como pagamento para uma televisão de LCD. Ou o desespero em recuperar um sorvete de casquinha que caiu no chão, passando a mão e tentando juntar aquela bola de água com gosto de chocolate e enfiando na boca, claro, foram incríveis dois reais e vinte e cinco centavos alí no chão.

Também fica perto do Engenhão, o que não é problema nenhum, já que nunca enche e por isso o bairro não enfrenta problemas de trânsito por isso. Exceções são quando grandes personalidades como Paul McCartney, Coldplay ou principalmente a Banda Calypso forem tocar no local, o que realmente deve causar grandes congestionamentos não só em Cachambi como no Rio de Janeiro como um todo.