Abrir menu principal

Desciclopédia β

Cachinhos Dourados

0547 shrekgato.jpg Pirlimpimpim! Este artigo é encantado!

E é 100% coberto de pó mágico.

Cquote1.png Que todos tenham um final feliz! Cquote2.png



Cquote1.png Somebody toucha my spaghet! Cquote2.png
Papai Urso sobre o espaguete dele

Cachinhos Dourados era uma guriazinha muito sem noção que se colocava em perigo entrando em qualquer lugar: Hospício, manicômio, casa de um pedófilo, sua casa... e nem lembrava das recomendações de mamãe e vovó, pior do que a Chapéuzinho Vermelho, além disso era pirracenta porque a mãe dela não a deixava usar chapinha sozinha e ela detestava seus cachinhos querendo ter cabelos lisos igual Chapéuzinho Vermelho.

A dita florestaEditar

 
O flagrante delito.

Cachinhos de Ouro olhou para a floresta e, só porque a mãe dela disse que não entrasse aí, ela se enfiou no meio do mato e, alí encontrou um tarado tocando punheta mas, felizmente ele era só um vadio de mochila escolar que estava matando a primeira aula(ô legal) e não era um comedor de criancinhas. Ele parou na hora e ameaçou a pirralha: Se contar pra alguém o que eu estava fazendo, eu arranco essas minhoquinhas da sua cabeça e leva pro meu tio engraçadão ir pescar! - Cachinhos ficou bem assustada na ideia dos cachinhos virarem isca pro tio engraçadão e saiu correndo mas, pelo lado errado, ou seja entrou mais ainda pela floresta.

Claro que a monguinha não se perdeu porque a floresta era só um bosquezinho malacabado e, deveria ser o Bosque Encantado porque foi aí que ela achou a casa dos tais ursos e já que urso não tem casa de gente, então só poderia ser a noia do Bosque Encantado mesmo. Claro que a enxerida tinha que entrar em casa estranha e, de cara já sentiu um cheiro de animal mal lavado pior do que o cheiro do cachorrinho dela que não tomava banho nunca, mas, nem assim a guria foi pra casa e, a desculpa do suto nem colava mais porque o punheteiro estava longe.

A casa dos peludõesEditar

 
O pesadelo chegou ao fim e o dos ursos começou.

Se cachinhos tivesse visto aquela quantidade de pelos em todos os cantos, ela já deveria sair correndo porque poderia ser uma casa de estética e depilação e ela era muito nova para se depilar, agora está uma velha senil mas, isso são outros quinhentos. Mexilona e folgada Cachinhos começou a bagunçar tudo, que já não era muito bem arrumado pois esses ursos não tinham adestrador. Até esqueceu que tinha que voltar pra casa e que deveriam estar preocupados com ela mas, sem um pingo de juízo começou a brincar aí... bom, eu já brinquei no lixão sem ninguém saber mas, só fiz isso uma vez. Falando em lixão, era o que aquilo acabou virando, com a zona que Cachinhos fez.

 
Depois de crescida não perdeu a mania.

A guria então com fome, porque tinha ela e uma lombriga para alimentar, foi e achou umas tigelas de farinha láctea ressequidas e comeu as três,   Desse jeito vai engordar, amapô!  
Aloka sobre barriga furada da Cachinhos Dourados.
- Silêncio biba que também é sapeca - Continuando, cachinhos sentiu sono porque havia passado quase a noite toda no computador, escondido, vendo tudo que não devia e, foi dormir na cama fétida dos ursos. Experimentou as três e escolheu e menos fétida.

A chegada dos peludõesEditar

Cachinhos estava bem na parte do sono rem (acho que é isso) sonhando com seu coleguinha de escola preferido, aquele pequeno emo, primo do seu melhor amigo (outro emo) mesmo, quando ela ia ganhar um beijinho os ursos chegam e, sorte dela que os peludões eram ursos mesmo e não outra coisa... a desmiolada ao invés de sair correndo finalmente, ainda ficou olhando para eles com cara de monga, eles se olharam sem entender nada, ou sem nada entender, só para combinar com o conto mas, não eram brabos para a sorte dela, porém quando viram a bagunça que ela havia feito a coisa mudou de figura e eles disseram algo pior do que bater nela, sim, sim, disseram aquele algo fatídico e temido, disseram a frase cruel:   Vamos contar para os seus pais!   - antes os ursos não falassem nesse conto mas, foi só aí que a noiada resolver picar a mula dalí. E assim acaba o conto...

Moral da história: Sempre use chapinha.