Abrir menu principal

Desciclopédia β

Call of Duty: Infinite Warfare

Virtualgame.jpg Call of Duty: Infinite Warfare é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Captain Falcon chega em trigésimo.


Call of Duty: Infinite Dislikes
Call of Duty Infinite Warfare.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Infinity Ward
Publicador Activision
Ano 2016
Gênero FPS genérico
Plataformas Tudo o que você imaginar
Avaliação 20%
Idade para jogar Livre para toda família

Cquote1.png Eu não aguento mais Cquote2.png
Gamer tradicional sobre mais um fps genérico
Cquote1.png Mulher? Para que? Cquote2.png
Último nicho de nerds que ainda gostam de Call of Duty sobre Call of Duty: Infinite Warfare

Call of Duty: Infinite Warfare é mais um caça-níqueis desesperado da Activision, definitivamente um dos jogos mais odiados da história dos videogames, hateado até pelos seus últimos fãs. É como qualquer Call of Duty, um jogo do gênero fps genérico lançado em 2016 somente para PlayStation 4 e Xbox One, as últimas plataformas que ainda toleravam jogos idiotas, talvez por falta de títulos. A escolha do título do jogo também foi amplamente aceita pela comunidade, pois já utilizaram "Modern Warfare", depois "Advanced Warfare", e então para demonstrar que haviam avançado muito agora é "Infinite Warfare", já deixando o caminho pronto para a sequência que provavelmente terá o nome de Call of Duty Modern Quantum Gravity of Black Holes Applied to String Theory Warfare.

Índice

DesenvolvimentoEditar

No ano de 2016 a Activision percebe que já havia lançado uma abusiva quantidade de 24 jogos de Call of Duty, esgotando completamente o gênero de jogos de tiro em primeira pessoa e assim realizando o seu audacioso plano, traçado desde Call of Duty 2, de saturar o mercado com o estilo do jogo tornando-os um completo tédio de serem jogados. Não apenas isso, as comunidades de jogos como Battlefield 1, Destiny e Titanfall foram infestadas com crianças de 3 a 7 anos de idade mental, advindos dos antigos servidores de Call of Duty então fechados, quase que acabando com a indústria de videogames na época. Várias matérias do tipo "seria esse o fim dos videogames?" começaram a ser lançadas no ano de 2016 quando surgiu a notícia de que mais um Call of Duty estava sendo produzido.

Os fãs de Battlefield fizeram então uma grande campanha para tornar o vídeo do trailer de Call of Duty: Infinite Warfare o vídeo mais negativado da história do Youtube, ultrapassando até Aruan Felix e Rebeca Black, mas ainda não sendo páreo para o Justin Bieber. Numa ação mais sensata que não fosse apenas xingar muito no Twitter, a Blizzard foi chamada com urgência para ensinar como se produz um FPS decente, e assim eles fizeram tudo o que um nerd solitário realmente precisa, lançando seu Overwatch sem qualquer campanha ofuscando assim o desastre mundial que seria o lançamento de Call of Duty: Infinite Warfare.

EnredoEditar

 
Quando dizem que o jogo vendeu quase 2 milhões de cópias na primeira semana de vendas, é porque há uma explicação plausível.

O jogo se passa num futuro distante no qual o planeta Terra finalmente sucumbiu aos humanos, que como pragas decidem então colonizar os outros planetas do sistema solar para sugar seus recursos naturais. Os países da Terra decidem então se unir e fundar o SACO (Solar Associated Cooperation Organization) com sede em Genebra.

Tudo parecia estar indo bem até que um grupo terrorista chamado VSF (Vai Se Fuder), formado por colonos, emerge e declara guerra ao SACO iniciando a Primeira Guerra do Sistema Solar, atacando a cidade de Genebra onde ficava a FIFA, cancelando a Copa do Mundo e todas as corrupções relacionadas.

O enredo então é tudo o que já vimos antes, apenas com uma roupagem nova, você controla um esquecível soldado genérico qualquer o qual já esquecemos o nome, fica matando terroristas e piratas espaciais, após 15 minutos de jogo estamos nem aí mais para enredo, e 15 minutos depois zeramos o jogo.

JogabilidadeEditar

O que mais faltava para Call of Duty? Tiroteio no espaço sideral é claro! Muito original. Foi implementado agora fases nas quais há combate em gravidade zero, que nada mais são do que combates embaixo da água, só que sem a água, um grande saco.

O multiplayer online está lá, como sempre, só que sempre desertos. Jogadores que se prezem estão jogando Battlefield 1 ou Tom Clancy's Ghost Recon Wildlands. E até as crianças agora tem Overwatch, então Infinite Warfare é um servidor abandonado para quem quiser se aventurar num deserto composto apenas por alguns campers espaciais.

RecepçãoEditar

Call of Duty: Infinite Warfare é considerado o jogo mais odiado de todos os tempos. Uma pesquisa realizada pelo Youtube demonstra que 3,5 milhões de pessoa odiaram o jogo sem nem o terem jogado. As 500 mil pessoas que gostaram depois odiaram o jogo quando puderam jogá-lo. Apenas sites especializados que são comprados pela Activision que elogiaram o jogo, ou pessoas que nunca jogaram um fps na vida e que podem achar alguma novidade nesse jogo.

v d e h