Abrir menu principal

Desciclopédia β

Carlos Gomes (Rio Grande do Sul)

Gnome-searchtool blue.png Carlos Gomes (Rio Grande do Sul) é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
Todos os carros daqui foram fabricados na década de 1990 ou antes.

Sciences de la terre.svg.png
Carlos Gomes e sua bandeira feita no paint.
Cquote1.png Expresso minha indignação com uma feição em minha face sobre esta cidade que tem vosso nome Cquote2.png
Carlos Gomes sobre uma outra maneira de dizer WTF?

Carlos Gomes é, por mais incrível que pareça, uma cidade do Rio Grande do Sul. A maior coisa que a cidade tem em número são os bytes de seu artigo da Uiquipédia, onde algum desocupado perdeu tempo recolhendo dados inúteis sobre a cidade que nunca seriam lidos por outros seres humanos.

A cidade teria sido a primeira a ter um estudo aprofundado sobre sua origem. Sendo que investiram alguns milhões para fazer essa pesquisa que, mais tarde, só 1000 pessoas que vivem na cidade iriam usufruir de suas informações.

OrigemEditar

A cidade foi habitada pelo homem em 10.000 a.C. Isso é muito óbvio, qualquer idiota iria saber que alguém já habitou o lugar antes dele, ainda mais quando as pessoas ainda não sabiam do significado de "inútil" e não havia divisão territorial para poder dizer que o lugar era pequeno. O homem também acabava de aprender a contar (mas não contou) quantos idiotas foram morar na região de Carlos Gomes.

Enfim, dez mil anos depois, em 1907, um grupo de famílias com nomes esquisitos foram morar na cidade. Elas eram Babinski, Stodulski, Osowski, Stawinski, Grzybowski, Ziger, Wilanowski, Pogorgelski, Jakubowski, Sztormowski, Longui, Slussarek, Wojakowski, Mikoanski, Andres, Wosinski, Meredik, Blasek, Strzelecki, Petska e Amadigi.

OBS.: 90% das pessoas não leram os nomes, mas viram os nomes em que os links apareciam. Pesquisa feita pelo IBGE no ano de 2009, copyright, left, up, down, select, triangle.

HistóriaEditar

A história da cidade após as famílias terem chegado é que houve assassinatos encomendados pela região em que apenas a última família em pé seria a que iria comandar a cidade. Mesmo assim, nunca se sabe o que tinha de tão importante na cidade para valorizarem tanto um pedaço de terra minúsculo, que ninguém dá importância (ou então, que ninguém se lembrará se der uma enchente ou algo do tipo).

Assim, os assassinatos começavam: primeiro foram os Wilanowski que foram encontrados enforcados. Depois, Pogorgelski que comeram batatas estragadas e se engasgaram. Jakubowski, Sztormowski, Longui e Slussarek morreram em um avião pensando que os assassinos fossem eles mesmo. Wojakowski, Mikoanski, Andres, Wosinski, Meredik, Blasek, Strzelecki, e Amadigi morreram misteriosamente, pois ninguém se importava com eles.

No final, só sobraram as famílias nobre: Babinski, Stodulski, Osowski, Stawinski, Grzybowski e Ziger. Babinsky foi a verdadeira assassina e comandante da cidade. Pena que no meio da chacina mataram 80% da população, reduzindo a uma população de quase mil habitantes.

Ver tambémEditar