Abrir menu principal

Desciclopédia β

Carrão de Dois

Este artigo é sobre um HIT!

É uma música chata, repetitiva e seu vizinho adora. SOLTE O SOM!

Music madonna.jpg

Carrão de Dois é uma das piores músicas dos Raimundos no melhor álbum deles, pelo menos é o que deduzem os especialista já que esse álbum é aquele que Digão pega o disco de platina e fica esfregando na cara das outras bandas com os seguintes dizeres:

Cquote1.png NÃO É UM DISCO PLATINA COMUM! É UM TRIPLO! TRIPLO! Cquote2.png
Digão (Raimundos)

Índice

AutópsiaEditar

 
CUIDADO! ESSA MÚSICA É TOCANTE E AO MESMO TEMPO TRASH! ENTÃO SE NÃO SENTIR NADA ISSO É COMPLETAMENTE NORMAL, MAS SE SENTIR ALGUMA TRISTEZA AO OUVIR ESSA M´SUICA VOCÊ DEVE SER MUITO SENSÍVEL MESMO...

Bem, vamos fazer uma autópsia dessa música pois enjoa você ficar falando de como uma música dessas surgiu se ninguém a escuta, aliás eu nem sei porque ela está ali naquela "caixinha" com as músicas lá embaixo se ela é praticamente irmã da que abriu o álbum, em compensação ela não é como a primeira do álbum "Só no Forévis".

Ela é só "impopular".

Enquanto as outras músicas tem mais atenção do que essa e outras do álbum ela está aqui, esquecida, talvez alguém goste dela... Ou não... Mas vamos continuar, eu acho que esse álbum não fez sucesso por causa das músicas muito conhecidas pelos fãs de Raimundos.

Sim! E pelo jeito eu devo ser o único a pensar isso!

Por causa de minha análise crítica eu descobri que o álbum só fez sucesso por causa que as outras pessoas queriam ver a música gafe do álbum e então compraram o álbum para isso, apesar de que... Esquece.

Aliás, eu não devia estar fazendo uma autópsia?

Agora a autópsia, ou análise, da músicaEditar

 
"only myself! alonely. Only myself! alonelly..."

Rodolfo sempre fazia músicas sozinho, após a batida ou o "eventual acidente" do álbum passado com a a guitarra de Digão e o próprio Digão Rodolfo nunca mais foi o mesmo, e também descobrimos que podemos perder muito mais do que uma batalha enquanto jogamos o playstation.

Rodolfo não tinha mais os ataques de criatividade, ele achava que tinha, tanto que a primeira música foi feita por Rodolfo, apesar de que na Wikipédia esteja dizendo que foi feita por um tal de "Cristiano Telles, Raimundos" mas eu te garanto que O SUJEITO NÃO EXISTE!

Foi só Rodolfo que mudou o nome para ele não ter que assumir a culpa da música de abertura daquele álbum.

Bem, o Carrão de Dois foi só escrita por Rodolfo, dessa vez, como a primeira ele estava bêbado nessa aqui ele estava sóbrio e fez a primeira música falando de uma garota em que não citava os seus órgãos reprodutores, tudo isso deve ter sido consequências da situação "Pequena Raimunda (Ramona)" em que as coisas não sairam como o planejado.

Além de que a música do "Carrão de dois" saiu assim para que eles pudessem divulgar o álbum com "censura livre" pois se tinha criado censura das músicas depois do lançamento do primeiro CD dos Raimundos, é auto-explicativa, nem precisa completar.

Ele fala que o carro dele é um Corcel e pelo jeito, se a garota não gosta do carro você e nem de você, você deve chorar feito um Emo e o carro não voará mais.

afinal você conseguia o dinheiro para comprar as drogas com o salário dela

E no fim, o final feliz, que você descobre que pode roubar os seus pais para comprar mais Dorgas combustível para poder voar de novo. RIAIRAIRIAIRAIRIAIRIARIAIRIARA!

LetraEditar

 
E foi então que eu descobri a cura da solidão! As DORGAS! YES! WE FLY!

Gatinha dos olhos de amendoim
Pediu uma carona, eu dei
Homem, essa mulher me deu uma canseira
Que até hoje eu não descansei
E passa a 5ª, é mão aqui e ali
Apressadinha, quer engatar de 1ª
Me levou pro banco de trás, velocidade
Logo a pastilha do freio comeu
E derreteu na gente
Viu a polícia e pasou o sinal
Quando eu percebi
Que meu motel sobre rodas
Era movido a bafo no vidro
Inocente, ela deixava o motor quente
E fez voar meu Corcel
Rumei pro norte, vi o sertão e fiquei por ali
Criando bode
Como é bom amar no céu
E ir pra qualquer parte, voando no chão, eu renasci novo e forte
O combustível da minha vida é aquela
Mocinha linda que jamais esquecerei
E desde o dia que ela se foi
Nunca mais voei
E fez voar meu Corcel
Rumei pro norte, vi o sertão e fiquei por ali
Criando bode
Como é bom amar no céu
E ir pra qualquer parte, voando no chão, eu renasci novo e forte

Carrão de Dois análise críticaEditar

Sim, até agora eu não fiz porra nenhuma, e além de que eu nem citei o nome de Digão ainda, e olha que eu sempre cito, não é porque eu goste dele, é porque ele é o que mais aparece nessa banda, e o Rodolfo que teve que romper os laços com ele pois... Enfim, vamos logo acabar com isso e falar da autópsia.

Bem, a análise crítica: A música é Carrão de Dois porque conta a história de um cara que voava com sua namorada pelas nuvens até que o amor esgotou e ele teve que ir para posto de gasolina reabastecer e relembrando o amor...

Tocante... Mas parece-me que plagiaram de uma música sertaneja chamada "Nova York" do Victor e Léo, Raimundos plagiando? Não... Eu acho que o Victor e Léo fizeram algo melhor com essa música do que eles com ela.

Ah sim! Não tem clipe! Isso para economizar sessão.