Abrir menu principal

Desciclopédia β

Cartão perfurado

Este artigo é relacionado à história.

E é neorrevisionista!

Hitler e Alien.jpg
Sexo usb serial.jpg Este artigo é uma piada de computeiro!

Cquote1.png How many people know hex if the only ones who knows it
are me and DEAD people?
Cquote2.png

Caso não entenda, aperte Alt+F4 para a leitura ficar mais fácil.


Do tempo que ser nerd era realmente muito chato pra caralho.

Cartão perfurado foi a mídia de leitura mais velha do universo (se não contarmos obviamente com o sinal de fumaça), tendo sido criado em 1804 por Joseph-Marie Jacquard pra uma máquina de tear (embora alguns dizem que existem indícios do uso desde 1725!). O tear automático dele fez tanto sucesso que começou a ser kibada por tocadores de órgão, que começaram a colocar isso pra criar os órgãos com piloto automático e ficar só vendo o troço tocando e não fazendo nada. O cartão perfurado permitiu controlar os teares automaticamente e assim fazer aquilo que seria os primeiros casos de máquinas de costura gigantes que são usadas até hoje (e levando um monte de costureiro a ser desempregado ever).

Por mais inacreditável que possa parecer, essa tecnologia seria usada aposteriori, de maneira eletrônica, pelo fundador da Tabulating Machine Company (atual IBM) Hermano Holerite em 1896, que também usou as paper tapes (ou fitas perfuradas), que foram versões melhoradas dos cartões perfurados que já eram usadas desde meados do século XIX. Sugando as ideias de Semen Korsakov (que criou em 1832 o homeoscópio, um aparelho que servia pra diagnósticos) e de Charles Babbage (criador da máquina analítica e da máquina diferencial, as tetravós dos computadores), ele criou uma versão que era possível de ser gravada (um impressor, o que no futuro seria o CD-R), o unit record equipment, que conseguia fazer tabulações, cálculos, utilização da linguagem binária, e até mesmo praticar trollagens nerds do início do século XX, como a utilização de cartões perfurados completamente vazados, que seria o mesmo que atualmente você dar de "presente" um DVD original do P-U-L-S-E, com capa e tudo, e dentro aparecer um show de Garota Safada ou o filme Loucuras no Nordeste.

Existiram uma centena de tipos desses cartões, e eles foram constantemente utilizados inclusive nos grotescos supercomputadores como o Z1, o Mark I e o ENIAC, nos primeiros PCs como o Kenbak-1 e alguns outros, mas o Datapoint 2200 começou a mudar a história em junho de 1970, usando pela primeira vez a fita magnética (que já era usada em mainframes, mas ainda não havia sido adaptada pros PCs) e lentamente os cartões perfurados foram ficando obsoletos, embora ainda hajam uns entusiastas e doidos que ainda usam essa "tecnologia".

Ver tambémEditar

Este artículo es un esbueço escribido por un autor profirriente en portuñol.
Usted puede ayudar a epandirlo este artículo consiertandolo.