Abrir menu principal

Desciclopédia β

Celebridade (telenovela)

A Dona do PedaçoO Sétimo GuardiãoSegundo SolO Outro Lado do ParaísoA Força do QuererA Lei do AmorVelho ChicoA Regra do JogoBabilôniaImpérioEm FamíliaAmor à VidaSalve JorgeAvenida BrasilFina EstampaInsensato CoraçãoPassioneViver a VidaCaminho das ÍndiasA FavoritaDuas CarasParaíso TropicalPáginas da VidaBelíssimaAméricaSenhora do DestinoMulheres ApaixonadasEsperançaO CloneLaços de FamíliaPor AmorA IndomadaO Rei do GadoO Fim do MundoExplode CoraçãoA Próxima VítimaFera FeridaRenascerDe Corpo e AlmaDancin' Days (1978)

TV pós-Globo.

Este artigo é sobre mais um programa de tortura televisiva. Salve-se mudando para o Canal do Boi, ou leia sobre mais essa desgraça da TV.

Cquote1.png Você quis dizer: Famosidade? Cquote2.png
Google sobre Celebridade (telenovela)

Celebridade foi uma telenovela brasileira exibida pela Rede Esgoto Rede Globo de Televisão entre algum dia de 2003 e outro dia de 2004. Teve como tema central as putarias e os barracos dos famosos por trás das câmeras!

Índice

EnredoEditar

Conta a história da periguete celebridade Maria Clara, uma famosa produtora de filmes pornôs que ficou conhecida por seu sucesso Puta Musa do Verão, que provavelmente deve ter sido algum filme produzido por ela que ganhou intimidade com o público por causa do seu título pouco ousado pra esconder o conteúdo, ideia que mais tarde seria adaptada na literatura pelo autor de Cinquenta Tons de Cinza! Maria Clara é toda escrotinha mas se acha uma gostosona, namora um cara de cabelo comprido metido a besta que não deve fazer nada da vida, sustentado pela grana da Maria Clara! Certo dia, os dois estão gravando mais um filme pornô, dessa vez produzido e estrelado pela Maria Clara, mas sem perceber, um paparazzo fotografa os dois peladinhos no barco, e depois publica na internet pra todo mundo ver! Carolina Dieckmann Maria Clara fica puta da vida, porque não queria spoilers de seu mais novo filme!

Depois, ela termina com o encostado lá que era o namorado dela e começa a pegar um mais escroto ainda, o fotógrafo Fernando, que também usava cabelinho comprido que pelo jeito virou tendência masculina na novela, mas pra piorar ele usava uma tiarinha pra segurar o cabelo!

Fernando veio da Itália junto com a mulher Beatriz e os filhos Fábio e Inácio. Logo de cara, fica claro que Fernando deu o golpe do baú, pois Beatriz é feia pra cacete, tem nariz de judia e é mais raquítica que a Marina Silva.

Logo de cara, uma tragédia recai sobre a família de Fernando: seus filhos sofrem um acidente horrível (na verdade, ninguém sabe se foi horrível mesmo, pois a cena nunca foi mostrada, provavelmente por falta de orçamento). No acidente, seu filho Fábio morre. No entanto, o personagem era tão inútil que, alguns capítulos depois, todo mundo já se esqueceu do coitado.

Além disso, Maria Clara ainda tem que encarar a Laura, que se faz de tiete ingênua, e só no final é revelado que ela veio pra se vingar da produtora, que supostamente roubou o roteiro pornô escrito pelo pai da Laura para a mãe dela, que era pra ser a estrela do pornô! Depois, Maria Clara arma um barraco com Laura em um banheiro masculino, mas esse barraco só gerou mais fama para Maria Clara, que depois só passou a fazer filmes de affair sadomasoquista!

Na novela também existem as tramas paralelas, como Darlene Caraio e Jaqueline Enjoy-me, duas tietes gostosas que fazem de tudo para ser as novas estrelas dos filmes pornôs! Depois de passar nos famosos testes do sofá, elas enfim conseguiram o que queriam!

Quem matou Lineu?Editar

Pra aumentar a audiência, um personagem ancião que já tinha passado da hora de morrer, foi assassinado misteriosamente (oooh), e só depois foi revelado que a assassina era a própria vilã Laura; por que motivo? Por que ela quis fazer um favor pra ele, que aquele velhote devia ter sido esquecido pela Dona Morte!

ElencoEditar

 
Laura se achando a celebridade.

No elenco de Celebridade, estão incluídos sempre as mesmas porras do Gilberto Braga de todas as novelas dele:

  • Malu Mader interpretou a protagonista Maria Clara! Analisando seu papel, supõe-se que Maria Clara era pra ser uma mocinha gostosinha, mas pra não perder a amizade, Gilberto Braga escolheu a sobrancelhuda mesmo!
  • Cláudia Abreu interpretou a vilã tesudinha Laura, essa sim combinou com o papel!
  • Marcos Palmeira interpretou o mocinho (?) Fernando, que analisando seu papel também supões-se que era pra ser um galã; esse deve ter passado no teste do sofá com Gilberto Braga (sabemos bem da fruta que ele gosta)!
  • Fábio Assunção interpretou mais um personagem de camisa amassada e gravatinha despojada!

Trilha sonoraEditar

  Se vocês não gostarem da novela, francamente o disco eu acho meio difícil que não curtam.  
Gilberto Braga sobre a trilha sonora da novela.

A Som Livre lançou, em outubro de 2003, um CD duplo com 2 discos da novela, com Malu Mader, a protagonista Maria Clara Diniz, na capa e contracapa, e com mais de 8 mil 292000 cópias produzidas. Conta com um CD nacional de 16 canções e um internacional de 18, com um repertório musical de alto nível e escolhido a dedo para a trama e seus personagens.
À época de seu lançamento, Gilberto Braga, junto a Mariozinho Rocha, André Werneck e Sérgio Saraceni, se preocuparam mais em elaborar um CD com temas para a novela, sem se preocupar em emplacar hits nas rádios, embora tenha inevitavelmente acontecido. É um repertório classudo, sim, que merece ser ouvido com atenção. Começamos por Vanessa da Mata com a música de seu álbum de estreia homônimo, de 2002, regravada de Luiz Ayrão. Rita Lee vem na sequência com uma canção inspirada em crônica de Arnaldo Jabor, de seu CD Balacobaco. "Tempo de Dondon", de Nei Lopes, é exclusiva da trilha da novela, não constando de nenhum dos álbuns de estúdio do sambista Dudu Nobre. A faixa "O Que Tinha de Ser" foi extraída da coletânea BIS, da EMI Music, também de 2003, sendo composição de Vinícius de Moraes. "Encostar na Tua" é de seu terceiro CD de estúdio, Estampado. "Always", de Irving Berlin, é a única internacional do nacional. Ela não fez parte de nenhum álbum de Caetano nem de compilações, sendo exclusiva da trilha dupla. "Brisa do Mar" (João Donato), por Chico Buarque, foi gravada em 1998, e também está ausente de álbuns de Chico, tanto de estúdio, sendo compilada na trilha da novela pela primeira vez. Do álbum Todas as Coisas e Eu, saiu "Nossos Momentos", de Haroldo Barbosa, na voz de Gal Costa. Do CD Quanta (1997), saiu "Com Que Roupa", com Gilberto Gil, de Noel Rosa. "Fama" foi gravada especialmente por Beth Lamas para a novela (e tocou pra caralho nela também). Do disco Como Estão Vocês?, "Enquanto Houver Sol", outro agradável momento do disco. João Bosco canta Ary Barroso em "Rio de Janeiro (Isto é o Meu Brasil)", versão do álbum Dá Licença Meu Senhor, de 1995, sendo que a música original na verdade foi gravada em 1993, e foi tema da novela Fera Ferida, de Aguinaldo Silva. "A Vizinha do Lado" (Dorival Caymmi) foi gravada em uma fita demo da cantora, de 2002, escolhida por Gilberto especialmente para a trilha da novela (seu primeiro álbum solo foi o Braseiro, de 2005). A versão Maxpop remix para "Olha Não Me Olha" também é a faixa bônus de Encontro, de Lulu Joppert, na verdade escrita por Jorge Vercillo. E fechamos o nacional com Pérola Black, projeto de Fabianno Almeida, o mentor do Mister Jam, com "Só Bamba", que utiliza sample de "Woman In the Ghetto", de Marlena Shaw, lançada em seu disco Cadet, de 1969; escrita por ela, Bobby Miller e Richard Evans.
O CD internacional abre com a pianista e jazzista canadense Diana Krall e sua "Just the Way you Are", bônus do disco Live at Paris (2002), gravação original de Billy Joel, e não de Barry White, como muitos pensam. "You'll Never Find Another Love Like Mine", com Michael Bublé e (não creditada) Laura Pausini, foi extraída do álbum homônimo de estreia do cantor canadense, lançado em 2003. "I Heard it Through the Grapevine" saiu do álbum Motown, onde Michael McDonald faz releituras de sucessos da Motown. A faixa abre o disco. John Mayer vem com a (única?) inédita do segundo CD, Heavier Things, "Bigger Than My Body". Simply Red vem logo depois, do álbum mais recente Home, regravando The Stylistics em "You Make me Feel Brand New". Alanis Morissette chega de seu mais recente trabalho, Feast on Scraps, do qual "Offer" saiu, como único hit (e única música conhecida também). Luther Vandross surge depois com "The Closer I Get to You", do disco Dance With My Father, sendo também o último lançado por Vandross, que se encontrou com a morte em 2005. "Superwoman", do Stevie Wonder, foi regravada por Happening e Fabianno Almeida especialmente para a novela. Ray Charles comparece com "Ruby," do disco Georgia On My Mind, sendo a mais antiga do CD inteiro (1960). O espanhol Julio Iglesias nos brinda com "Como Han Pasado Los Años", do CD Divorcio. "Bring it On", de T.J., novamente Fabianno Almeida, sampleia "Burnin'", de Farolphi e Corinna Joseph, de 2002. Outro cantor espanhol, Alejandro Sanz, vem com sua "Regálame la Silla Dónde Te Esperé", extraída do disco No Es Lo Mismo. Ornella Vanoni lançou em 2002 Sogni Proibiti, onde ela homenageia Burt Bacharach com versões em italiano de seus maiores sucessos. Dali saiu Non Mi Innamoro Più, versão de I'll Never Fall In Love Again. O francês Henri Salvador vem, nas palavras de Gilberto Braga, com "uma surpreendente bossa nova", "All I Really Want is Love", do álbum Performance!, de 2002, com a participação de Lisa Ekdahl. A jazzista Ithamara Koorax nos presenteia com uma elegante versão de "Absolute Lee", de Jobim, faixa bônus do álbum Love Dance - Ballad Hits. Delta Goodrem havia estourado na época nas paradas australianas com "Born to Try", maior hit de seu disco, Innocent Eyes. A música "Love's Theme" originalmente é instrumental e não possui letra, porém aqui, temos o tema de abertura, extraído de Rhapsody in White, em versão com letra de 1973. A faixa final, "In Me", de Tedd Rusticini (Fabianno de novo!) utiliza sample de "Inspection (Check One)", do grupo britânico Leftfield, compilada em seu álbum Leftism, de 1995.
Tamanho foi o sucesso de Celebridade - Nacional e Internacional que encorajou a Som Livre a lançar o bem-sucedido Celebridade Samba, em fevereiro de 2004, com a deliciosa Juliana Paes sentada por sobre uma mesa de sinuca.
  Desde 2004. Aprecie sem moderação.  
Rótulo do terceiro CD da novela
Com 15 sambas e reunindo só os bambas (ih, rimou!), Celebridade Samba conseguiu a proeza de vender mais que o próprio CD duplo da novela. Este CD vem só com canções nacionais, sem repertório internacional. "Pecadora", do Grupo Revelação, é inédita do grupo, compilada no CD pela primeira vez. Simone e Martinho da Vila se encontram na bela "Ex-Amor", do álbum Conexões, gravado ao vivo, com participações de Simone, Vó Faria, Tunico Ferreira e Chico Anysio (isso mesmo que você leu, CHICO ANYSIO, presente em um álbum de sambas). Segue com Zeca Pagodinho e sua já clássica "Caviar", do disco Deixa a Vida me Levar, de 2002, cuja música título nem preciso dizer que foi um puta sucesso nas FMs, pois seria redundante. Ney Matogrosso (siiim, ele também flerta com o ritmo) comparece com "A Ordem é Samba", do CD Vagabundo, com participação de Pedro Luís e a Parede. Mais adiante, Raça Negra vem com "Cigana", do terceiro álbum do grupo e homônimo, de 1992. Razão Brasileira, um grupo que ninguém conhece, vem com "Paixão Brasileira", presente apenas neste CD. Teresa Cristina (não a da novela Fina Estampa, até porque ela nem existia naquela época) e Grupo Semente vem com a saudosista "Quantas Lágrimas", do disco A Vida Me Fez Assim. "Falso Amor Sincero", do Picolé (sim, um grupo de samba, não o doce), é exclusiva do disco. O Só Pra Contrariar vem de Minas com "Tudo Menos Amor", do álbum Produto Nacional II. Dudu Nobre já esteve no nacional com "Tempo de Dondon" e, aqui, volta com "Goiabada Cascão", que não foi compilada em nenhum trabalho do artista, portanto é inédita, compilada neste CD pela primeira vez. Jorge Aragão traz do seu álbum Da Noite Pro Dia, de 2003, "Vendi Meu Peixe". Leci Brandão emplaca "Um Raro Prazer", de seu mais recente, A Cara do Povo, também de 2003. Fundo de Quintal marca presença com "Lucidez", do disco Ao Vivo Convida, de 2004, com participação de Jorge Aragão. "Dona Carola" é a penúltima, cantada por Vavá, ex-Karametade, compilada especialmente para o disco. Encerramos com Nalanda, cantando Cartola em "Alvorada", de seu álbum de estreia, Nalanda no Samba. Vale lembrar que ela foi revelada no programa Fama, no ano anterior.
Enfim, CDs para se ouvir solenemente.

NacionalEditar

  1. Nossa Canção - Vanessa da Mata 3:36
  2. Amor e Sexo- Rita Lee 3:38
  3. Tempo de Dondon - Dudu Nobre 4:26
  4. O Que Tinha de Ser - Maria Bethânia 3:26
  5. Encostar na Tua - Ana Carolina 4:12
  6. Always - Caetano Veloso 3:40
  7. Brisa do Mar - Chico Buarque 2:46
  8. Nossos Momentos - Gal Costa 3:33
  9. Com que Roupa - Gilberto Gil 4:00
  10. Fama - Beth Lamas 3:36
  11. Enquanto Houver Sol - Titãs 2:58
  12. Rio de Janeiro (Isto é o Meu Brasil) - João Bosco 2:56
  13. Doce Castigo - Nana Caymmi 3:27
  14. A Vizinha do Lado - Roberta Sá 3:14
  15. Olha Não me Olha [Maxpop remix] - Lulu Joppert 5:12
  16. Só Bamba - Pérola Black 2:46

Tempo total: 58:02


e

  • Musa do Verão - Sérgio Saraceni (composta para Maria Clara)

InternacionalEditar

1. Just The Way You Are - Diana Krall 4:58
2. You'll Never Find Another Love Like Mine - Michael Bublé & Laura Pausini 4:01
3. I Heard it Through the Grapevine - Michael McDonald 3:20
4. Bigger than my Body - John Mayer 4:21
5. You Make me Feel Brand New - Simply Red 5:02
6. Offer - Alanis Morissette 4:02
8. The Closer I Get to You - Luther Vandross & Beyoncé 3:50
9. Superwoman - Happening vs. Fabianno Almeida 3:05
10. Ruby - Ray Charles 3:50
11. Como Han Pasado los Años - Julio Iglesias 3:31
12. Bring it On - T.J. 3:04
13. Regálame la Silla Dónde te Espere - Alejandro Sanz 4:22
14. Non mi Innamoro Più (I'll Never Fall in Love Again) - Ornella Vanoni 2:52
15. All I Really Want is Love - Henri Salvador & Lisa Ekdahl 4:02
16. Absolute Lee - Ithamara Koorax 7:23
17. Born to Try - Delta Goodrem 4:11
18. Love's Theme - The Love Unlimited Orchestra (abertura) 3:44
19. In Me - Tedd Rusticini 3:23
Tempo total: 73:02

Celebridade SambaEditar

Em fevereiro de 2004, em virtude do grande sucesso de Celebridade (telenovela), foi lançado no mercado fonográfico o terceiro CD com dezessete sambas e pagodes e a belíssima Juliana Paes na capa. Veja abaixo algumas dessas músicas que, tocavam sobremaneira, no bairro do Andaraí.
Celebridade Samba - Desde 2004. Aprecie sem moderação.

1. Pecadora - Grupo Revelação
2. Ex-Amor - Martinho da Vila & Simone
3. Caviar - Zeca Pagodinho
4. A Ordem é Samba - Ney Matogrosso & Pedro Luís e a Parede
6. Cigana - Raça Negra
7. Paixão Brasileira - Razão Brasileira
8. Quantas Lágrimas - Teresa Cristina & Grupo Semente
9. Falso Amor Sincero - Picolé
10. Tudo Menos Amor - SPC
11. Goiabada Cascão - Dudu Nobre
12. Vendi meu Peixe - Jorge Aragão
13. Um Raro Prazer - Leci Brandão
14. Lucidez - Grupo Fundo de Quintal
16. Dona Carola - Vavá
17. Alvorada - Nalanda

Tema de aberturaEditar

Love's Theme - The Love Unlimited Orchestra
Compositor: Barry White

Play our love's theme tonight
My love's here
It's no dream tonight

It's been so long
Since we've danced
To our love song

I know the melody
That made will mine will be
The melody that keeps will close to me
(Love's theme)

Play my love's theme once more
Make him feel
Like he felt before

While the lights are low
Please, let the music flow

(refrão)

Ooh, play
Our love's theme again
Touch his heart
Touch his soul and then

Once we sip the wine
His lips will come to mine

(refrão - repete até o final com efeito fade)

AudiênciaEditar

Sua audiência foi regular, apesar de que nos primeiros capítulos várias atrizes tiveram que pagar peitinho pra subir o ibope e o Thiago Lacerda teve que mostrar sua bunda branca no horário nobre! Depois, Gilberto Braga teve a brilhante, porém nada original em suas novelas ideia de colocar um assasssinato oculto que conseguiu segurar um pouco a audiência! Até que o autor caiu em si e descobriu que brasileiro gosta é de um barraco, e colocou a Laura e a Maria Clara pra brigar e a audiência subiu o quádruplo!

CuriosidadesEditar

  • Renato Mendes era uma espécie de mensageiro da morte na novela: morreram sua irmã, seu irmão, seu tio, seu sobrinho, seus pais (que nunca aparecem), sua amante e o Ricardão que pegava a amante.
  • Até hoje, ninguém conseguiu descobrir quem era o tal DonDon e o que era o Andaraí onde ele jogava.
  • Foi reprisada no Vale a Pena Ver de Novo entre 2017 e 2018, substituindo Senhora do Destino e sendo substituída por Belíssima, ambas novelas das 21h, com a incumbência de manter o IBOPE de Senhora, mas essa reprise foi um tremendo fracasso, bem ao contrário da exibição original, com médias de 16 pontos. Isso fez com que Celebridade (telenovela) sofresse diversos cortes e alterações que desfiguraram a novela. Uma pena, aliás, pois foi muito pedida pelo público em 2017, mas com pouca divulgação, o que também explica o insucesso desta reprise.