Abrir menu principal

Desciclopédia β

Cetona

Cometinha.jpg Este é mais um artigo com pretensão pseudo-científica, portanto, seu autor é um desocupado mentiroso que não diz coisa com coisa.
ESTE ARTIGO É SOBRE QUÍMICA

Quimico.jpg
Representação da molécula de bucetona, uma importante cetona.

Cquote1.png Você quis dizer: Acetona? Cquote2.png
Google sobre Cetona
Cquote1.png Experimente também: Bucetona Cquote2.png
Sugestão do Google para Cetona
Cquote1.png O nome da minha próxima filha. Cquote2.png
Capitão Sarcasmo sobre cetona.
Cquote1.png Cê toma o que? Cquote2.png
Teu avô sobre cetona.
Cquote1.png Amoooor, compra um vidrinho de acetona pra mim? Tenho que tirar esse esmalte. Cquote2.png
Sua namorada sobre o programa de sábado a tarde (sozinha em casa com você).
Cquote1.png Ffffffffuuuuuuu.jpg Cquote2.png
Você sobre citação acima.

As cetonas são um importante (ou não) grupo de funções orgânicas, onde a função química carbonila (que nada mais é do que um carbono levando uma dupla de um oxigênio e dando pra outros dois carbonos) está presente. São um grupo químico amplamente utilizado como solvente orgânico, para fins narcóticos e na remoção de esmalte, sendo um objeto importantissíssimo para as mulheres.

Índice

História e obtençãoEditar

 
 acetona misturada com thinner pra remover essa camada de massa corrida!  
Qualquer um sobre a utilidade das cetonas e a leve camada da maquiagem presente na imagem

Descobertas como a maioria dos compostos e funções orgânicas, as cetonas foram descobertas por acaso, pela mesma indústria que desenvolveu o esmalte. Inicialmente eram um produto residual de pouco interesse, que era despejado nos rios próximos, matando todos os peixes, mas tudo sem grandes consequências para a época. Mas o grande interese para os químicos veio na descoberta de que algumas cetonas eram ferormônios interessantes, como a bucetona e a 6,9-bucetofenona, entre outras moléculas com nomes esdrúxulos. Inicialmente foram estudados para a indústria de perfumes e cosméticos, até se descobrir a atulidade da acetona como solvente e narcótico. Atualmente milhares de toneladas são produzidas, sendo que 66,6% é destinado à remoção de esmalte de unhas, entre outros usos reacreacionais.

Cetonas podem ser obtidas de diversas formas, que apenas os nerds, químicos e cientistas loucos se interessam em saber ou aprender. Dentre essas interessantes formas, há a oxidação violenta de álcoois retardatários secundários por cromatos ou permanganatos, tautomeria de enóis, ozonólise/clivagem oxidativa de alcides alcenos e quebra catalítica de fulanos ciclanos. Como sempre, esse monte de merda é ensinada no Ensino Médio, já que cai no vestibular e seu professor de Química resolveu passar pra te foder na prova. E, para a nossa sua felicidade, não haverão mais delongas sobre a obtenção desse grupo de compostos, ou não.

NomenclaturaEditar

O sufixo da IUPAC que determina a função orgânica cetona é ona. Assim, uma cetona com quatro carbonos é a bucetona butanona, uma cetona com três carbonos é a propanona, uma com cinco carbonos pode ser a pent(x 200)-2-ona ou pent-3-ona, dependendo do gosto do freguês. Em casos onde outras funções mais importantes estão como função principal da molécula, a posição da carbonila é informada, seguido pelo sufixo oxo (que quer dizerporra nenhuma). Como Função Orgânica, as cetonas apenas são mais importantes que álcoois ou fenóis posto que as outras funções sempre terão preferencia. Exemplos:

 
O famigerado efeito estérico, comumente observado em cetonas de TPM.

Embora pareça extremamente chato fácil e simples dar nome a esses compostos, conforme o tamanho da prisão cadeia aumenta, a nomenclatura torna-se uma verdadeira merda. Isso é muito útil para os professores de Química, que não hesitarão em se vingar dos alunos bagunceiros (fodendo com os outros também) colocando moléculas com mais de oito mil ramificações, funções e invocações satânicas nas provas.

PropriedadesEditar

Assim como aldeídos, cetonas também tem carbonilas, prontas para reagirem com um nucleófilo bem dotado, embora não possam ser oxidadas novamente, ao contrário dos aldeídos, que podem ser duramente oxidados aos respectivos ácidos carboxílicos, ou não. Cetonas podem ser reduzidas ao álcool correspondente usando agentes redutores fortes e musculosos e o álcool ainda pode ser usado para fins degustativos e de recreação. No entanto, devido à carbonila da cetona estar levado de dois carbonos adjacentes, a impede de ser tão reativa quanto o aldeído isômero, já que nos aldeídos, a carbonila está tomando de um hidrogênio, o que acaba liberando geral a função para reagir com primeira coisa que aparecer e pagar bem.

Cetonas também são menos reativas devido a um efeito chamado efeito estérico, que ocorre especialmente em épocas de TPM. Para que o carbono da carbonila possa ser atacado e violentado, os radicais adjacentes acabam por estorvar devido a esse efeito. Para que os radicais se abram, permitindo a reação explosiva, é necessário o uso de catalisadores, como fogo tesão calor ou dinheiro, para permitir a abertura e posicionamento dos grupos reagentes, entre outras particularidades.

Com relação às propriedades físicas, as cetonas são, em sua maioria, líquidas, porém com ponto de fusão menor que os aldeídos, álccois, as mina aminas, amidas e ácidos carboxílicos correspondentes. Interagem por meio das forças intermoleculares de dipolo permanente, pois as moléculas vivem permanentemente incomodando umas às outras. As densidades aumentam conforme aumenta o tamanho da prisão cadeia carbônica. Como os álcoois, cetonas são extremanentes explosivas e inflamáveis, pegando fogo prontamente perante uma fonte de ignição.

ReaçõesEditar

Cetonas reagem por meio de adições e eliminações nucleofílicas, podendo ser inúmeros mecanismos, como o SN1, o SN2, o S2 e o ataque de radicais fundamentalistas. No entanto, adições só ocorrem em determinadas condições, enquanto que substituições ocorrem quando há um grupo de saída, uma parte da molécula que pede para sair. Cetonas reagem com reagentes de Grignard (quem?) para dar (Ui!!!) álcoois terciários. Redução de cetonas geram álcoois secundários muito apreciados utilizados por bêbados químicos em síntese orgânica e outras merdas que geram dinheiro às corporações químicas.

Em reações, cetonas são comumente usadas como solventes polares apróticos, utlizads em reaçõs onde um hidrogênio ácido iria foder com a reação toda (e possilvemente explodir o reator químico). Devido às propriedades como solvente, cetonas são muito utilizadas na remoção de tintas, esmaltes maquiagem como solvente para destilação e como intermediário ´para outros produtos que os químicos usam para suas experiências diabólicas.

Ver tambémEditar