Abrir menu principal

Desciclopédia β

Chrono

Dragon Ball Chrono
Chrono DragonBall logo.png
logo da série
Gênero RPG
Desenvolvedor Gust
Publicador Tecmo Koei
Plataforma de origem SNES
Primeiro lançamento Chrono Trigger (1995)
Último lançamento Chrono Break (2017) Chrono Cross (1999)

Cquote1.png Chorno Trigger 2? Acho melhor criar um Kingdom Hearts 2.75 Cquote2.png
Square-Enix sobre seu carinho pela franquia Chrono

Chrono é uma super-estimada série de jogos de apenas dois jogos, sendo que um é mais ou menos (super-estimado) e outro é ruim mesmo, havendo um spin-off ainda mais desconhecido. Os jogos da série Chrono, especialmente Chrono Trigger, é daqueles jogos que ninguém nunca jogou, os poucos que jogaram não tiveram saco de jogar, mas que por algum motivo misterioso é um jogo amplamente elogiado. Mas experimente entregar esses jogos de Chrono para uma criança de hoje em dia? Não aguenta nem meia-hora nessa lentidão danada.

A franquia Chrono é a prova de que a Square-Enix é uma empresa não convencional, visto que os fãs doariam seus rins para ver um novo jogo da franquia, mas os produtores estão é cagando para a possibilidade de qualquer continuação, na verdade eles nem sabem o que Chrono, afinal foram só uns jogos super-estimados.

Índice

ProduçãoEditar

Após terminar e lançar o Final Fantasy VI em 1994, ao invés de demitir todos estagiários daquele projeto a Square-Enix decidiu utilizá-los todos para criar um novo jogo com uma nova história. Por isso qualquer semelhança com a jogabilidade não é coincidência, e ninguém reclamaria se Chrono Trigger se chamasse "Final Fantasy VII". Para que não ficasse exageradamente parecido com os Final Fantasy, Akira Toriyama foi contratado para desenhar os personagens desse novo jogo e dar ao protagonista os seus característicos cabelos de sayajin, que foi pintado de marrom para não aumentar a confusão.

JogabilidadeEditar

Os jogos de Chrono seguem a lógica de como ser um RPG japonês, ou seja, jogos incrivelmente lerdos, enjoativos, repetitivos e chatos, nos quais você lê pilhas de livros caso vá mesmo realmente ler todos diálogos. Metade do tempo estamos ouvindo (lendo) aquele papo furado que logo estamos pulando na velocidade da luz massacrando o botão de pular diálogos. Na outra metade do tempo estamos batendo em pudins gigantes, passarinhos e lagartixas estrábicas. Talvez até tenha realmente uma boa história, mas dificilmente alguém tem paciência pra isso.

No século XXI nenhum jogo de Chrono jamais daria certo, pois é lento de fazer qualquer criança fã de videogame dormir. Não bastasse os diálogos repetitivos, as batalhas iguais, o sistema de dungeons ainda é igual Pokémon, você está andando de boa, e sem que seja questionado, aparece algum bicho te chamando pro pau enchendo o saco, depois de bater neles, você anda dois passos e aparece mais bicho querendo treta. Na quarta vez que isos acontece as pessoas mais normais já desistiram do jogo.

JogosEditar

  • Chrono Trigger - Primeiro jogo da "série", parece um Final Fantasy III, só que menos leproso. Dizem que é um jogo excelente, que tem um enredo fantástico, que os personagens são carismáticos, mas visivelmente tudo isso não passa de histeria coletiva, metade nem jogou o jogo porque é chato, lento e parado demais. Apenas um Final Fantasy com história de viagem no tempo e muitíssimos furos no roteiro por causa disso.
  • Radical Dreamers - Jogo tão ruim que nem tiveram a coragem de colocar o nome "Chrono" no título. Por muitos anos era um "jogo" underground e desconhecido que foi desencavado de suas tumbas arqueológicas por fãs lunáticos de Chorno Trigger. É uma visual novel, ou seja, traz a melhor parte de Chrono Trigger, agora um jogo 100% formado apenas por diálogos escritos.
  • Chrono Cross - Até que dá para ver que houve boa intenção na tentativa de criar um jogo bonito, mas seus gráficos berrantes fazem é agredir os olhos. Todavia a sensação de estar jogando uma porra num PlayStation 1 é bem genuína.
  • Chrono Break - Ninguém quer saber mais de Chrono na Square-Enix, apenas isso.

RecepçãoEditar

Não por méritos próprios, mas por falta de RPGs no ocidente na década de 1990, Chrono Trigger foi um tremendo sucesso e amplamente elogiado. Na época as pessoas também tinham vergonha de insultar os otakus e seus gostos estranhos e esses roteiros idiotas como o de Chrono Trigger. Os jogos seguintes ninguém nem sabe que existiu.