Abrir menu principal

Desciclopédia β

Cidades do Barroco Tardio do Val di Noto

Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Mapa atualizado do local caso você queira perder seu tempo por lá.

Cidades do Barroco Tardio do Val di Noto é um conjunto de cidades feitas no estilo barroco tardio, ou seja, aquela arquitetura carregada de detalhes repleta de frufrus e ondinhas, colunas com relevo e toda a inutilidade possível que não se vê nos prédios atuais que mais se parecem com caixas, paralelepípedos de concreto sem graça onde o grande detalhe é que isso foi feito quando essa onda já tinha saído de moda, ou seja, tardio.

Val di NotoEditar

O Val di Noto, traduzindo vale de Noto é uma região da península itálica a sudeste da Sicília e que se originou de um terremoto provocado pelos deuses em eras remotas já que eles estavam furiosos com os humanos e seus repentes ateus que punham em xeque a própria autoestima das divindades iradas que costumavam se exceder em tal ímpeto de fúria.

O vale é gigantesco, tanto que cabem diversas cidades nele, sorte deles que não estão na região de São Paulo, pois senão tudo aquilo inundaria na primeira garoa que ousasse se precipitar por ali. Mas com problemas hidrográficos à parte o local acaba sendo de difícil acesso devido a preguiça de uma pessoa tirar o carro para ir até lá.

 
A catedral de lá, coisa que não pode faltar numa cidade italiana.

Cidades de láEditar

Há várias cidades perdidas nesse buraco que é enorme, mas algumas delas se destacam pela arquitetura pela qual foram elaboradas, são oito cidades: Caltagirone, Catania, Militello Val di Catania, Modica, Noto, Palazzolo Acreide, Ragusa, Scicli. Todas essas cidades apresentam elementos barrocos em seu processo de urbanização.

Óbvio que essas cidades tentam utilizar toda essa produção artística para atrair turistas, o que é claro que não dá certo, já que nem 1% da população do globo liga para esse papo de arte e passado cultural, mas se eles fizessem um festival de garotas nuas lutando numa banheira de cerveja no meio da rua a cidade seria tomada por turistas de todos os lugares imagináveis.

Ver tambémEditar