Coçar o saco

Lula já mostrando claramente onde o Brasil está nas suas mãos.

Cquote1.svg Que nojo! Cquote2.svg
Tua namorada sobre você coçando o saco na frente dela, ignorando o fato dela costumar chupar até suas bolas à noite...
Cquote1.svg Menino, tira essa mão daí! Cquote2.svg
Tua mãe sobre você coçando o saco no meio da rua.

Coçar o saco é uma prática extremamente comum pra quem é macho (mesmo que seja macho debaixo de outro macho). É similar ao coçar o cu, mas numa versão mais máscula mesmo.

Não há um único indivíduo do sexo masculino que algum dia não tenha tido o desejo de coçar o saco, inclusive o realizando diversas vezes ao longo de sua vida. Há quem diga que essa prática inclusive poderia acontecer já dentro do ventre da mãe, sendo portanto uma prática inerente a todos detentores dos cromossomos XY. Portanto, o que torna um homem veridicamente homem não é seu bigode, nem se ele come mulher ou dá o cu, nem se ele se declara homem mesmo nascido mulher e sim se ele tem saco escrotal pra coçar.

Inclusive... caraca... deixa eu dar... uma paradinha... de levis aqui... no artigo... o meu saco tá coçando... pra caralho... volto já já...

Possíveis origens dessa práticaEditar

Acreditam alguns geneticistas que possivelmente o cromossomo Y, aquele que realmente é responsável pela masculinidade humana chorem lacradores teria um terrível ônus genético em algum pedaço do Y lá que faz com que hajam sensações constantes de fricção nas partes baixas do indivíduo com saco, o que o leva a um desejo obsceno porém incontrolável de... peraí um pouquinho que o desejo acabou de dar em mim aqui, vou precisar... demorar um pouco mais... pra escreveeeeeaaaaaaahhhh que delícia! Enfim, é isso, o indivíduo fica com o saco pinicando e assim dá a coceirinha que é incontrolável, por mais que você fuja, uma hora ou outra cê vai querer coçar seu saquinho.

Alguns historiadores afirmam que entre os povos francos a prática da coçação de saco não tinha nada de supostamente ridículo ou repugnante, pelo contrário, era uma saudação e uma forma de demonstrar que havia uma confiança, tamanha era essa questão que há quem diga que eles, tal qual alguns povos lá do oriente antigos, colocavam a mão no saco do outro, só que ao contrário dos povos orientais, que deram origem ao puxa-saco, aqui era diferente, pois tão somente a bulinagem se limitava ao coçar mútuo de sacos, uma demonstração de lealdade e amizade sincera e confiável.

Agentes complicadoresEditar

Embora a coceira genética seja plenamente compreensível e justificável, existem complicadores que causam uma coceira muito mais desconfortável e nada prazerosa, como a presença de ácaros na sua cama que porventura decidam dar uma chegada no seu saco. Outro cretino é o chato, e esse aí é um desgracento fácil de pegar quando você come aquelas putas de quinta categoria que não fazem a chuca (já viu que "vai dar merda" isso aí né. Literalmente aliás!) nem cortam aqueles matagais da buceta, e essa desgraceira, como todo bom (?) piolho, se multiplica de maneira fodida, e nem adianta rapar o saco que esses infelizes parecem que se infiltram na pele do saco e aí que a merda tá feita de vez. Nesses casos é necessário agir e se medicar, pedindo ajuda a um urologista urgentemente algum tratamento pra se livrar dos sacanas, e ele ainda vai te passar um carão daqueles por você ficar comendo qualquer desgraça na rua sem critério, daí dá nisso, daqui a pouco aparece uns cogumelos atômicos no teu pau também e aí que eu quero ver...

Como realizar a prática de maneira discreta?Editar

O melhor a se fazer quando em público dá a vontade incontrolável de coçar suas bolotas, é tentar ir correndo a um banheiro, mas os riscos de parecer que cê tá com caganeira ou pior, que quer fazer outro tipo de coisa é enorme, mas é o jeito. O maior problema mesmo é que muitas vezes nem dá pra correr pro banheiro e até pior, o instinto coçador é tão forte que você quando se dá conta já tá com a mão toda lá no garoto. Aí vai dicas fundamentais:

  1. Tente botar a mão no bolso e não por dentro das calçolas. Pelo menos pode parecer que na verdade você só tá procurando alguma coisa no fundo do bolso e não que tá coçando o saco;
  2. Haja naturalmente, olhando bem nos olhos das pessoas. Há uma chance um tanto improvável que as pessoas não desviem o foco de seus olhos pra focar onde caralhos sua mão foi parar.

Lembre-se sempre claro de lavar as mãos antes de cumprimentar alguém, seu porco! E claro, cuidado pra não trocar as bolas e começar a praticar outro tipo de coceira e consequentemente melar as calças e sua mão...