Abrir menu principal

Desciclopédia β

Cochabamba

Cquote1.png Cochabamba é a maior prova da existência do Acre Cquote2.png

Cochabamba é uma cidade de nome gozado localizada no centro da Bolívia lá no alto da colina. Não passa de mais uma cidade miserável daquele país... Em termos gerais, se você olhar rápido, vai até achar que se trata de uma cidade mexicana.

Índice

HistóriaEditar

 
Cochabamba, em termos gerais.

Cochabamba foi um dos maiores núcleos da era colonial boliviana durante o século XVII e com certeza um dos maiores erros dos espanhóis na América do Sul.

Cochabamba é tão inútil, que foi cedida para a Bolívia em troca do Acre. Nem o Brasil quis aquelas terras.

A falta de história dessa cidade é terrível. O herói do povo é um piloto de teco-teco Jorge Wilstermann, famoso por ter colocado um motor de fusca na sua máquina de lavar roupas aerodinamicamente modificada e ter voado com essa máquina (ele inventou o ultra-leve). O orgulho que o povo local tem desse cara, tudo em Cochabamba leva o nome Jorge Wilstermann, desde ruas, pratos de comida, prostíbulos, palácios, bueiros até um time de futebol.

GeografiaEditar

Cochabamba está localizado no centro da Bolívia, portanto infelizmente não tem muito para onde escapar, principalmente por estar dentro de uma grande depressão, situada a 2560 metros de altitude acima do nível do mar (imagina se não ficasse numa depressão?), mas ela até hoje não mudou, ficou do mesmo jeito inútil.

EconomiaEditar

A cidade vive de explorar os brasileiros que ali vivem e estudam medicina, a maioria em uma grande e famosa universidade que cobra quatro vezes mais caro em tudo para os desavisados que lá vão estudar.

A principal atividade econômica é enganar brasileiros e fabricar um certo pó branco (eles juram que é farinha de mandioca) que é exportada em 150% para o Brasil.

Fora isso, a cidade não produz nada e é sustentada, como todas as cidades acima de 2000m do país, por Santa Cruz de la Sierra. Causando grande revolta na população Camba (de Santa Cruz).

DemografiaEditar

Cochabamba possui em torno de 500.000 habitantes. Isso tudo porque é difícil demais sair da cidade. Dentre os habitantes 50% são narcotraficantes, 30% são índios, 20% drogados e 110% pendejos. Eles são tão pendejos (idiotas) que o resto da Bolívia abomina esse povo.

CulturaEditar

Cochabamba é a cidade de origem de uma famosa musiquinha de ninar do folclore boliviano, cantada assim:

Passei a infância em Cochabamba
Transando muamba
Driblando a alfândega