Abrir menu principal

Desciclopédia β

Colégio (Rio de Janeiro)

Rioband.jpg Coé, merhmão, eshte arhtchigo eh CARIOCA!

Não vandalize, senão a chapa vai ficarh quentche, cara. Agora deixa eu irh na praia pegarh um bronze nesse sol de 50 graush, comendo unsh bishcoitosh.


Cquote1.png Você mora em um colégio!? Ahn? Cquote2.png
Qualquer um sobre você morar em Colégio
Cquote1.png Você quis dizer: Rocha Miranda Cquote2.png
Google sobre Colégio (Rio de Janeiro)
Cquote1.png Você quis dizer: Irajá Cquote2.png
Google sobre Colégio (Rio de Janeiro)

Colégio é um bairro microscópico da cidade do Rio de Janeiro. Fica encravado na Zona Norte e é mais um daqueles que provam que a cidade do Rio não é tão maravilhosa assim... E não passa de um Inferno ao nível do mar.

O bairroEditar

 
Definitivamente não é esse colégio. E, se o bairro de colégio fosse um colégio, seria um daqueles públicos caindo aos pedaços, representaria bem a situação do bairro

É industrial e residencial, ou seja, é uma fábrica de pessoas que são azaradas ao ponto de nascerem em um lugar tão escroto. Bom, sua principal avenida é a Martin Luther King Júnior, vide, é por onde escoa o excesso de gente indesejada que o bairro não suporta, tamanha pequenez e falta de importância possui. Todos correm pra Coelho Neto, como se isso fosse um grande avanço.

O lugar é tão subdesenvolvido que a chance de encontrar pessoas usando máquina de escrever pelas ruas e de as ouvirem perguntar me manda um torpedo SMS responderem que não têm um submarino é tão grande quanto o número de vezes que um corno de carteirinha é traído. Por falar em bovinos, esta é a melhor forma de transporte do bairro, pois ônibus de verdade mesmo só na avenida principal, e eles ainda evitam parar em Colégio pra evitar o roubo de pneus.

O comércio é inexistente, nem os camelôs investem em trabalhar no bairro, já que o povo é tão pobre que para comprar um CD daqueles de 2 reais demoraria 1 mês juntando dinheiro, o que faz com que eles achem vantagem trabalhar até em locais como o Complexo do Alemão, pois lá ao menos traficantes menos afortunados recorrem a aparecer em bancas de camelô pra garantir o novo CD de pancadão fuderosão do funk carioca, que é pura cultura.

Seria uma grande ironia se esse bairro não tivesse nenhum colégio, e, realmente não tem. Bom, ter até tem, mas funciona tão bem quanto um isqueiro no fundo do mar. Bom, escolas públicas, quer o quê...serve no máximo no fim de semana para o pessoal, pois algumas tem um espacinho legal e dá pra jogar uma bolinha, e é só assim mesmo que talvez alguém saia dali, virando jogador de futebol de um time grande. Se você pensou Fluminense, você é um idiota, pois não adianta, sair de uma merda pra ir pra outra.

LazerEditar

Realmente não tem muitas opções, a não ser pequenos momentos de adrenalina pura quando seu filho fica chutando a bola no muro do vizinho e quebra uma janela, sai correndo por todo o bairro (como se isso fosse uma grande distância...) e você tem que correr atrás de seu filho e do vizinho com uma AK-47 e vontade de matar seu filho. Ou então tentando levar alguém pra um hospital (?) mais próximo (!?) dali, o que realmente é outra coisa que dá muita adrenalina. Além disso...só beber cerveja na rua com o cara que no futuro irá dormir com sua mulher.