Abrir menu principal

Desciclopédia β

Coleção de Barbies

Loirastupidaaaa.jpg Hello, Honey! Este artigo é fashion!!

Este artigo é algo que eu e minhas amigas pink adoramos! Se você for nerd ou pobre, tipo, é melhor passar longe daqui, e se vier aqui pra arranjar confusão, nós vamos chamar a galerinha popular para humilhar você!

Cquote1.png Já brinquei Cquote2.png
Junior sobre coleção de Barbies

Cquote1.png Já comi Cquote2.png
Thammy Gretchen sobre coleção de Barbies e Junior

Cquote1.png Mamãe não gostava de me ver brincando com ela Cquote2.png
Paquito sobre coleção de Barbies

Cquote1.png Vovô não gostava de me ver brincando com ela Cquote2.png
Gay sobre coleção de Barbies

Cquote1.png Você está demitido! Cquote2.png
coleção de Barbies sobre Roberto Justus

Índice

DefiniçãoEditar

 
Uma coleção Um campo de concentração de barbies nuas

Coleção de Barbies é o nome que damos àquele grupo de brinquedos que sua filha adora, representando as bonecas acéfalas e loiras que costumamos assistir na TV biscateando trabalhando como cantoras/apresentadoras de programa (em CD's de música depravados ou em programas de pedofilia em TV Aberta) ou garotas de programa (em filmes de pornografia ou no TV Fama, casando-se com Roberto Justus).


Bonecas que "Pensam" e FalamEditar

No princípio, lá pelo século XVIII, a boneca foi criada para que crianças chatas parassem de pentelhar suas mães nas ruas ou dentro de casa. Mas, como a demanda foi crescendo, e o capitalismo nunca teve escrúpulos mesmo, na contemporaneidade foi criada a Barbie, baseada na mulher moderna, livre de restrições da sociedade patriarcal. Essa nova boneca incluía muitas outras funções além daquelas simples que conhecemos nas bonecas originais.

Questiona-se muito sobre a capacidade das novas bonecas hi-tech de pensar, associando-se sua inteligência artificial a um mero reflexo condicionado para preservar sua sobrevivência acima da camada pobre da população, como quando posam para fotos e concedem entrevistas a conceituadas revistas de arte contemporânea, como a Hustler e a Playboy. Segundo os adeptos dessa corrente de pensamento, as Barbies seriam organismos cibernéticos controlados telepaticamente por Dercy Gonçalves com o propósito de idiotizar a humanidade, substituindo a reprodução humana pela masturbação e o sexo descompromissado, a fim de que realmente só possa haver um e esse um seja ela, Dercy. Embora os movimentos corporais e "intelectuais" das Barbies correspondam à conhecida sabedoria da velha milenária, essa é uma teoria ainda não comprovada pela ciência.

O Primeiro ModeloEditar

Diz-se que, sob ordens expressas de Roberto Marinho, a U.S. Robotics encomendou à Estrela, sua sucursal latino-americana subdesenvolvida, um novo andróide que reunisse as características de uma boneca inflável com um brinquedo infantil qualquer. O projeto, conhecido como Xu-Xaxu-PA 1, foi um sucesso, já que o robô apresentava as mesmas funções da boneca inflável mas gostava de fazer suas "brincadeiras" com crianças ao invés de adultos.

Modelos PosterioresEditar

Mais tarde, Roberto Justus, insatisfeito com o desempenho de sua imensa coleção de Barbies baseadas no modelo Xu-Xaxu-PA 1, que preferiam "brincar" com sujeitos jovens e não-brochas, resolveu levá-las a uma Sessão de Descarrego da Igreja Universal. Lá, através de orgias rituais de liberação do terceiro olho e do Exu-petinha, as bonecas passaram a ter vida semi-própria, pois continuavam dependentes de ricaços que lhe dessem corda (e grana), apesar de se libertarem da influência maléfica do Demônio (ou Roberto Marinho), já que o chip quebrado durante a curra cura espiritual fora programado por ele.

Essa segunda geração de andróides loiras, ainda acéfalas mas não mais previsíveis, pôde assinar contratos com outras emissoras além da Globo e da extinta Manchete, bem como dedicar-se de novo a carreiras mais condizentes com seu verdadeiro talento, como a de atrizes pornôs, cantoras lésbicas e patricinhas piranhas. Foi nessa época que atingiram o seu auge, destacando-se em filmes como "As Patricinhas de Bervely Hills", "Eliane e os Taradinhos"; nos programas de TV como "Jogo Aberto" (pornô com Renata Fan e comentários indecorosos de Neto), "Malhação", "Sex with a City" (pornô lésbico-bizarro com Sarah Jessica Parker; e, finalmente, em todos os álbuns de Christina Aguilera, Britney Spears e Justin Timberlake.

Modelos AtuaisEditar

  • Barbie Sasha: modelo projetado especificamente para substituir a Barbie Meneghel, a Estrela incluiu nele, em suas primeiras versões, as funções cagar, mijar e chorar, revolucionárias, à época, para brinquedos infantis. A empresa estuda a possibilidade de uma versão adulta.
  • Barbie Britney: devido ao seu compromisso com as minorias, a U.S. Robotics criou esse modelo exclusivamente para o mundo GLS. É o resultado do cruzamento do modelo Chuck (Brinquedo Assassino) com sua noiva, conforme pode confirmar suas tendências psicóticas seu DNA. Foi estranhamente fabricado fora das proporções, já que se trata de um modelo absolutamente infantil.
  • Barbie Timberlake: robô projetado com reforço de musculatura e alargamento das pregas anais. Serve como dublê de idiotas (loiras), sendo usado frequentemente como cantor cover de loiras de Boys Bands e dublê cinematográfico de cenas de alta periculosidade envolvendo loiras, como no filme em que substituiu Chicholina numa cena de zoofilia envolvendo um jumento.
  • Barbie Galisteu: essa é a Barbie biscate modelo padrão. Uma espécie de T-1000 em relação ao ciborgue Schwarznegger, se comparada à Barbie Meneguel. Não só se envolveu com um jogador de futebol, mas também com um piloto, um apresentador de TV e outros caras abençoados pela beleza verde (que não é a do Hulk). É tão superior ao modelo Meneghel que ainda consegue sobreviver na TV mesmo em horários inóspitos para a audiência.
  • Barbie "original": o modelo mais antigo de Barbie ainda não vinha com as sutilezas tecnológicas que lhe permitiriam exercer as funções complexas popularizadas entre suas predecessoras. Mas, mesmo sem os orifícios de livre acesso, a Barbie se tornou onipresente nos pensamentos de irmõezinhos onanistas-depravados, futuramente conhecidos como atores de Malhação, como é o caso do Cabeção, por exemplo.
  • Barbie "falsificada": cumpre basicamente as mesmas funções de outras Barbies, só que num modelo mais tosco, menos feminóide. Prefere esteróides a cremes para pele, mas, em compensação, dá preferência ao que se tem debaixo da cueca ao que se tem dentro do bolso.
  • Barbie Gimenez: pode não parecer, por não ser loira, mas se trata de uma Barbie também. Devido a um super-aquecimento na produção, houve uma queima no couro cabeludo e uma perda considerável de neurônios, ocasionando no primeiro modelo menos loiro e, ao mesmo tempo, mais burro da História. Paradoxalmente, sua morenice também lhe tornou mais esperta do que uma Barbie comum.

Galeria das BarbiesEditar