Abrir menu principal

Desciclopédia β

Collective Soul

Playinguittar.gif

Roger Waters deu sua benção a este artigo!

Obrigado! Este artigo se sente mais forte agora :)

Clique aqui para mais abençoados.

Passarinho.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

Collective Soul
Collective Soul.jpg
Pagando de Pitboys
Origem {{{origem}}}
País Seattle Geórgia, Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos
Período 1991 - Atualmente
Gênero(s) Depressivo Não-Emo.
Gravadora(s) {{{gravadora}}}
Integrante(s) Ed Roland;
Dean Roland;
Will Turpin;
Joel Kosche;
Cheney Brannon.
Ex-integrante(s) Ross Childress;
Shane Evans;
Ryan Hoyle.
Site oficial {{{site}}}
60px-Bouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Collective Soul.

Babel fish.gifTraduzindo: Suruba de Almas
Babel Fish sobre Collective Soul
Cquote1.png Mais uma banda Grunge de fora de Seattle? E nós somos os únicos boicotados... Cquote2.png
Stone Temple Pilots sobre Collective Soul
Cquote1.png Podem ser tudo, mas uma coisa eles não são... desalmados! Cquote2.png
Zé Graça sobre Collective Soul
Cquote1.png Essas almas do barulho vão até Seattle tocar o terror nos grunges locais! Cquote2.png
Narrador da Sessão da Tarde sobre Collective Soul
Cquote1.png Toca Raul! Cquote2.png
Brasileiro em show do Collective Soul
Cquote1.png É emo! Cquote2.png
Guri retardado sobre Collective Soul
Cquote1.png Será que tem algo a ver com o Natal? Cquote2.png
Você sobre a músia “December”
Cquote1.png Só o Original! Não aceitem imitações! Cquote2.png
Siouxsie & The Banshees sobre o 7even Year Itch da banda
Cquote1.png Uma banda Grunge com um nome de banda de Rock Psicodélico Cquote2.png
Você sobre Collective Soul

COLLECTIVE SOUL é uma banda de Soul rock que, assim como quase todas da época, que se juntaram pra tentar detonar o Britpop do outro lado da poça, era Grunge surgida em Seattle na Geórgia, e que, pra fazer sucesso mais rápido, seguiu a tendência depressiva não-emo e se tornou Grunge, e foi pra Grungelândia tentar arrumar algo. Ao contrário do Stone Temple Pilots, não foram boicotados pelos locais. E você raramente ouvirá essa banda nas rádios, por se tratar de uma banda que não tem integrantes de sexualidade e talento questionáveis.

Índice

Collecting Souls:Editar

Ed Roland, Dean Roland, Will Turpin, Ross Childress e Shane Evans trabalhavam caçando almas nas ruas de Stockbridge, num trabalho à la Caça-Fantasmas, extremamente secreto, a noite, pois a faculdade de música deveria ser paga, que é cara e eles eram bem pobres. Eram 5 crianças que só queriam saber de caçar almas perdidas por aí. Numa missão, iam coletar almas de alguns músicos que se perderam por aí: as almas de Ian Curtis, Jimi Hendrix, Cliff Burton e John Bonham estavam perdidas por aí. Seria mais um dia de trabalho muito bem remunerado, e que atrai mulheres, porém, parece que tinha dado merda a parada: simplesmente, as almas haviam incorporado naqueles 5 garotos, que, do nada começaram a se interessar por música. Tocavam nas padarias as 6 da manhã até que foram multados por violarem a lei do silêncio, então, tiveram que renunciar ao trampo antigo, mas, o homenageando no nome da banda.

Collected Souls:Editar

 
Quando o pessoal resolveu mostrar o que come. Reparem na cabeleira de Super Saiyajin de Ed Roland

Após esse acidente, que causou uma mudança radical nas suas vidas, a banda vê que Nirvana, Soundgarden, Alice in Chains e Pearl Jam eram os fucking bastards da parada na época, e resolvem seguir a tendência, transmitindo a palavra do Grunge. Juntaram bastante dinheiro com o trabalho de caça as almas que eles estavam juntando pra entrar no ramo de alienígenas e bruxas e gravaram um álbum e um clipe. Aquelas almas coletivas começaram fazendo uma música que aparentemente foi escrita por um mendigo grunge, já que pedia uma porrada de coisas de uma forma meio melancólica, o que já bastava pra fazer sucesso. E conseguiram, e foram enganados por um produtor que lhes prometeu uma turnê e alguns álbuns. Mas, assim mesmo, lançou tendência: se, nos dias de hoje, chamamos os produtores das personalidades de cafetões é graças ao caminho da banda na metade dos anos 90. Gravaram um álbum que vendeu muito e eles recebiam só um ticket de refeição, uma vaga no estacionamento do estúdio, roupa lavada e um traveco pra diversão deles. De saco cheio desse trabalho escravo que eles faziam, procuraram a Justiça, mas só se frerraram mais ainda, e não podendo fazer mais porra nenhuma. O juiz alegou que a música deles era horrível e que estariam, proibidos de gravarem álbuns, e, que, se quisessem fazer alo, teriam que voltar ao emprego antigo, o que fizeram, mas, fizeram em segredo mais um álbum, alterando tudo o que se sabia pra poder driblar a Lei. Os fãs conheciam o trabalho, mas, ficaram com medo de comprarem os álbuns e serem condenados a morte por isso, por isso não vendeu bem, graças a propaganda negativa do cafetão produtor deles. Mas, pra desespero deles, o álbum seguinte vendeu bem, pois o medo já tinha acabado e as pessoas resolveram se encorajar a comprar o álbum da Banda Proibida, que conseguiu soltar o rabo do produtor e acabar com a proibição do seu trabalho, mas só tinham matéria pra 1 álbum. Conclusão: É hora de fazer um caça-níquel Greatest Hits chamado 7even Year Itch (assim mesmo, Siouxsie & The Banshees não gostou desse plágio). Depois de 3 anos tentando capturar as almas dos Mamonas Assassinas pra ver se conseguem alguma inspiração, eles voltam. Atualmente, a banda está por aí naquele esquema: ignorado pelos posers de rádio.

Como a Bagaça Funciona:Editar

Almas:Editar

Álbuns:Editar

 
Bon apetit! Sopa faz bem pra voz, que é a maior fonte de renda da banda

O que Ouvir (Ou Não):Editar

  • Brilho: Nome de música feita pra ser hino gay e receber boicote dos homofóbicos, mas, a parada não foi assim: O clipe, rodado no Acre, mostra o Ed pedindo uma porrada de coisa e pro paraíso deixá-lo brilhante. Infelizmente, Stephenie Meyer pegou o conceito disso e fez merda. Seria uma premonição de todas as cagadas que aconteceriam nos anos seguintes?;
  • Perdendo Tempo: A 2ª parte da trágica premonição de Ed;
  • Dezembro: A princípio, a banda não soube que tinha cantado seu futuro nas músicas anteriores, e comemorou o fato de ganhar um produtor (mais pra cafetão) no mês de Dezembro;
  • O Mundo Que Conheço: É redondo. Conhecioa o mundo, mas não as pessoas que nele viviam;
  • Culpa: A banda procura culpados pelo Trabalho Escravo;
  • Correr Pra Caralho: Pra caçar as almas, e pra fugir do produtor (mais pra cafetão) deles;
  • De Novo, Por Que?: Eles nãop entenderam a resposta na 1ª vez;
  • Melhor Agora: Uma autocrítica, comparando a banda no começo com a daquele momento, após ouvir que muitas bandas decaíram, eles quiseram tirar os deles da reta;
  • Um Dia Perfeito: Só existe na ficção mesmo;
  • Hollywood: Uma ode a aquele inferno que corrompe as pessoas;
  • Todos Bem-Vindos De Novo: Fala de recomeçar a carreira.