Abrir menu principal

Desciclopédia β

Cordel do Fogo Encantado (Ou Estória da Chama Mágica)


Band PE.jpg Oxe, mô véi! Ess'artigo foi'xxxcrito por um cabra pernambucano arretado da porra, visse?
Goxxxtasse não foi, abestalhado?! Vátilaxxxcá, seu fi di rapariga!! Bicho tabacudo do carai!!!
Tái feito baiano, é?!


Cquote1.png Você quis dizer: Cordel do Fogo no Rabo Cquote2.png
Google sobre Cordel do Fogo Encantado
Cquote1.png O Cordel é lindo, o "Ou" deles é lindo, Pernambuco é linda, o Recife é lindo, a Bahia é linda... Cquote2.png
Caetano "É lindo" Veloso sobre o Cordel do Fogo Encantado.
Cquote1.png Ou eles fazem teatro, ou eles fazem poesia, ponto . Cquote2.png
Oscar Wilde sobre o Cordel do Fogo Encantado.
Cquote1.png Eu nunca li Cquote2.png
Sabrina Sato sobre o Cordel do Fogo Encantado.
Cquote1.png É coisa de gente intelectual... Coisa que ninguém entende . Cquote2.png
Qualquer um sobre o Cordel do Fogo Encantado.
Cquote1.png Isso parece coisa de Tom Zé... Cquote2.png
Paulista sobre as influências do Cordel do Fogo Encantado.
Cquote1.png Em linguagem popular isso é se chama de " MACUMBA ". Cquote2.png
Desciclopédia sobre citação anterior


O Cordel do Fogo Encantado (Ou "Coisa" Pernambucana da Alternativa) é um híbrido de banda de Axé Sueco, companhia de teatro e circo fálido, afundada numa cidade irrelevante de Pernambuco. Bem, isso foi uma Definição (Ou Conceitualização Abstrata das Coisas A Serem Relatadas).

O logotipo da banda

História (Ou Decorrer do Destino Pelo Senhor Insensível, Tempo)Editar

Pré-História (Ou Desvelação Dos Véus Passados)

José Paes de Lira, depois da morte do pai, um infame palhaço do Circo Sem Futuro, tentava seguir a sua carreira, mas como já diz o nome do circo que trabalhava, ele não tinha futuro. Foi quando em 1997 ele se encontrou com Clayton Barros, músico formado na UFPE que se tornou cantor de Bar Music marginalizado e Emerson Calado, mímico profissional. Os três então tentaram a carreira no teatro, durante dois anos a peça "Cordel do Fogo Encantado" foi sucesso de críticas, elas começavam no espetacúlo e terminavam geralmente na UTI, ematomas por lançamentos de tomate a distância eram comuns e já faziam parte do espetacúlo. A peça foi promovida a "casa do tiro" de um Parque de Diversões em Recife, em que o objetivo consistia em atingir um dos atores durante a apresentação com marcadores de paintball.

Logo logo, os três descobriram que a arte do drama e da comédia não era para eles. Vivendo de tomates recolhidos de doações das hortas dos amigos, do pomar da familía e principalmente dos lançados por sua querida plateia, os três erraram pelo semi-árido nordestino em busca de aspiração maior durante 5 anos... Durante este tempo, Paes de Lira, inspirado por "Morte e Vida Severina" de João Cabral de Melo Neto, escreveu as poesias: "Chover (Ou Invocação para um Liquido)" e O "Palhaço do Circo Sem Futuro (Ou A Trajetória Da Terra)". Na volta a capital pernambucana pelo Rio Capibaribi, Paes de Lira, numa experiência sobrenatural foi visitado por Zé da Luz, Cancão e Bob Marley que apresentaram a ele a "A Maravilhorsa" (Ou A Erva Daninha Que Cresce E Traz A Felicidade). Logo depois ele contou sua revelação a Clayton e Emerson (Ou Passou A Maravilhosa), e os três foram revelados que deveriam ir a procura de "Tamboreiros Do Vento Que Vem" (Ou Percussionistas De Axé Da Bahia, vulgo Olodum).

Nesta busca eles não encontraram os baianos que procuravam (Baiano em Recife!? Aí não é piada, seria imaginação de mais), mas encontraram os Axezeiros genéricos: Nego Henrique e Rafa Almeida. Após os encontrar os cinco não sabiam o que fazer.

  Porra, e agora? Quê que a gente faz?  
Emerson Calado sobre encontrar os Genéricos dos Tamboreiros Do Vento Que Vem

Após prenderem, puxarem e passarem os cinco foram iluminados por Zé da Luz, que deu a eles a missão de pregar suas palavras para maconheiros jovens intelectuais de toda a nação!

Pós-Revelação do Zé da Luz (Ou A Saga De Luz Para Às Luzes)

Os "Bichos" orfãos de bandas como Los Hermanos logo abraçaram a banda que toca uma música estranha de ritmos que não tem nome e que as pessoas não sabem como dançar. Hoje a banda segura o desafio de fazer uma linha de baixo através da percursão e um violão solitário responsável pela condução harmônica, a única parte do som que produzem que lembra de relance a coisa chamada música.

Ver TambémEditar

  Cordel do Fogo Encantado já acabou!

Não gostava deles mesmo...

Clique aqui pra ver os grupos que non eczisten mais.