Abrir menu principal

Desciclopédia β

Cornologia

Cometinha.jpg Este é mais um artigo com pretensão pseudo-científica, portanto, seu autor é um desocupado mentiroso que não diz coisa com coisa.
No Wikipedia.png QUEBROU A CARA!

Os espertalhões da Wikipédia NÃO têm um artigo sobre: Cornologia.

Cquote1.png Cornologia é o conjunto de ciências que estudam o corno. Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Cornologia

Relações Extraconjugais, mais conhecido como Cornologia é um campo psico-científico que estuda o hábito de bovinos, qual seja, os cornos. Podemos dividir esta ciência em vários campos, como a cornomatemática, a biocornologia, a fisicornologia, a quimicornologia e a medicina e psicologia de corno. Entre notáveis estudiosos (e objetos de estudo) deste vasto campo, há nomes como Reginaldo Rossi e Falcão.

Índice

CornomatemáticaEditar

Uma das principais questões da Cornomatemática, são as funções que relacionam o tempo que o corno manso não reage ao tamanho do chifre dele. Veremos uma a seguir:

 
Gráfico de uma das possíveis funções que relacionam o tempo que um corno manso não reage ao tamanho do chifre dele. A linha azul representa a relação tamanho na vertical e tempo na horizontal. A linha traçada verticalmente no meio do gráfico é o eixo y (tamanho e o momento que a mulher dele foi para a cama com o Ricardão) e o eixo x representa o tempo decorrido antes e depois da trepada extra-conjugal.

BiocornologiaEditar

 
A Cornogenética é o ramo da Biocornologia que explica a hereditariedade genética que não ocorreu entre o corno e seu "filho".
 
A medicina recomenda ao corno a prática de exercícios físicos, para manter a saúde de seu chifre organismo.


O corno é uma criatura mamífera encontrada através de uma mutação genética encontrada nas células ósseas do osso frontal do crânio, provocando uma espécie de tumor benigno, formando o chifre por baixo da pele. Esta mutação no 42º gene do cromossomo 6, o gene 666-bey-non-sejaumcorno deixa de ser ativo, deixando o indivíduo o último a saber onde e o que sua esposa está fazendo.

Psicologia de CornoEditar

Segundo Freud, os danos psicológicos causados pela cornisse aguda não tem cura, apenas um alívio por algumas horas. É o álcool etílico diluído em um destilado de cana de açúcar, que inibe os impulsos nervosos negativos do corno, deixando-o num estado de abundância de felicidade, e fazendo-o esquecer da situação. Há alguns efeitos colaterais, como o ânus do indivíduo perder seu dono.

Ecologia de CornoEditar

Os cornos são considerados vilões do meio ambiente pois seus crifres destroem a camada de ozônio, piorando o aquecimento global. Também não se pode esquecer que eles ingerem consideravelmente a cana-de-açúcar em diversos prudutos, causando desequilíbrios no solo onde ela é cultivada.

Demais ciências que estudam o cornoEditar

Ver tambémEditar