Cristianópolis

Cristianópolis é um afastado curral de Goiânia denominado não se sabe porque como um "município", tão afastado que nem é considerado região metropolitana da capital, sendo por vezes renegado pelo IBGE como sendo parte da região de Itumbiara, embora este nem saiba o que é Cristianópolis. O que se percebe é que essa cidade parece estar longe de tudo.

Cidade de uma pequena população de pouco mais de 3000 caipiras movidos à brócolis. Cristianópolis é um fundamental esconderijo de foragidos de Goiânia.

HistóriaEditar

 
Todo o movimento da moderna Cristianópolis.

Em 1905 um padre fugiu do Rio de Janeiro acusado de batizar o vinho dos companheiros. O tal padre fugiu pra tão longe que acabou em Catalão, local onde abriu uma escolinha Jedi e aparentemente ficaria por ali. Mas já em 1909 aquele padre se casou em Santa Cruz de Goiás, o problema é que a mulher era a namorada do prefeito e ninguém queria uma mula sem cabeça na região, por isso o padre jurado de morte fugiu, mas todos inimigos do corno ajudaram o agora ex-padre a se esconder nos ranchos ocultos do sul goiano, que seria a origem do núcleo urbano do que viria a ser Cristianópolis.

O tempo passou e em 1927 aquele oculto rancho que já tinha cara de vilarejo recebeu o nome de Cristianópolis em homenagem ao Cristiano, o corno de Santa Cruz que jamais encontrou seu desafeto.

Em 1934 chegaram naquele fim de mundo freis franciscanos que decidiram construir uma capela para a maçonaria. Em 1953 aquela bostinha já era um município separando-se de Pires do Rio.

Durante essas décadas de existências, graças a seu grande grau de isolamento, é claro que a pequena cidade ficou de fora de qualquer acontecimento de relevância mundial como Segunda Guerra Mundial, Revolução Industrial e Independência do Brasil, tudo isso são coisas que o povo de Cristianópolis sequer sabe o significado.

GeografiaEditar

Cristianópolis pode ser definido, geograficamente e geologicamente, como sendo um buraco cercado de mato por todos os lados. Está localizado nas proximidades da BR-352 (a estrada do pão de queijo).

Cristianópolis tem vários rios que o povo pode tomar banho peladão, o Ribeirão Gameleira, o Ribeirão Muquém, o Rio do Peixe e o Rio Passa Quatro.

EconomiaEditar

Economia que se destaca pelas agro-indústrias de queijos fabricados por orangotangos. No mais, o seu PIB desprezível e IDH baixíssimo apenas reforçam o que dá para deduzir só de olhar, que Critianópolis é uma cidade bem fodida de pobre.