Abrir menu principal

Desciclopédia β

Cu do Judas

Dercy gonçalves.JPG I M A G E N S|||F O R T E S

Neste artigo são exibidas imagens fortes. Caso você possua doenças cardíacas ou seja menor de 18 anos, idoso, gestante, fresco, patricinha ou emo, não leia este artigo.

O Cu que deu origem ao nome

Cu do Judas é um local deserto, distante e arrombado desolado nos confins do Judaiquistão, reino que ocupava grande parte da região conhecida como Oriente Grande (e que, depois da Segunda Guerra Mundial, teve muitas partes apropriadas pela zelite europeia e se tornou Oriente Médio). Teve origem no pescador Judas Jadeu (irmão do apóstolo Judas Tadeu), que viveu na época de Cristo e só não seguiu os passos do irmão porque perdeu o prazo de inscrição para o programa Apóstolos, que iria selecionar 12 companheiros para Jesus no meio de pessoas ridiculamente comuns (como você).


Índice

Jadeu em sofrimentoEditar

Como todos sabem, Judas Tadeu ficou entre os selecionados que acompanhariam Jesus em sua carreira meteórica pela terra (maiores informações no artigo Jesus Superstar). No entanto, o que pouca gente sabe é que seu irmão Jadeu desenvolveu uma inveja doentia e quis ficar também famoso a qualquer preço. Como naquela época o Tinhoso andava à solta pela terra soltano fogo pelas venta, para Jadeu foi muito fácil fazer um trato em troca de fama.

O Capeta, muito malandro, propôs a Judas Jadeu o seguinte: se ele conseguisse atravessar, a pé, o Oriente Grande de ponta a ponta, teria para sempre um lugar garantido na História. Cego pela possibilidade de ficar tão (ou mais) famoso que seu irmão, Jadeu aceitou na hora e partiu, levando apenas um cantil e uma toalha, em sua desesperada corrida rumo à fama e à fortuna.


O penoso percurso do pobre pescadorEditar

 
Detalhe do pé de Judas Jadeu em sua peregrinação

Depois de muitos quilômetros percorridos sob sol e sob... sol, já que lá não chovia, Judas resolveu parar para descansar um pouco e saborear um pouco do líquido refrescante que carregava em seu cantil. O excesso de bebida e o sol quente, no entanto, fizeram com que Judas alcançasse elevado grau etílico e esquecesse de calçar as botas novamente. Só mais tarde, quando recobrou a consciência e percebeu que havia perdido a pele das solas dos pés devido a queimaduras por andar descalço na areia quente, foi que notou que havia perdido as botas. Desde então, todo lugar estranho, distante e desconhecido que não se sabe onde fica é conhecido como "o lugar onde Judas perdeu as botas".

Mas Judas não desistiu. Apesar de não ser brasileiro, ele não desistia nunca. Encarou seu sofrimento como uma provação divina (já que naquela época Deus vivia sacaneando todo mundo) e seguiu em frente. Para refrescar os pés, seguiu à beira da praia. Sangrava tanto que o mar em que molhava os pés ficou conhecido desde então como Mar Vermelho.

 
TENHA MEDO! TENHA MUITO MEDO!

Afinal, depois de 42 dias e 42 noites, Judas chegou ao final do arco-íris deserto, onde um sueco que usava tanga de leopardo e esperava por ele sentado num sofá de veludo. Ali por perto andava o Cramunhão, que disse a Judas que faltava uma última prova: receber, em sua intimidade mais profunda, a pulsante e rija virilidade do sueco.

Já que estava ali mesmo, Judas não tinha mais nada a perder e aceitou a proposta do Cão. Só que ele não sabia que fazia parte de outro reality show, o Big Loser Judá, e seu defloramento foi transmitido ao vivo pela TV Mesopotâmia para todos os lares judeus (e também fariseus, filisteus etc.). Depois da prova, que ficou conhecida como Teste do Sofá (e que, até hoje, é pré-requisito para quem quer ficar famoso), Judas pôde enfim dizer que estava famoso. No entanto, a vergonha que sentia era tanta que fugiu do Oriente, indo para a Grécia trabalhar num centro de Filosofia conhecido como Casa do Caralho, onde morreu de pinto caído aos 69 anos. E o local onde perdeu o cabaço tornou-se conhecido como Cu do Judas, que posteriormente tornou-se sinônimo de "lugar distante, inacessível, onde provavelmente vão comer meu rabo".

A reinvenção nacionalEditar

Recentemente, o presidente Lula, na inauguração do projeto Brioco para Todos, oficializou o Cu do Mundo no Acre, numa tentativa deseperada de conseguir algum atrativo para o suposto estado.

  Nunca na hiftória deffe paíf se efplorou tanto o cu como no meu governo!  
Lula


Veja tambémEditar